Início » Brasil » Corregedoria afasta juiz do caso Eike Batista
conduta irregular

Corregedoria afasta juiz do caso Eike Batista

O juiz Flávio de Souza foi flagrado dirigindo o Porche de Eike e nomeou seu vizinho como fiel depositário do piano do empresário

Corregedoria afasta juiz do caso Eike Batista
Processos relativos ao caso serão redistribuídos a outras varas criminais (Reprodução/Bloomberg)

A corregedora nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi, afastou do caso Eike Batista, o juiz Flávio de Souza, da 3ª Vara Federal do Rio de Janeiro. A decisão foi anunciada na noite da última quinta-feira, 26.

Leia mais: Corregedor manda juiz devolver bens de Eike
Leia mais: Juiz do caso Eike é flagrado dirigindo Porsche do empresário
Leia mais: Em entrevista ao ‘Fantástico’, juiz critica a ostentação da família Batista

Segundo a ministra, o comportamento de Flávio de Souza, veiculado na mídia e nas redes sociais, tornou necessária a abertura de um processo de reclamação disciplinar para apurar a conduta do juiz, que foi flagrado dirigindo o Porche de Eike e nomeou seu vizinho como fiel depositário do piano do empresário.

Em sua decisão, a ministra informou que “não há, nem pode haver lacuna, brecha ou folga interpretativa que permita a um juiz manter em sua posse, ou requestrar para seu usufruto, patrimônio de particular sobre o qual foi decretada medida assecuratória”. Na avaliação de Nancy, a atitude do juiz causou danos à imagem do Judiciário.

A corregedora também criticou a entrevista dada por Flávio de Souza ao programa “Fantástico”, da Rede Globo, onde o juiz criticou a ostentação da família Batista. Nancy ressaltou que é dever do magistrado “comportar-se de forma prudente, abstendo-se inclusive de emitir opinião sobre processo pendente de julgamento”. Os processos relativos ao empresário serão redistribuídos a outras varas criminais.

Fontes:
O Globo-Corregedoria Nacional de Justiça decide afastar das funções o juiz do caso Eike
Estadão-Corregedoria afasta juiz de julgamentos do caso Eike Batista

4 Opiniões

  1. Marluizo Pires Cruz disse:

    O titulo desta noticia torna-se atualíssima esta frase, “Quando estávamos prendendo pobre eles estavam achando ótimo agora que estamos prendendo rico eles mandam maneirar eu não vou parar” proferida num passado recente por um representante do Estado instituído. Mas parou ele foi substituído. Prevalecendo nestes acontecimentos o dito popular de que, machado cego não derruba pau grande.

  2. rosangela maria moraes disse:

    Minha opinião é que o juiz agiu com parcialidade e falta de ética profissional, sendo considerado ato gravissimo para o judiciário.

  3. Luiz Carlos Braga de Camargo disse:

    É a velha sacada: tem gente que pensa que é Deus , alguns juízes tem certeza .

  4. Jose Luis disse:

    Independentemente, a princípio, do resultado do afastamento, parabéns à corregedora, que imediatamente atuou para que este caso não caísse no esquecimento e, o que é pior, viesse a denegrir a imagem do judiciário por corporativismo. Quiçá os demais setores dos órgãos públicos fossem também capazes de respostas tão rápidas.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *