Início » Brasil » Corte em programas sociais é inevitável, diz Cunha
Orçamento de 2016

Corte em programas sociais é inevitável, diz Cunha

Presidente da Câmara afirmou ainda que 'a sociedade vai ter que decidir se quer manter esses programas'

Corte em programas sociais é inevitável, diz Cunha
'Muitos programas vão ter que acabar', diz Eduardo Cunha (Fonte: Reprodução/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou que os programas sociais devem sofrer cortes profundos no Orçamento de 2016.

Leia também: Rombo no Orçamento pode ser duas vezes maior do que o previsto
Leia também: Governo prevê déficit inédito de R$ 30,5 bilhões no Orçamento
Leia também: Orçamento de 2016 será enviado ao Congresso com previsão de déficit

De acordo com Cunha, “muitos programas vão ter que acabar”. O presidente da Câmara disse também que o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, por exemplo, “tem 2 mil programas” e que estão previstos “R$ 15 bilhões para o Fies” no Orçamento.

Cunha ressaltou que “é preciso ter arrecadação [de impostos] para sustentar tudo isso”, e ainda que “a sociedade vai ter que decidir se quer manter esses programas”.

Para sustentar todos os programas, a alternativa seria aumentar impostos, o que, segundo o presidente da Câmara, “vai ser difícil de passar no Congresso. Será necessário, então, fazer uma opção”.

Fontes:
Folha de S.Paulo - Eduardo Cunha diz que corte em programas sociais em 2016 é inevitável

14 Opiniões

  1. ilio borges de araujo disse:

    É realmente preciso cortar no tamanho do Estado, preferencialmente esses cortes terão que começar pelo andar de cima, ministérios, cargos de comissão, altas mordomias dos três poderes e redução no tamanho das representações políticas e depois, se necessário, atingir o povo e aí transformando as benesses demagógicas do PT em programas de Estado, devidamente devidamente acompanhadas e fiscalizadas.

  2. Luiz disse:

    São 39 ministérios, diminuem para 12, corte o cartão corporativo, tire o 14° salário dos deputados, senadores, e ministros do supremo, férias de 1 mês (pegando o boi). E o mais importantes, que estes políticos que nós infelizmente temos, trabalharem mais um pouco, ou pelo menos fingem que estão trabalhando. Diminuem a quantidade de deputados e senadores. Para que 513 chupa-cabras deputados, e 81 senadores chupa-cabras, diminuem pela metade. Nos países de primeiro mundo, políticos andam de trem, ônibus, e também de bicicleta. Aqui não pediríamos tanto, é só eles andarem em seu próprio carro e pagando a gasolina de seu próprio bolso.
    Os ministros do supremo, só seria ministro com concurso público, sendo que seria o mais difícil possível, lógico que o Tofolli nunca seria ministro, pois nem no concurso de juiz passou. Parar com esta droga de indicação, todos estão com o rabo preso. VIVA O SONHO E A UTOPIA.

  3. Ludwig Von Drake disse:

    O desfecho dessa política pseudo-socialista tupiniquim vem sendo anunciado ha anos até por Eremildo, um conhecido idiota, que é alter-ego de Élio Gaspari.

  4. Almeida disse:

    O governo tem a obrigação primordial de cortar as suas próprias despesas iniciando pela despesa de propagandas que estava orçada em 230 milhões, uma maneira fácil de se governar sem ter a obrigação de apresentar resultados positivos, o mais todos nos já sabemos e conhecemos.

  5. Rogerio Faria disse:

    É a pá de cal na classe C…

  6. Wilson Paulo schmeiske disse:

    PERGUNTO AO FUTURO ENCARCERADO CUNHA, ( SE É QUE EXISTE JUSTIÇA NO BRASIL ) SE AS BOQUINHAS NA CÃMARA E NO SENADO VÃO SER CORTADAS.

  7. joaquim vieira disse:

    Estamos num barco a deriva! Cadê os nossos políticos honestos e articuladores e corajosos, que não pediram a cassação do Eduardo cunha, Reinam Calheiros, Aécio neves e outros! será que estão tudo de rabo preso!

  8. Felipe Andrade disse:

    Engraçado que corte no salário dos políticos não tem nunca né. Se Diminuir o salário deles em 80% eles ainda saem ganhando mais de 5 mil reais.

  9. Anderson disse:

    Se tentarem fazer isso, vou fazer uma campanha pra deminuir pela metade o salario dos policos do brasil e acabar com tudo que é vantagem. O povo brasileiro tem que se unir e acabar com essa safadeza. O que vai ter de desempregado passando fome vai ficar na historia. Acorda brasil! Eles querem acabar com a popança do brasil almentado os impostos.

  10. Vitafer disse:

    Até agora não se falou em mexer nos privilégios dos Três Poderes…

  11. Áureo Ramos de Souza disse:

    Os programas eleitoreiros não foram de esmola foram roubados de nossos suor, dos nossos bolsos. Se seguissem minha opinião que noticio cortaria os cargos comissionados que são mais de 460 mil e também diminuiria os salários dos Deputados federai, Senadores, Ministros, cartão corporativo, viajem com dinheiro do próprio ganho, e acabaria com o horário político que não é grátis pois nós pagamos. O rombo está aí.

  12. Paulo disse:

    Concordo plenamente com o Roberto 1776,
    PROMETIDOS COM O POVO DO BRASIL DEVERÃO SER ELEITOS
    UM EXEMPLO AUSPICIOSO SERIA A ABDICAÇÃO DE PARTE DOS ALTOS SALÁRIOS DOS INDIGESTOS E INCOMPETENTES GESTORES PÚBLICOS A FAVOR DO EQUILÍBRIO DAS CONTAS NACIONAIS BRASILEIRAS

    REPUDIAMOS OS DESMANDOS DOS FINANCIAMENTOS EXTERNOS DE OBRAS EM DETRIMENTO DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA REQUERIDAS PELA NAÇÃO . PARODIANDO O BORIS CASOY ” ISSO É UMA VERGONHA !

  13. ney disse:

    Há se Deus me desse o poder absoluto e incondicional sobre este país por uma semana, com certeza conseguiria mudar a situação para melhor.

    E os benefícios dos três poderes serão cortados?

  14. Roberto1776 disse:

    Definitivamente é IRRESPONSABILIDADE fazer caridade com dinheiro dos outros, mas fazer caridade com dinheiro que não existe é LOUCURA DILMESCA-PETISTA-LULISTA.
    É pura insanidade, somada à irresponsabilidade de destruir a economia do pais que produz para manter programas eleitoreiros de esmolas que só enterram mais a economia do Brasil.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *