Início » Brasil » Crânio de Luzia é encontrado em escombros do Museu Nacional
ENCONTRADO EM BOM ESTADO

Crânio de Luzia é encontrado em escombros do Museu Nacional

Fóssil mais antigo das Américas foi encontrado e 80% dos fragmentos já foram identificados pelos cientistas

Crânio de Luzia é encontrado em escombros do Museu Nacional
O fóssil de Luzia foi encontrado na década de 1970, em Minas Gerais (Foto: Wikimedia)

As equipes de buscas do Museu Nacional, que pegou fogo no dia 2 de setembro, encontraram o crânio de Luzia, o fóssil mais antigo das Américas. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 19, pela professora Claudia Carvalho, uma das responsáveis pelas buscas.

De acordo com os pesquisadores, o fóssil foi encontrado em melhores condições do que o esperado, e será possível a sua restauração. Apesar de fragmentado, as equipes de busca já identificaram 80% das partes do crânio. Segundo os técnicos, foram encontrados pedaços da parte frontal, lateral, ossos mais resistentes e o fragmento de um fêmur que também pertencia ao fóssil de Luzia.

“O crânio foi encontrado fragmentado. Já achamos praticamente todo o crânio e 80% dos fragmentos já foram identificados e podemos aumentar esse número”, afirmou o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, segundo noticiou o portal G1.

Segundo os cientistas, a reconstrução do crânio será possível. No entanto, ainda depende do repasse de verba do governo federal para que o laboratório do museu seja reaberto. O Museu Nacional é gerido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e está localizado na Quinta da Boa Vista, na zona norte do Rio.

Claudia Carvalho explicou ainda que o fato de Luzia ficar em um lugar diferente do acervo, justamente para que sua retirada fosse mais rápida, em caso de necessidade, permitiu que o mesmo estivesse em melhores condições do que o esperado. “Estava dentro de um armário e de uma caixa de metal”, disse Carvalho.

De acordo com Kellner, as buscas ainda estão em uma fase inicial, de escoramento, e ainda não começaram oficialmente. Mesmo assim, sem dar muitos detalhes, o diretor do museu afirmou que outros itens sob os escombros já foram encontrados. O trabalho de buscas deve durar, no total, 150 dias.

“Precisamos fazer uma restauração e precisamos de casa para ela. Estamos lutando no Congresso Nacional pelo orçamento. É um trabalho de tempo e de recursos. Vai demorar muito tempo para fazer isso porque é milimétrico”, destacou Kellner ao portal Uol.

Mais atenção

Em uma carta aberta aos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), Alexander Kellner apontou o descaso com o Museu Nacional, destacou que o trabalho de investigação deve ficar a cargo das autoridades e o que o importante agora é a reestruturação, reconstrução e maior atenção com o prédio do Museu Nacional, ao qual refere-se como “um dos berços da nação brasileira”.

“Apelamos para que V. Sas. se comprometam com a reconstrução do Museu Nacional! Para isso é fundamental que no orçamento a ser votado ainda neste ano haja uma verba substancial destinada ao Museu e um compromisso com que a mesma não seja contingenciada, como, infelizmente, ocorreu no passado recente. Essa responsabilidade compartilhada entre a Instituição e V.Sas. é imperativa para que possamos devolver um novo Museu Nacional para a sociedade brasileira”, escreveu o diretor.

 

Leia também: Reconstrução do Museu Nacional custará até R$ 100 milhões
Leia também: Museu Nacional pode demorar dez anos para ser reconstruído
Leia também: Incêndio destruiu cerca de 90% do acervo do Museu Nacional

 

Fontes:
G1-Fóssil de Luzia é encontrado nos escombros do Museu Nacional, dizem pesquisadores
Uol-Museu Nacional resgata crânio de Luzia quebrado e identifica 80% das partes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *