Início » Brasil » Criminalização do aborto é apoiada por metade dos brasileiros
PESQUISA INÉDITA

Criminalização do aborto é apoiada por metade dos brasileiros

Pesquisa revelou também que 45% dos brasileiros afirmam conhecer pelo menos uma mulher que já realizou um aborto

Criminalização do aborto é apoiada por metade dos brasileiros
Mulheres durante protesto no Rio pela legalização do aborto (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Uma pesquisa inédita realizada pelo Instituto Locomotiva e Instituto Patrícia Galvão divulgada nesta segunda-feira, 4, revelou que metade dos brasileiros concorda que uma mulher que interrompe a gravidez intencionalmente deveria ir para a cadeia. Outros 38% discordam da medida e 12% não concordam nem discordam.

Leia também: Comissão aprova PEC que proíbe todas as formas de aborto

A pesquisa, que contou com a participação de 1.600 mulheres e homens acima de 16 anos de todas as regiões do país, mostrou também que 45% dos brasileiros afirmam conhecer pelo menos uma mulher que já realizou um aborto.

A diretora de conteúdo do Instituto Patrícia Galvão, Marisa Sanematsu, ressaltou que “a pesquisa não traz um cenário generoso para as mulheres, pelo contrário: só afirma a manutenção do conservadorismo e dos tempos que estamos vivendo”.

A lei brasileira permite o aborto em três situações: gravidez decorrente de estupro, risco de vida à mãe ou gestação de feto anencéfalo.

A pesquisa revelou ainda que oito em cada dez brasileiros acreditam que aborto é uma questão de saúde pública ou direitos. “É o clássico caso do político que é contra o aborto na Câmara, mas que é o primeiro a pagar por um procedimento ilegal para uma filha que precisa dele”, diz Marisa.

Quanto maior a escolaridade do entrevistado, maior as chances de uma postura favorável ao direito de escolha da mulher.

Fontes:
Uol - Metade dos brasileiros concorda: uma mulher que aborta deve ir para cadeia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *