Início » Brasil » Cotas para negros no setor público levantam mais uma vez debate sobre a reserva de vagas
tendências e debates

Cotas para negros no setor público levantam mais uma vez debate sobre a reserva de vagas

A grande questão é se o sistema realmente é capaz de reduzir as desigualdades

Cotas para negros no setor público levantam mais uma vez debate sobre a reserva de vagas
Proposta prevê a reserva de 30% das cotas do serviço público aos negros (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Depois da implantação de cotas para negros nas universidades públicas, o sistema voltou a ser motivo de debate após a mídia divulgar que o governo federal estuda a adoção de reserva de vagas no funcionalismo público federal. O programa seria mais uma tentativa de implementar ações para corrigir desigualdades sociais e melhorar a vida da população negra.

Segundo o jornal “Folha de S.Paulo”, a medida é defendida pessoalmente pela presidente Dilma Rousseff. A expectativa é que o plano seja anunciado no final de novembro, quando se comemora o Dia da Consciência Negra (dia 20). A proposta inicial, de acordo com o periódico, prevê a reserva de 30% das cotas do serviço público aos negros, em cargos concursados ou comissionados.

O debate está concentrado na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). A assessoria de imprensa da pasta disse  ao Opinião e Notícia que as informações contidas na reportagem da “Folha de S.Paulo” não saíram do órgão e sim de outra fonte: “O que se pode dizer até o momento é que existe um Programa Nacional de Ações Afirmativas em estudo no Governo Federal, mas ele não está concluído”.

Independentemente dos termos da proposta, a grande questão é se a reserva de espaço no funcionalismo público ou nas universidades realmente geraria condições mais favoráveis aos negros. Os críticos sugerem que a política de cotas promete criar apenas mais uma distorção na máquina estatal brasileira. Há ainda grupos que afirmam que os defensores do sistema, na verdade, buscam o ingresso em universidades e empregos públicos.

“É curioso que se tente privilegiar o ingresso nos dois últimos passos do caminho profissional, em vez de tentar resolver as deficiências crônicas do ensino fundamental e médio – incapaz de garantir a igualdade de oportunidade tão preconizada pelos movimentos sociais. Será que seus integrantes aceitariam trocar as cotas raciais em universidades ou no serviço público por cotas sociais para crianças pobres nas melhores escolas no ensino fundamental ou médio? Se isso ocorresse, as crianças teriam tempo de aprender e, mais tarde, por seu próprio esforço e mérito, disputar vestibulares e concursos públicos sem precisar da garantia de preferência pela cor da pele”, defendeu a seção de Opinião da revista “Época”.

Já para diretor nacional de comunicação da União de Negros pela Igualdade (Unegro), Alexandre Braga, as cotas põem um freio no preconceito e ajudam a dinamizar a disputa “porque jogam para cima os membros dos grupos que sempre estiveram à margem da sociedade”. Ele defende que o governo amplie a inserção de negros no mercado de trabalho, “mas começando por si mesmo”:

“Queremos cotas principalmente nos cargos comissionados e naqueles de alto escalão, pois além de terem maior visibilidade na sociedade, são de livre nomeação, dependendo apenas de vontade política para a inclusão de negros. Hoje, provavelmente, temos apenas 5% de negros ocupando tais cargos. Ministros, temos apenas uma: Luiza Bairros”, diz ele, ressaltando que o sistema deva ser provisório por um período de 15 ou 20 anos.

O doutor em Sociologia Rogério Ferreira de Souza – professor e coordenador do Programa de Pós-graduação do Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro (Iuperj) –  também acredita no sistema de cotas, mas “desde que seja estabelecida uma política de médio e longo prazo, com metas a serem estabelecidas e cobradas”.

“A questão é: como resolver o problema urgente da desigualdade social? Não há uma maneira unilateral, são várias frentes. É no ensino básico, secundário e universitário concomitantemente. É no mercado de trabalho, nas instâncias culturais e legislativas. Se não for dessa forma, estaremos realimentando ad infinito o problema da desigualdade social brasileira”.

Souza questiona até que ponto o racismo é o fator primário na determinação da condição de classe no Brasil. “De que maneira o racismo reproduz e dá continuidade ao processo social de desclassificação social?”, questiona ele.

Segundo o professor, o debate sobre cotas vem sendo mal conduzido, com discussões maniqueístas: ou se é contra, ou se é a favor. Ele lembra que acabamos importando um modelo norte-americano de política de reparação e reconhecimento sem fazer as devidas interpretações socioculturais:

“A questão do racismo no Brasil não é similar ao racismo nos EUA. Faz-se necessário entender essa especificidade para depois criamos critérios valorativos. Por não fazermos isto, é que ainda insistimos nas perguntas se a cota é ou não direito, seja lá de quem for. Por falta de vigor teórica e metodológica, acabamos muitas vezes produzindo políticas públicas com forte viés populista e oportunista”.

 

Caro leitor,

Você é a favor ou contra à reserva de vagas para negros no serviço público federal? Por quê?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

51 Opiniões

  1. Markut disse:

    Esse despropósito, só contribuirá para exacerbar as desigualdades. Para um país como o nosso, com uma experi\ência maravilhosa de miscigenação espontânea, só cabe estabelecer o princípio básico e constitucional de oferta pelo Estado de igualdade de oportunidades, via escolaridade básica competente, para todos., independente da cor da pele, dos olhos , ou do cabelo.
    Essa estúpida invenção das cotas só serve para criar um racismo de sinal trocado, do negro contra o branco, camuflando de modo canhestro a enorme desigualdade social deste país, lastreada num cultura oligárquica, historicamente instalada e que só se exgotará gradualmente com o tempo e o surgimento da nova classe média emergente.

  2. André Luiz Duarte de Queiroz disse:

    Sou contra tal reserva de vagas para negros (ou qualquer outra etnia/grupo social), assim como também sou contra cotas para negros (ou qualquer outra etnia/grupo social) no ensino superior público. Considero isso medidas demagógicas, ‘eleitoreiras’, e de pouquíssima abrangência (quantos seriam os beneficiados, dentro do contingente populacional). Também receio que só reforçariam estereótipos e a discriminação contra as pessoas admitidas em tais circunstâncias — no convívio com seus colegas, seriam vistos invariavelmente como “aqueles que só entraram por conta das cotas”… ao invés de alcançarem suas posições por seus méritos. Para isso descambar no racismo mias explícito, pouco faltaria.

    Além disso, no caso do ensino superior público, um sistema de cotas para ingresso não garante que os beneficiados tenham bom aproveitamento acadêmico (ou por acaso haveria também um ‘sistema de cotas para conclusão de curso’?…). No funcionalismo público, poderia ser um motivador a mais para baixas produtividade e
    qualidade de serviços prestados (acredito que um ambiente profissional onde a meritocracia não é o fator determinante tenderá ao comodismo, seja lá a etnia ou origem social dos funcionários…)

    Como falado no artigo, a medida ‘afirmativa’ de inclusão social de maior eficácia é o investimento em educação fundamental pública de qualidade, universal! Isso sim, daria condições de desenvolvimento social/profissional para um contingente populacional muito maior, de forma muito mais democrática. Mas o Governo insiste em soluções imediatistas… O revés ideológico faz com que insistam até em que “2+2 = 5”!…

  3. ISRAEL PIRES BEZERRA disse:

    O leitor Andre Luiz se expressou muito bem!
    Ainda corroboro: assim, querem implantar o RACISMO no Brasil !
    Todos são iguais perante a Lei… e o ESTADO deve exercer o seu papel Constitucional promovendo a INFRAESTRUTURA ADEQUADA tanto no ENSINO como na SAÚDE como PRIORIDADE, isto sim, para compensar o DESCASO E INEFICIENCIA com que vem tratando dessas OBRIGAÇÕES ao longo de todo esse tempo, INCLUINDO o da gestão do famigerado PT e suas “cartilhas indecentes” jamais vistas em outra Sociedade!
    Os negros necessitam de tratamento IGUALITÁRIO e não DISCRIMINAÇÃO.
    TODOS tem capacidade de performar bem a partir de um ensino bem estruturado, QUANTO AO NEGRO, TEMOS UM FABULOSO EXEMPLO MESMO NA AUSENCIA DELE… RECENTEMENTE NA TRAJETÓRIA DO EMINENTE MINISTRO JOAQUIM BARBOSA !!! UM MARCO A FICAR NA NOSSA HISTÓRIA.

  4. wandereley f.silva disse:

    LEIAM O NAVIO NEGREIROS DO CASTRO ALVES ANTES DE TOMAREM POSIÇÃO. IMAGINEM O QUE FIZERAM E FAZEM COM ESTA ETNIA.. O NEGRO NO BRASIL SÓ SE AFIRMA NO ESPORTE E NA ARTE PORQUE LHE TEM SIDO NEGADA QUALQUER OPORTUNIDADE.
    A FAMA HIPÓCRITA DE PAÍS NÃO RACISTA SE DEVE AO FATO DE QUE O NEGRO NÃO DISPUTA ESPAÇO COM O BRANCO.–A NEGRITUDE ,ENTRETANTO PERFAZ 70% DE NOSSA POPULAÇÃO CARCERÁRIA.–AS NEGRAS FORMOSAS QUE AQUI CHEGARAM TIVERAM SEUS ROSTOS RETALHADOS PARA FICAREM ANIMALIZADOS.—.FORAM 400 ANOS DE HORROR.
    NESTES TERMOS CHEGA-SE ACHAR ADOLF HITLER GENEROSO PELO MENOR TEMPO DE SUA HEDIONDEZ.
    O QUE SE FIZER POR ESTA ETNIA AINDA SERÁ POUCO PARA SALDAR NOSSA HISTÓRICA CULPA.
    ATÉ AGORA O NEGRO SERVIU POR SER SUBALTERNO.
    O NOBRE MINISTRO JOAQUIM BARBOSA SERÁ NOMEADO PRESIDENTE DO NOVO BRASIL PELO POVO . SÓ NÃO SUBIRÁ A RAMPA DO ALVORADA SE NÃO QUISER

  5. João Cirino Gomes disse:

    Quem estudou em escola publica a uns quarenta anos atras, pode comprovar a diferença da mesma escola atualmente!

    Se os políticos brasileiro tivessem interesse em ter um povo culto e bem informado, as mudanças nãos seriam tão drásticas e tão negativa!

    Uma questão que comprova o interesse em manter a população inculta e desinformada, é a forma de eleição!

    As formulas atuais para se eleger um candidato deveria ser ensinada nas escolas; mas não são!

    E poucos sabem que o voto pertence ao partido e não ao candidato, e que depois das alianças entre partido; se o eleitor votar em A, ou B seu voto poderá eleger o C! Ou seja um candidato desconhecido, e até corrupto, que seja de um partido coligado ao do candidato que o eleitor escolheu!

    Depois a gente fica vendo aquelas tiradinhas, brasileiro merce o governo que tem, brasileiro não sabe votar, mas as vezes, até este piadista ajudou eleger um corrupto e não sabe!
    E sabe por qual motivo isso acontece? É simples os raposas velhas ganham muito bem, tem batreladas de mordomias, e vinte quatro horas para pensar e criar formulas para se manterem no poder,

    Quem acha que eles pretendem largar as tetas gordas da Nação, esta enganado!

    No Brasil falta é vergonha na cara, daqueles que se dizem nossos representantes!

    Olhem um exemplo!

    De Ricardo Ferraço (PMDB-ES), cujo relatório de reforma do Senado, com estudo de R$ 150 mil pela FGV, foi para o lixo: “O Senado na França custa R$ 1 bilhão. No Brasil, R$ 3 bilhões”.

    O povo precisa acabar com estas patifarias, ou continuaremos a viver a minguá, em um dos países mais ricos do mundo!

    Abaixo assinado pelo fim da imunidade

    peticaopublica.com.br/?pi=Janciron

  6. Afonso Schroeder disse:

    DIVIDA:
    Divida que temos com os negros é quase impagável, ainda bem que a grande maioria da sociedade em 2003 elegeu o ótimo ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (Lula) e atual presidente Dilma Rousseff, vem dando continuidade, que com a sensibilidade que teve e continua tendo, procurou buscar meios legislativos para que esta grande maioria da população brasileira começasse a ter um tratamento que lhes são devidos, chega de politicagem existia e existe nos dias atuais a discriminação, os ilustres que se acham tão entendidos que apontem aperfeiçoamentos técnicos legislativos, pois desde 13 de maio de 1888, que lhes foi conferida a liberdade pela lei Áurea pouco ou quase nada foi feito com bases da legalidade, até os dias, pois as formas e maneiras de escravizar continuam ou não… Oxalá que Deus de entendimento aos que só criticam, mas pouco fazem pela grande maioria negra.

  7. Greco disse:

    Dia da Consciência disso… dia da consciência daquilo, cotas, etc…
    Isso só acentua o preconceito. Se começarmos a fazer distinção por cor, etnias, etc…
    vai ficar difícil no Brasil, pois, temos
    Negros, brancos, índios, pardos, esverdeados (indianos), amarelos (chineses), etc…
    EEETA GOVERNINHO IGNORANTE. DÁ PRA CONCORDAR COM ESSA PRESEPADA?
    Tem que se melhorar as condições sociais das pessoas na base,
    para que possam prosseguir na vida por seus próprios méritos, afinal de contas o Brasil é um país de
    multi-diversidade racial. Se formos por esse caminho não sei onde iremos parar.

  8. ROSELI disse:

    Hum …….parece brincadeira. Feriado Consciência negra, Cota nas faculdades, cota de trabalho … A Constituição Federal, preve; racismo é proibido (ponto). Ou seja, todos somos iguais;raça etnias, cor etc. Agora, vem pessoas ma intensionada e desinformadas, achar que negro são diferentes em que; se todos correm sangue vermelho, não importa a cor ,o racismo esta imputido dentro da pessoa.

    Sou descendente de negro, pior parda, amarela, existe essa cor, tenho cabelo crespo, nariz achatado, mas não me faz diferente, começei trabalhar com 12 anos e continuo trabalhando, fiz faculdade, sou feliz, por conseguir as coisas com o meu proprio esforço, sem depender de ajudinha do governo para sobreviver.
    EXISTE ESFORÇO, DEIXA DE MÁ VONTADE.

  9. Carmen disse:

    Sou contra, pois se eles tem a mesma capacidade que uma pessoa branca, ou não?
    Se fosse assim o senhor ministro Joaquim Barbosa não teria chegado lá.
    Ao invés de o governo ficar privilegiando pessoas deveria investir mais na educação, principalmente na qualificação dos professores.
    Não acho justo uma pessoa se esforçar e estudar e ser prejudicada pelo fato de sua vaga ser destinada aos negros.
    Se eu fosse negra ficaria ofendida por ter tais privilégios, pois, se a nossa constituição diz que “todos somos iguais perante a lei”, então porque essa distinção de raças.

  10. Luiz Antonio Escaramuzi Garcia disse:

    O governo federal, desde a posse de Lulla, tenta implantar o racismo, de estado, incrível.

    Elle decretou que negros, pardos e índios são humanos inferiores, por isso precisam ser tutelados pelo estado. Assim fica mais fácil fugir da responsabilidade de melhoria do ensino em todos os níveis, mas principalmente no primeiro grau.
    O próprio governo publicou recentemente um artigo sobre a divisão das etnias em nosso país que apontam que os negros já são maioria, com 51% da população.

    Pessoalmente acho ultrajante dividir pessoas pela cor da pele, para mim são todos brasileiros, que tem os mesmo direitos que tenho. Para ter sucesso, como apregoa Lulla e seus comensais, basta ser branco, trata-se de uma lógica rasteira e cheia de más intenções. O que Elle quer é que as tais classes sociais, divididas ai por etnias e opções religiosas, se digladiem, se enfrentem, sempre com a participação do estado petista publicando novas leis que distanciem ainda mais as pessoas, isso é que sabe fazer, e muito bem, os ideólogos marxistas e comunistas, dividindo o povo seu controle é mais eficiente.

    O que me impressiona mais são os fanáticos, ais de todas as cores e ideologias, que acabam por fazer o serviço sujo da nomemklatura petista. E por mais surreal que possa parecer Elles ainda inventam feriados para a tal consciência negra, os tais líderes afro, espertalhões, já perceberam, que assim como Lulla sempre viveu de escaramuças, e por isso tornou-se bilionário, eles seguem o mesmo padrão, usam “seus irmãos” como massa de manobra.

    Até o STF entrou na baila, aprovando leis que ferem nossa carta magna, adotando as tais cotas raciais. Já tem alemão de olhos azuis se declarando pardo para poder tomar o lugar, na universidade sem fazer força, de um branquelo pobre que estou, sempre em escolas públicas, como um alucinado, mas na hora da matrícula, descobre que ele não foi beneficiado pela constituição paralela de Lulla.

    Não aguento mais a verborragia dos tais líderes afro, que em sua lenga-lenga de sempre de que são perseguidos por serem negros e pobres. E os pobres brancos, como ficam? Eles são untados com as benesses galácticas? Caso estes agitadores afro não saibam, não custa nada informar, o planeta é africano, a origem do ser humano se deu na África central, tenho eu, portanto, os mesmo direitos, que estes agitadores demagogos e sem caráter, que os que eles chamam de afrodescendentes.

    O racismo é a arma dos covardes.

    Sem um sistema de ensino de qualidade que permita a todos os brasileiros as mesmas possibilidades, jamais teremos que editar leis oportunistas, demagógicas, apenas, com fins eleitoreiros para manter a sanha de poder sem limites, com viés autoritário e ditatorial, de um grupelho político formado por gente de baixo extrato moral.

    Nem com as mais modernas técnicas que decifraram nosso código genético, é possível estabelecer qualquer diferença genética dos seres humanos, sejam eles, negros, pardos, mulatos, mamelucos, índios ou qualquer de suas miscigenações, porém, aqui no Brasil, descobrimos em 2002 o maior geneticista do planeta, Lulla, que com sua genética política deformada, espúria e divisionista declarou que negros, índios e pardos são geneticamente inferiores,
    necessitando, portanto, a tutela do estado petista. Como lobos famintos, os líderes desta “classes”, que aceitaram a condição de brasileiros inferiores, distorcem, ainda, mais as nefastas leis petistas, mas, acho eu, apenas para ganhos pessoais.

    O maior problema de nosso povo é a ignorância, que lhes é determinada pela falência, proposital, do estado e seu corpo político, que impedem o desenvolvimento pleno de nosso povo, já que lhe é negado acesso ao ensino de qualidade. Usam com maestria a ganância dos ricos e obesos donos dos canais de televisão, que são outorga pública, que se vendem aos donos do poder, do momento, e à eles prestam todos os “serviços” solicitados, querem provas? Os inúteis e pocotizantes BBB’s bastam? Mas tem mais, muito mais, como as novelas, também inúteis, que de arte dramática não tem mais nada, e isso há tempos, se prestam para difundir as leis de Gérson.

    Quem sabe consigamos implantar cotas, mas de escolas de primeiro e segundo graus em todas as regiões deste imenso país. Isso é eficiente e agregador.

    O povo não quer ser tutelado, quer melhores condições para desenvolverem seu trabalho e ganhar seu sustento com dignidade.

  11. Samuel disse:

    Concordo plenamente com as três opiniões anteriores. E gostaria de perguntar: o brilhante, competente e destemido Joaquim Barbosa estudou por meio de quotas e chegou ao ponto em que está também por meio delas? Ele teve uma infância e adolescência sofridas, como milhões de brasileiros de todas as cores e matizes e chegou ao ápice da carreira. Isso se chama mérito!
    Realmente, é perigoso que certas medidas governamentais acabem por fomentar um racismo descarado, que nunca tivemos. Não somos um povo composto das raças branca, negra e vermelha, mas o povo brasileiro, de um só coração e uma só alma, perfeitamente miscigenado.

  12. IVALDO disse:

    O Brasil terá que importar mão de obra especializada, tamanha é a precariedade de formação. Em entrevista à GolboNews o min Mantega reconhece a queda de competitividade das empresas brasileiras, mas se ateve ou responsabilizou o problema pela grande burocracia enfrentada pelo setor, que preocupa-se em agilizá-la.

    Um país se faz competitivo pela eficiência de suas empresas e não pelo tamanho da sua máquina estatal, ainda mais se esta também não faz jus à demanda de seus desafios.

    Como ilustração, vemos, por exemplo, a Petrobrás, que nunca precisou do governo e sempre foi motivo de orgunho nacional e reconhecimento mundial de sua eficiência e knowhow, apresentando quedas sucessivas de suas ações.
    Concomitantemente, salvo engano, tem sido penalizada por rombos sucessivos ocasionados por gestão fraudulenta desde 2005, portanto, início do governo Lula (caso envolvendo Sílvio Pereira-GDK e Camargo Correa), que implicaram em custos para a estatal da ordem de mais de bilhão; outro de maior monta pelo governo boliviano, adonando-se de instalações da empresa no país vizinho com contrato assinado por governos eleitos.

    Então, no que se refere à qualidade dos recursos humanos, simplesmente querer resolver um problema de competência de valor com adoção de medida que não contempla o mérito das pessoas, mas por visão meramente paternalista é sabido que não irá nos colocar em condições de páreo na economia mundial. A Alemanha, devastada pelas duas grandes guerras, não se reconstruiu duas vezes em setenta anos com visão semelhante, muito menos mobilizando população com as tais bolsas.

    Pessoalmente, e como já foi falado por muitos, bolsas e cotas surge como desespero de compra de votos.

    En passant, o ministro Joaquim Barbosa, como o Brasil já tem conhecimento, filho de pedreiro e mãe lavadeira, trabalhou em faxina de órgãos públicos, possui domínio fluente de quatro idiomas, doutorado na França, não se formou pelo sistema de cotas. Parabéns ministro!

    Um país se faz competitivo pela eficiência de suas empresas e não pelo tamanho da sua máquina estatal, ainda mais se esta também não faz jus à demanda de seus desafios.

  13. I.Sasaya disse:

    Sou totalmente contra quaisquer privilégios. O que vale é incentivar meritocracia em todos os setores e para todos. O governo, em lugar de ficar cogitando tais medidas para esconder sua incompetência, que nomeie indivíduos realmente capazes para melhorar a educação para todos, incentivando, aí sim, com toda assistência para os menos favorecidos para que possam frequentar escolas públicas. Escolas públicas com professores dedicados e bem preparados e bem remunerados, com dedicação exclusiva. Os bons exemplos que os negros devem seguir estão aí, o Excelentíssimo Sr Ministro Joaquim Barbosa e Uma juíza negra da Bahia e muitos outros, basta esforço, em vez de ficarem cobrando benefícios que outras raças que estão na miséria não tem. Sou filho de imigrantes e na época da II guerra mundial, os nossos familiares perderam tudo, isto é, foram confiscados e ainda os comerciantes ficaram proibidos de venderem os artigos essenciais, tais como, sal, açúcar e correlatos de primeira necessidade. O nosso adoçante era cana de açúcar esprimida que havia no quintal. Além disso, as nossas casas eram apedrejadas e quando saíamos na rua éramos frequentemente agredidos. Nem por isso ,nunca ninguém reclamou ou reinvidicou a retratação ou reintegração/devolução do que fora confiscado. Com união e cooperação de todos, sobretudo com muito esforço, hoje somos muito bem conceituados e nossos filhos e netos diplomaram-se nos diversos cursos superiores com mérito, sem necessidade de cotas ou privilégios. ACORDA BRASIL (POLÍTICOS/AUTORIDADES) !

  14. nadabe machado disse:

    Sou a favor das cotas! E concordo com o autor quando ele coloca que seria mais correto trocar as cotas por investimento na edução básica. Acredito sim, que o negro, o pardo, no Br, e principalmente no RS, é rejeitado, muitas das vezes, sendo colocado nas margens da sociedade, não oportunizando educação de qualidade. Por essa falha, essas pessoas,, nós, os mistos, como somos chamados, precisamos que alguem nos empurre, nos dê a chave, para alcançarmos essa igualdade que não existe.

  15. leidy santos disse:

    SOU TOTALMENTE CONTRÁRIA À RESERVA DE VAGAS.
    AÍ SIM, ELES (OS GOVERNANTES) ESTÃO COM RACISMO. ACHAM QUE OS NEGROS NÃO TÊEM CAPACIDADE DE ASSIMILAREM O QUE ESTUDAM PARA SEREM BEM SUCEDIDOS NAS PROVAS FINAIS.
    PERGUNTEM SE O NOSSO GRANDE MINISTRO JOAQUIM BARBOSA PRECISOU DE ALGUMA COTA DESSES GOVERNANTES CRÁPULAS PARA GALGAR AS FUNÇÕES HONROSAS QUE EXERCE COM MUITA CAPACIDADE E HONRADES???
    DESTESTO ESSA POLÍTICA SUJA E FINGIDA QUE SE INSTALOU AQUI NO NOSSO BRASIL.

  16. Lívia Helena disse:

    Acho que o que deve ser distribuido não são cotas reservadas para negors e sim ensino fundamental e médio de boa qualidade, Os patrões devem valorizar o trabalho de seus funcionários, seja ele qual for. E tem que haver mudança na mentalidade dos brasileiros quanto nossa herança colonial/escravista, que nos coloca nos extremos dominadores/dominados.

  17. Áureo Ramos de Souza disse:

    Sou contra pois isto demonstra que existe preconceito racial no Brasil e pelo que sei somos todos descendentes de negro portanto somos todos negros, uns escuros e outros mais claros e tem até os pardos, na verdade somos misturados e os que criaram isto são uns M…..Vejam que abaixo o amigo Wanderley explica com mais detalhes.

  18. Ronaldo Simões disse:

    Totalmente a favor de cotas para negros,pois infelizmente existem cotas para não negros que chegam ao absurdo de quase que 100%, em cargos comissionado(livre provimento), no Estado deSã Paulo onde a população de negros chega a 1/3 da população,temos a invisibilidade perversa contra os negros em quase todos os setores(quando se diz respeito a cargos comissionados/livre provimento,os negros somente aparecem em propaganda quando a sua visibilidade nas peças que buscam voto abundante sem quase nenhum custo no seio desse segmento,quando se ajuda a eleger deve-se ajudar a governar, o que, infelizmente, é quase que ignorado pelos vencedores, em quase meia duzia de cargos importantes do futuro Governo da cidade deSão Paulo, anunciado,não se tem negros ou negras
    quando se chegar acargos de menor importância ou que se tenha quesito cor, o negro será chamado e, estara sempre presente onde se tem migalhas. O Ministro Joaquim Barbosa é uma exceção, por descuido,caso soubessem que ele iria exercer plenamente a sua função:com ética,moral e competência,jamais teriam proposto seu nome. Os negros são sérios, honestos, profissionais poderão dar exemplo de ombridade, honestidade, respeito,competência,moralidade a coisa pública,precisando apenas de uma oportunidade de concorrerem com as mesmas armas sem protecionismo para um so lado, acreditem se isto acontecer o Brasil começara a virar a página elameada da corrupção do tomaládacá . Alguns comentários,infelizmente denotam um desconhecimento da máquina pública,seja ela Federal,Estadual ou Municipal,antes de comentar sobre qualquer assunto deveriam no minimo se informarem sobre a que se refere, quem sabe não estariamos no julgo de governantes, não quero um Joaquim Barbosa,mas milhares e, em diversos setores da sociedade a população negra édequase 53% do total da população brasileira,a sua representação é pífia,seja na area publica e mesmo na privada.

  19. ISAAC J. A. CARMO disse:

    Dizer que negro neste País não sofre preconceito é uma inverdade, e por isso eu sou favorável ao sistema de quotas, como política afirmativa transitória, como mecanismo de aceleração rumo ao tão invocado princípio de igualdade constitucional. Para um País que importou mais de 5.000.000 de negros da África para o trabalho forçado, nada melhor do que fazer esse resgate meio que na marra, porque esperar q1ue isso aconteça naturalmente, olha, acho que pode durar mais uns quinhentos anos. Portanto, parabéns ao Lula que teve essa iniciativa e a Dilma deseja aprimorá-la.

  20. Ivo disse:

    Entrar em uma universidade ou cargo público através de cotas, é entrar de forma diferente, não tradicional, esse fato por si só já não é discriminatório? A partir do ponto de corte, onde começam as cotas, não há discriminação dos que ficaram de fora, com notas superiores aos cotistas, sejam eles brancos, azuis o que cor seja? O que pode ser vislumbrado nas cotas é um comodismo do governo, que se isenta de melhorar o sistema educacional como um todo e faz a “sua parte”, e um oportunismo de quem se diz discriminado e usa isso como muleta. Se o indivíduo não foi capaz de atingir índice de aprovação em vestibular, é porque não tem conhecimento necessário para tal, inicia o curso, mas terá condições de acompanhar o restante da turma? Que profissional sairá desse curso, que muitas vezes é também medíocre?

  21. Mauricio Fernandez disse:

    SOU CONTRA QUALQUER TIPO DE COTAS, RESERVAS PARA ETNIAS OU SEJA LÁ O NOME QUE SE DER. NÃO PASSA DE UM ENGODO E MAIS UMA AÇÃO VERGONHOSA DE UM PAIS RACISTA COMO O BRASIL. QUE SE PAGUE PELOS CRIMES COMETIDOS CONTRA OS NEGROS E QUE SÃO COMETIDOS ATÉ OS DIAS DE HOJE. QUE SE PAGUE ÉSSA ENORME DÍVIDA. E QUE SE PARE DE INSUFLAR O RACISMO COM NOVELAS DE ÉPOCA E SENTENÇAS JUDICIAIS QUE NUNCA ENCONTRAM RACISMO EM ATOS CLAROS. DESAFIO QUEM POSSA AFIRMAR O CONTRÁRIO. COTAS NO SERVIÇO PÚBLICO, BERÇO DA SOBERANIA DAS ELITES SÓ NA CABEÇA DOS IMBECIS QUE FAZEM O QUE BEM ENTENDEM COM O POVO DE UM PAIS.

  22. EDILSON SOBRAL DE MORAIS disse:

    Não sou adepto de reservas de cotas para negros, índios,etc. Sou apenas favorável para os deficientes. Isso porque acho que todos os seres humanos tem inteligência e devem demostrar serem capazes de exercer seu direito à cidadania, sem proteção do Estado como se fossem incapazes, menos inteligentes que os brancos. Isso sim é que é um atestado público de incapacidade se todos estudam para poderem concorrer em igualdade de condições. Essa invenção de Cotas é que dever ser tomada como um ato discriminatório contra os negros, índios e outros seres humanos. E onde fica o princípio constitucional que todos são iguais perante a lei? E aqueles que conseguem notas superiores aos cotistas? O que deve ser deles?

  23. renata m disse:

    isso e ridiculo sou negra e nao sou burra consigo conquistar meu espaço na sociedade sem que me questione se estou la pela capacidade ou pela caridade!

  24. tati disse:

    sou, com toda certeza, a favor.. afinal, sendo negro, branco, azul ou o q for, somos todos iguais, e devemos todos ter o msm direito em tudo..!

  25. Fernando João da Silva disse:

    É preciso acabar com este conceito de que negro não é igual ao branco. As políticas sociais devem estar voltadas para a valorização de ambos, com uma educação eficiente e direcionadas a todos, principalmente no ensino fundamental e médio, dando condições de igualdade para a disputa de mercado.

  26. ADRIANO TOLEDO disse:

    Lamento que o menino pobre do baiiro, branco, não poderá ter sua cota de negro ou de índio. Será sim um discriminado pelo Estado de Cotas.

  27. Ronaldo Oliveira disse:

    Atualmente sou empresário. Não sei se nos próximos anos continuarei a sê-lo, porém, se continuar com minha empresa nos próximos anos, isto é, depois de saírem graduados aqueles que hoje entraram nas Universidades pelo “sistema de cotas”, e necessitar contratar alguém que possua grau universitário, com certeza tentarei saber se o mesmo se beneficiou deste tal “sistema” atual. Se o candidato utilizou, creio que direi ao mesmo que a vaga já não está mais disponível. Não sou obrigado a contratá-lo, portanto… pensem o que quiser! OBSERVAÇÃO: Sou branco, mas NÃO sou racista! Sou casado com negra há 35 anos, e amo minha esposa! Nossos filhos são todos formados (2 Médicos, e 2 Cirurgiões Dentistas), e não entraram na Universidade por “cotas raciais”!!!!!!

  28. Rudy Lang disse:

    Estou mais interessado em saber quando serão estabelecidas as cotas para descendentes de europeus.
    Acho que deve haver cotas para todo o mundo.
    Sugiro cota de 50% para os descendentes de europeus, 30 para os afro-brasileiros e 20 para resto da população.
    Outra opção seria não fazer discriminação racial.

  29. Mauricio Fernandez disse:

    Rudy Lang, concordo plenamente contigo quanto a cota de 50% para os descendentes de europeus. Discordo dos 30 % para os negros que assim, são colocados perante a sociedade brasileira como parvos e incapazes. Sugiro que os governantes tomem vergonha na cara e paguem aos negros pela escravidão a que foram submetidos a aos horrores que sofrem ainda nos dias de hoje por parte de toda a sociedade brasileira que é racista por natureza de suas próprias horigens. Pergunto, se a incompetência hipócrita e escravagista governamental – não só quanto ao negro hoje, resolvesse, dar meio pau de fósforo para determinado segmento, se teríamos reação diferente por parte da sociedade? A resposta é não. Além do mais, racismo não existe no Brasil pelo menos é o que demonstram os entendimentos do judiciário quando de suas sentenças.

  30. Joaquim Pedro disse:

    Sou contra a reserva de vagas para negros em universidades e no serviço público, porque não é justo que o negro com um mau desenvolvimento educacional ingresse em qualquer órgão sem as condicões mínimas de conhecimento para desempenhar um bom trabalho na vida social.
    Não consigo entender porque tem brasileiros que são a favor destas cotas. O nosso Governo tem que melhorar a educação no país, permitindo que o negro entre com méritos nas áreas que ele escolher.
    Se estas cotas persistirem, os negros oriundos de escolas públicas entrarão nas universidades, mas delas não sairão, e ainda serão discriminados durante sua formação. Caso consigam concluir o curso susperior serão péssimos profissionais, pois terão deficiencias na base (ensino fundamental e médio).
    Precisamos que o Governo seja competente para corrigir o que está errado, e não fique pensando em planos eleitoreiros, que não trazem nehuma melhora para o povo brasileiro.

  31. Wagner Lima disse:

    Se você passa num Concurso Público, tem de ser por mérito seu e não por cotas, e fim de papo! Totalmente contra cotas.

  32. Alex Baoli disse:

    Bom alguém aqui apelou até para o caráter de isonomia pelo fato de sermos “filhos do mesmo pai”. E como justificar o (des)tratamento histórico e atual aplicado aos negros??? / Outro diz: “E como definir a cor da pele nesse país marcado pela miscigenação???”… A polícia sabe distinguir bem direitinho quem é branco e quem é preto, ao subir o morro e dar o “baculejo”. Cotas para negros no funcionalismo público sim!!! E não tem essa de dizer que o negro vai se sentir “incapaz”. O Estado e esse modelo de sociedade são os principais atores dessa tentativa de “incapacitação” da população negra… Sou a favor do ensino básico de qualidade, mas como isso soa como uma utopia, me afirmo totalmente a favor das cotas. Como uma medida provisória (expressão muito gasta na história desse país) e reparadora. “Todos têm direitos iguais indepoendente de cotas.” Filha, vc mora no Brasil??? Certamente está destituída de memória e senso crítico. Recobre-os… Se todos são iguais, pq tratá-los, há tanto tempo, de maneira desigual??? Há cada ARG!umento por aqui…

  33. Sandra disse:

    Absurdo!Coloca em questão os concursos públicos, para que servem afinal se alguns entram pela porta “da cozinha”?

  34. Afonso Schroeder disse:

    É notório o desconforto de poucos, pior que ainda sonham por retrocessos políticos e econômicos, a grande maioria da sociedade precisou eleger em 2003 um estadista impar como Luis Inácio Lula da Silva (Lula), para criar mecanismos de igualdade, aonde à presidente Dilma Rousseff vêm através de mecanismos legislativos legais buscando aprimoramento desta camada da sociedade, que por sinal é a maioria do povo brasileiro.

  35. Otyacio de Andrade disse:

    É sempre a mesma cantilhena, toda vez que se fala das ações afirmativas no Brasil, principalmente das cotas para os negros.É a voz defensora do status quo racista, através de pessoas e órgãos de comunicação, que não têm coragem de mostrar a cara e passam a usar de falsos argumentos, como se verdades fossem: “as cotas gerariam condições mais favoráveis aos negros?”,etc , gente que nunca botou os pés em escola pública a dizer que a solução é o ensino público, sem saber que o ensino público bom já existiu e não conseguiu combater as discriminações em nada; é profissional de Matemática, Medicina, e outros decretando que as cotas para os negros são inconstitucionais, etc.Prova de que se trata Ade cinismo ou mesmo do racismo: Ninguém, ninguém, mesmo,levantou ou levanta a voz contra as demais cotas brasileiras. As cotas do embraquecimento da população brasileira, as cotas das mulheres nos partidos políticos, as cotas dos deficientes, as cotas dos empregados brasileiros, na iniciciativa privada, a cota do boi (filhos de fazendeiros entrano sem vestibulares nos cursos agrícolas (engenharia, veterinária, zotequinia, agronomia, engenharia florestal, etc).
    A verdade é simples. Ninguém é contra as cotas, algumas pessoas são, isto sim, contra os negros.Claro que os negros perdem com a discriminação, mas quem perde mais é a nação, que não pode contar com a totalidade dos seus filhos, atuando em todos os níveis e profissões, disperdiçando muito, muitos talentos.

  36. Otyacio de Andrade disse:

    No comentário anaterior, onde se lê otyacio de Andrade. leia-se Otacio de Andrade

  37. Osias Nery disse:

    Acho uma imbecilidade, não para quem se beneficia de cotas, mas para quem cria. Cotas é discriminação com premiação ao discriminado.

  38. de saco cheio disse:

    1 – população negra é 7% da população
    2 – no caso então, os índios teriam alguma cota
    3 – como fica o atendimento aos branquelos maioria, estão querendo criar situação do negro descontar todo recalque pela escravidão que foi a 124 ou isso saiu da mente de politico petista

  39. Abrahão disse:

    Cada vez escravizamos mais os negros,pois essas leis estão demonstrando a incapacidade dos negros atingirem às universidades.Penso que se não tiveram capacidade de entrarem como vestibulandos comuns,carregarão esse complexo pelo resto da vida e serão uns profissionais mediocres e complexados,pois entraram de carona.Isso é uma coisa muito ruim para um profissional

  40. Jorge disse:

    No livro “Guia politicamente incorreto da história do Brasil”, o autor, baseado em pesquisas de historiadores isentos, afirma que: Principes de reinos africanos estudaram em nossos conventos durante o período colonial. E especula se não teriam viajado nos rotulados navios negreiros, trazendo para o Brasil, os escravos, obviamente que de outras tribos.
    :::
    Já imaginaram se um nobre português antes de vir ao Brasil para tomar posse de uma fazenda, passasse antes por um reino africano para contratar feitores africanos e comprar escravos.
    :::
    Se a esquerda brasileira comprou a idéia estadunidense de cotas raciais, foi, antes de mais nada, para ocupar um espaço vazio (mais um) deixado por políticos conservadores. Infelizmente agora “pagamos o pato”.
    :::
    Não vai dar certo. Quem propôs a idéia, tem um histórico de manipular dados, vide o caso das mortes por aborto clandestino, parada gay na Av. Paulista, etc. Mas quem disse que os esquerdopatas querem resolver problemas. Eles só querem é usar os problemas para fins eleitoreiros. Isso o Lula aprendeu bem com o Zé Sarney.

  41. OZENI DA SILVA REIS disse:

    Induscutivelmente, a cota para negros e pardos no serviço público federal é muito bem-vinda. O Brasil está devolvendo um poquinho dos privilégios que os brancos sempre tiveram. É a democracia de fato e de direito

  42. selma disse:

    Não sou a favor porque concordo que seja uma medida populista e oportunista. O que eu esperava de um governo que se dizia comprometido com as questões sociais era um investimento significativo na educação básica, pois só através de uma boa educação é que as questões sociais/raciais se transformariam.
    Os movimentos negros não cobram do governo uma educação de qualidade; não cobram de si mesmos um posionamento político frente as políticas educacionais do Estado que estão “marginalizando” os negros nos subúrbios, nas favelas, nas periferias. Querem ir por outro viés, o do merecimento oportuno, que provavelmente será para um número muito reduzido de negros e, ainda, para aqueles mais engajados.

  43. Mauricio Fernandez disse:

    Senhor OTACIO DE ANDRADE, sua opinião consolida as razões que me levam ser contra qualquer tipo de cotas. Já temos cotas demais nesse país que historicamente beneficiam somente aos não negros. Disso ninguém fala ou arrisca um palpite imbecil. Fico feliz pelo seu comentário amparado na verdade e que desnuda o viés racista da maior parte do aqui dito. Por outro lado, como se humano, me envergonho ante comentários tão horrendos e revestidos de caolha intelectualidade como o do Senhor Jorge, sobre o politicamente incorreto da história “baseados em pesquisas de historiadores isentos” – um absurdo! Como de igual forma me entristece as afirmações da Senhora Sandra que arremata seu comentário perguntando “afinal se alguns entram pela porta da cozinha”, nada mais discriminador, racista e escravagista. Se tal não bastasse, um Senhor (a), que se intitula “de saco cheio” desconhecedor de estatísticas e humanidade, atribui a “recalques” os reflexos do que de pior pode ser imposto a um ser humano, achando correto então, que pelo simples fato de pertencer ao passado os hediondos crimes contra a raça negra não passam hoje de “fricotes” sob qual pretexto reivindicam regalias – um horror. E assim Senhor OTACIO DE ANDRADE eu poderia ficar aqui examinando caso a caso de emperdenido racismo exposto e viceralmente aberto que atestam de forma irretorquivel que nosso país é racista e se recusa de forma vil a discutir a devida indenização pelos danos sofridos, dívida por herança de todo um povo de raiz escravagista. Calem-se os racista e coloquem as bolsas e carteiras sobre a mesa para então podermos começar a falar e construir algo de forma real extirpando-se os subterfugios idiotas e hipócritas que somente mantem as bases da escravidão.

  44. Tobe disse:

    Como diria o imperador , D. Pedro segundo ao visitar uma determinada repartição publica , onde estão os afro-descendentes, não vi nenhum . Temos de mudar isso!

  45. Sandra disse:

    Senso de humor não faz mal a ninguém (ainda que seja humor negro!), ao contrário, faz a vida ficar mais leve. Abomino e repudio veementemente qualquer tipo de preconceito : racial, social, religioso e sexual.Isso dito, sou totalmente contrária às cotas, pois não existe nada mais preconceituoso do que essas cotas.

  46. garibalde antonio da silva disse:

    a diferença é tão grande que nos não conseguimos avançar e alcançar patamar nenhum, só assim com programas arrojados como esse, iniciado no governo do presidente Lula e tendo continuidade com a presidenta Dilma. Pois tem tudo para dar certo, e os negros preparados para ajudar na reconstrução de nosso Brasil.

  47. Mauricio Fernandez disse:

    Senhor Garibalde Antonio da Silva com absoluta certeza a diferença é enorme, descomunal. Um enorme abismo separa os negros brasileiros, nem todos, não se impressione com a mídia racista que fomenta as novelas de época, como afirmava, um enorme abismo separa uma raça da dignidade roubada. Para resolver isso o ex presidente Lula colaborou com uma pá de areia e a “presidenta” Dilma com outra para facilitar a travessia. Os efeitos podemos observar bem nas opiniões aqui postadas.

  48. Rosana Lanzelotte disse:

    O pior e a nossa Ministra da Cultura querendo estabelecer cota para a criatividade negra

  49. ailton da cunha coutinho disse:

    as cotas de universidades é uma maneira do governo transferir paraestas instituições o dever do estado que é melhoria do ensino médio e primeiro grau além do superior . Ele na verdade deveria combater a desigualdade social , mas a cota deve ser melhor aperfeiçoada e trabalhada por percentuais da população brasileira .
    Quanto a cota do serviço público é uma lei racista ,pois a competência não se mede pela cor , me envergonho dessa coisa que parece algo de pessoa preguiçosa e incompetente tem cara de esmola . Nenhuma etnia brasileira precisa deste pistolão nepotista . Te ensina a pescar , lhe fornece o anzol, o barco , o oceano tudo que precisa para pescar . E ainda fornece o peixe, tenha paciência .Que absurdo . Infelizmente os políticos não procuram a razão e a justiça e sim o voto . Qualquer etnia deve-se se sentir envergonhado com isso , afinal isto fere com a dignidade de qualquer raça.
    esta lei creio que é inconstitucional

  50. Clarice Mesquita disse:

    Sou NEGRA e sou CONTRA A COTA PARA NEGROS EM CONCURSO PÚBLICO. Na miha opinião o concurso público é a forma mais democrática de acesso a uma colocação profissional! Nós negros já temos que provar todos os dias que somos tão eficientes quanto os brancos para sermos respeitados, imagine como ficará nossa situação se aprovarem esta forma de acesso ao serviço público. Com certeza seremos mais discriminados. Devemos lutar por uma educação pública de qualidade e lutar pelo bem comum. Também dvemos lutar pela implantação de uma política de planejamento familiar, onde as crianças (brancas e negras) sejam geradas com responsabilidade, materna e principalmente paterna, diferente do que vemos hoje em dia, em que os homens fazem filhos, não assumem e deixar na mão das mães adolescentes que também são imaturas !!!

  51. vera lucia disse:

    sou a favor das cotas,não acho que isso seja racismo,divisão,preconceito ou coisa parecida,Não é de hoje que existe o racismo,por isso houve a libertação dos escravos,não é a cota que vai fazer diferença em uma sociedade que respira preconceitos,pelo contrario,se hoje negros tem chances de entrar em uma universidade ou concurso publico pela cota, disso seria uma oportunidade que seu filho teria de ter um futuro diferente,pela melhor condições de seu pai,e talvez amanhã seu filho não precise de cotas,pôs seu pai hoje bem empregado lhe daria melhores condições de estudo no futuro.!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *