Início » Brasil » Crivella busca apoio do MDB para escapar de impeachment
ALIANÇA ESTRATÉGICA

Crivella busca apoio do MDB para escapar de impeachment

Alvo de três pedidos de impeachment, o prefeito do Rio ensaia uma aliança com o partido, que tem no estado seu principal reduto

Crivella busca apoio do MDB para escapar de impeachment
Pedidos de impeachment remetem a encontro de Crivella com líderes religiosos (Foto: ELza Fiuza/ABr)

Alvo de três pedidos de impeachment, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB-RJ) busca formas evitar que os pedidos avancem para o plenário da Câmara Municipal da cidade, onde foram protocolados.

Segundo a coluna do jornalista Luiz Ernesto Magalhães, do Globo, uma das formas encontradas é costurar uma aliança com o MDB, que inclui a barganha do cargo de secretário da Casa Civil na cidade, posto que ficará vago após a saída de Paulo Messina, que pediu de missão na semana passada por conta de desgastes na relação com o secretário municipal de Educação, Cesar Benjamin.

A decisão de uma aliança com o MDB se dá por conta do Rio de Janeiro ser o principal reduto do partido. Embora tenha perdido prestígio por conta dos escândalos na gestão de Sérgio Cabral, a legenda ainda detém a maior bancada no legislativo do Rio.

O único obstáculo para a manobra é o fato de Crivella ter perdido parte da credibilidade entre os vereadores por conta do impasse envolvendo Messina e Benjamin. Críticos consideram que Crivella não demonstrou liderança suficiente para conter os ataques a Messina por parte de Benjamin, considerado uma pessoa de temperamento difícil.

Os pedidos de impeachment contra Crivella remetem à polêmica envolvendo um encontro secreto entre o prefeito e 250 líderes religiosos, ocorrido na semana passada, no Palácio da Cidade. No encontro, Crivella ofereceu aos presentes vantagens como prioridade em filas para cirurgia de catarata em hospitais federais e municipais do Rio, soluções para imbróglios envolvendo cobrança de IPTU a igrejas, além de pontos de ônibus perto de igrejas.

As promessas foram flagradas em áudios gravados durante o evento. O primeiro pedido de impeachment foi protocolado pelo vereador Átila Nunes, do partido que hoje ensaia a aliança com Crivella, o MDB. A legenda tem a ganhar mesmo se a aliança não vingar, já que, caso Crivella seja deposto, assume a prefeitura do Rio o presidente da Câmara Municipal, Jorge Felippe (MDB-RJ), uma vez que o vice-prefeito Fernando Mac Dowell morreu em maio deste ano.

Os outros dois pedidos de impeachment contra Crivella foram protocolados pelo Psol e pelo Sindicato dos Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Sisep). O pedido do Psol foi apresentado pela presidente do partido, Isabel Lessa, em conjunto com o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol-RJ).

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Almanakut Brasil disse:

    IURDinária!

  2. Francisco Taborda disse:

    Nosso prefeito esqueceu-se da cidade. Toda a atenção parece ser desviada para cuidar de seu rebanho

    Já ouvi falar de república teocrática, mas de prefeitura teocrática em um país laico, até agora, não. Mais uma jabuticaba brasileira.

    E o MBD que gosta de se lambuzar no poder vai ter mais uma oportunidade para deitar e rolar.

    Enquanto isto, o país, o estado e o município que se danem…. e o povo …

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *