Início » Brasil » Curiosa pré-campanha eleitoral
Eleições

Curiosa pré-campanha eleitoral

Por Vivian Vasconcellos

Curiosa pré-campanha eleitoral
Os candidatos Dilma Rouseff e José Serra. Fonte: Fred Chalub/Diário de S.Paulo

No ano de eleições presidenciais, o partido da situação, PT, enfrenta o partido da oposição, PSDB, em um embate de propostas não definidas, gerando dúvida e ansiedade na população. De acordo com a cientista política da USP Marta Arretche, não se pode considerar apenas o que foi visto nos últimos meses. “A campanha à presidência já começou há muito tempo para todos os partidos. Decisões parlamentares tomadas nos últimos dois anos podem ser claramente encaradas como estratégia de campanha”, comentou para o Opinião e Notícia.

De acordo com pesquisa realizada pelo DataFolha entre os dias 24 e 25 de fevereiro, a candidata do PT, a ministra da Casa Civil, Dilma Rouseff, cresceu nas pesquisas. Mesmo assim, ainda não alcançou o não declarado candidato do PSDB, o governador paulista, José Serra. O cientista político da PUC-Rio Paulo d’Avila alerta para os resultados recentes: “daqui até as eleições muita coisa pode ser alterada”, disse para o Opinião e Notícia. A menos de um mês do prazo para lançar-se candidato à presidência – 3  de abril é a data-limite para que deixe seu cargo e possa disputar as eleições de outubro –, José Serra ainda não se pronunciou sobre sua candidatura. As pressões seguem tanto do próprio partido, como também do PT.

“O silêncio de Serra lhe é desfavorável, sugere tibieza da oposição e não me parece uma tática, mas uma contingência”, analisa Paulo d’Avila. No dia 8 de março, o presidente paulista do PSDB, o deputado Antonio Mendes Thame, disse estar ansioso para oficializar a candidatura de Serra. E no dia 9, em coletiva no Senado, o presidente nacional do PSDB, o senador Sérgio Guerra (PE), disse que a data do anúncio oficial de Serra ainda não está definida, contrariando os boatos de anúncio no dia 22 de março. No entanto, o presidente retifica que não tem a menor dúvida de que ele será o candidato do PSDB. Sobre o vice, disse ainda que não é o momento adequado para essa discussão.

Para a cientista política Marta Arretche, a tática de Serra estaria associada à popularidade do presidente Lula – que conta com 73% de aprovação. “Esta é de fato uma novidade nas campanhas presidenciais brasileiras do período democrático. Nas eleições anteriores, o presidente em exercício era uma figura com baixos índices de aprovação. Assim, Serra parece ter tentando evitar um confronto direto com o presidente Lula, à espera do momento em que a disputa ficaria entre ele e Dilma.”

No lado petista, Dilma investe na sua pré-campanha eleitoral de forma curiosa. Desde o escândalo em fevereiro deste ano envolvendo a Telebrás, Dilma não sai dos noticiários. Ainda que, de acordo com o presidente do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral, Fernando Neves, estejam passíveis de multas, as solenidades públicas como a secretária Estadual de Assistência Social Benedita da Silva e o presidente da Assembléia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, fizeram diversos elogios publicamente à candidata do PT. A ministra também inflou resultados da Petrobrás, que seriam investidos pelo governo e, depois, foi desmentida pela empresa.

“O PT adotou a tática de definir sua candidata previamente, submetê-la à grande exposição e associá-la ao presidente, por Dilma ser pouco conhecida do grande público”, comenta Marta Arretche. Paulo d’Avila concorda com a avaliação. “Lula precisa fazer sua candidata conhecida e colar seu nome no dela. Quem parece intranquilo é Serra, que não está demonstrando firmeza em suas próprias chances eleitorais.”

Aproveitando enquanto podem – visto que a minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso Nacional, não permite que candidatos participem de inaugurações de obras a partir de 3 de julho –, Lula e Dilma comparecem a obras como a inauguração do Hospital da Mulher, no Rio (mesmo que não tenha sido usada verba federal para as obras), obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Termelétrica Euzébio Rocha, de uma fábrica da Case New Holland, do complexo esportivo da Rocinha…

Para o político social da Universidade Veiga de Almeida (UVA) Guilherme Carvalhido, o que pode haver de diferenças mais concretas entre o PSDB e o PT é uma participação maior ou menor do Estado na vida do brasileiro. “O PT apresenta uma participação do Estado mais significativa, como vem fazendo ao longo dos dois governos de Lula, e o PSDB proporia um corte nos gastos públicos para, eventualmente, fazer uma redução de impostos para as classes médias. No atual momento, onde o Estado vem subsidiando diversos setores da sociedade, creio que qualquer apresentação de diminuição de participação conduziria a uma perda eleitoral, sobretudo das classes menos favorecidas, que ainda decidem o voto no Brasil”, analisou para o Opinião e Notícia.

Leia mais:
Partidos contrariam transparência nas doações

Aécio recusa convite para ser vice de Serra

Dilma lidera entre eleitores do Bolsa Família

FHC entra em cena e antecipa debate eleitoral

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

18 Opiniões

  1. andre becker disse:

    Nao existe guerra entre partidos e nunca existiu,a unica guerra é travada contra a populaçao que se ilude com o faz de conta que este esta contra aquele,eles são o grupo deles e o povo é o grupo que o grupo deles tem de controlar.
    é puro etnocentrismo,o grupo deles manda e desmanda e o dos de cá sera comandado pelo grupo deles e pior escolhe os grupos deles que nunca mudam,são sempre os mesmos

  2. Débora disse:

    O Lula é o Hitler moderno!

    Fora Dilma!!!

    Votarei Nulo!!!

  3. Lou disse:

    Se acontecer realmente o que todos achamos, a dinastia Petista vai continuar no poder e aí sim, poderão dar continuidade ao golpe (inrustido e indeclarado) do comunismo na América do Sul em parceria com a Venezuela, Equandor e outros. Vote Serra!!!!!

  4. Regina Maria Scotton disse:

    Necessitamos usar de serenidade ao votarmos.O povo brasileiro precisa dar uma resposta certa à època histórica em que vivemos.Somos brasileiros. Essa terra é nossa. Nossos direitos necessitam se valer. Através do voto podemos reinvidicar nossa particcipação no comando de nosso país.A falta de patriotismo leva uma nação à anti-democracia.O povo brasileiro não pode ser conveniente com a falta de ètica existente no governo LULA.è necessário que tomemos medidas que impeçam que nossa bandeira nacional se suje cada vez mais na lama de candidatos corruptos.Lula me decepcionou.Estamos vivendo uma utopia em seu governo.Faz-se hora de desvencilharmos dessa utopia e cuidarmos de nossa nação depositando nosso voto em pessoas que possuam ideais democráticos e que visem a ética,que não venham com discursos vinculados em armadilhas enganadoras que ferem a Constituição.

  5. Wellington Gomes disse:

    Débora (e outros muitos): o que adianta votar nulo?

    1 – se todos votarem nulo (quase improvável), serão convocadas novas eleições, e com certeza serão os mesmos candidatos.
    2 – se poucos votarem nulo (o mais provável), seus votos serão inválidos, e a situação do vencedor não mudará, mas, ao contrário, só aumentará a chance de ele vir a ganhar no primeiro turno.

    O mais certo é votar no candidato menos pior, de acordo com sua própria consciência. Até mesmo porque muitos no Brasil – é sabido – ainda não têm a oportunidade de votar por sua consciência política, mas sim de votar naquele que lhe dá o que ele necessita no momento, o que torna a eleição um jogo de interesses.

    Deste modo, quem puder, vote por sua consciência.

  6. Felipe Silva disse:

    Cientistas sociais comprovaram por meio de experimentos que o poder corrompe sim. Isso só prova que mesmo a ciência é humilde o suficientes para manter-se incrédula diante até mesmo de obviedades. Nada mais justo do que fazer o paralelo com Lula, que do alto dos seus ditos 80% de popularidade, achar que pode fazer o que quiser e, para azar de nossos ouvidos inteligentes – dizer o quer. Mas como até Nero chorou, aguardo ansioso estas eleições para o momento em que o poste (sim Dilma, não se iluda) não iluminar mais o (fim do) caminho deste nosso presidente, que só não é literalmente um idiota, por que entende muito bem de política, quando o assunto é ditadores do petróleo, terroristas atômicos e traficantes de favela carioca (afinal de contas, como você acha que Lula entrou numa favela dominada por traficantes para supostamente inaugurar obras? Pedindo licença é que não foi)… Montenegro: tomara que você esteja certo, mas seria bom que cientistas comprovassem também que carisma político não é contagioso. Dilma não!

  7. Regina Céli disse:

    Se, oficialmente, a campanha ainda não começou, preparemos espíritos e mentes, muita baixaria ainda nos espera ao longo desses meses. A “massa” que dá esses 73% de aprovação ao Lula, não tem acesso, em sua grande maioria, à informação sobre corrupção e outras mazelas no governo federal. E com isso o PT tende a se perpetuar no poder, com seu socialismozinho ditatorial… Acorda Serra!!!

  8. helio disse:

    Serra pode ficar mais tranquilo, o pibinho, o papel interancional pífio, o enfraquecimento do Lula, lhe darão o tempo suficiente de se mostrar uma ótima alternativa. Pena é que termos a monotonia da candidata usando a eterna comparação com FHC. Como se diz “governar com o espelho retrovisor”. Já se passaram dois governos Lula, e Dilma só tem chance falando igual ao mestre. Como ela mesma disse ” nãda me fará discordar do meu líder”. Queremos alguém mais ousado para o país.

  9. Davi disse:

    Eu fico incredulo de ver que o futuro do pais se resume a escolher entre os dois projetos de ser humano acima. Enquanto o voto for obrigatorio e nao houver uma reforma parlamentar adequada, vai ser isso ai mesmo…
    que vença o menos pior(quem sabe o menos feio)…essa sim é uma disputa acirrada!

  10. Eduardo disse:

    Quem não tem proposta pré definida é a turminha das entregas, aliás se eles fizerem um plano de governo, este será mentiroso, pois quase todos o brasileiros sabem o tipo de governo que eles gostam(um tal de estado mínimo – pros outros)… é satisfazer 10% dos mais ricos as custas do suor e sofrimento dos 90% da população. Só que nesta eleição os 90% estão com LUIZ INACIO LULA DA SILVA, pra quem não conhece é um tal LULA, O MAIOR E O MAIS RESPEITADO PRESIDENTE QUE ESTE PAÍS JÁ TEVE, e este está com DILMA ROUSSEFF, que tem projeto, tem garra, tem coragem, e pra quem não sabe, o projeto dela é o PROJETO LULA DE GOVERNAR… o mesmo que é apoiado por 96% da população… até empresários que um dia se fizeram de vitima agindo contra Lula hoje o apoia, coitados, vocês vão ter que arrumar outra história para tentar virar esta situação posta… EM OUTUBRO EM PRIMEIRO TURNO DILMA, PRA GLORIA E FELICIDADE DO BRASIL.

  11. jose mangabeira disse:

    A melhor pesquisa de opinião entre os pré-candidatos Dilma e Serra, esta na mídia social. Esta não há como manipular. Quando é propaganda para um dos candidatos logo é reconhecido. Até o momento aconteceram movimentações planejadas em busca de resposta que possa fixar o candidato(a) no imaginário eleitoral. A candidata Dilma um pouco mais de trabalho, pois tem-se que torná-la conhecida do eleitorado. Serra já é conhecido, mas precisa afirmar sua candidatura. Não adianta para serra, a exposição de opiniões de seus aliados, em afirmar que Dilma é feia e tal. O Brasil tem uma população predominante de sexo femenino. E, em sua totalidade ou são feias ou se acham feias. É da mulher esta insatisfeita com sua beleza. Por isso, o pânico na TV, contribui e muito com a candidata Dilma do PT. Volto depois.

  12. jose mangabeira disse:

    O itém feiura que o PSDB através de seus aliados, cola na candidata Dilma do PT, ex-vi do programa de Televisão “Pânico na TV”, trás efeito contrário, provoca indignação no telespectador, principalmente se for do sexo femenino. No Brasil temos uma população predominante de mulher. A esmagadora maioria são feias. As bonitinhas se acham feias. E as bonitas são as que posam em revista masculina que são pouquissímas. As GLS normalmente são feias. Por tanto, colar feiura em Dilma do PT é atirar no próprio umbigo. Torna a candidata coitadinha, perseguida e por isso merecedora de cuidado e carinho. Puxa a orelha destes aliados Serra. Volto!!!

  13. jose mangabeira disse:

    O medo de enfrentar Lula e sua popularidade fez o candidato Serra submergir até a saída de Dilma do governo. Pois bem, neste lapso temporal, O PT (as cabeças que pensão)trabalharam entre outras coisas com a taboada na mão. Usou Ciro como coelhinho de corrida, Marina estimulada sai na cola de Ciro. Dilma fica na espera. Somada as intenções de voto dos três, superava e supera os de Serra. Noticias de duvidas davam conta da possível desistência de Serra. Aécio precionava, isso ajudava o PT. A possibilidade do mineiro ir para o PMDB era conhecida. E, Serra calado. FHC tentou ocupar o espaço. Lula remeteu pra cima de forma plebicitária entre os dois governos. FHC obrigado a recuar. A mãe do PAC tinha duplo sentido. Quem não gosta da mãe? ora, mãe do PAC e a nossa, todas são mãe e com elas não aceitamos brincadeiras. Mãe é mãe. Pac? deve ser um carinha bonito. E, isola Marina, e isola Ciro. Aritmética garantida e confirmada Dilma chega ao impate com Serra. Pura engenharia? não. Pura incompetência dos profissionais que cercam o candidato. Agora a candidata Dilma do PT não só esta sendo conhecida como também que esta empatada com Serra na intenção de votos. Agora é a vez da mídia social, o PT esta disparado na frente. Projeto banda larga, modem barato, empréstimo para as lan house, ascendência a classe social “média”, ataque ao partido político da mídia, barateamento de computador com financiamento as classes trabalhadoras via CEF/BB, … etc. Dá prá você Serra?

  14. jose mangabeira disse:

    A pré-campanha presidencial já estamos fazendo. Na primeira fase, a mídia tradicional notícia os pré-candidatos, publica fotos e elabora ficha técnica individual, destacando os cargos e funções que foram desenpenhados. As pesquisas de intenções de voto aparecem e as desconfianças sobre os institutos de pesquisa se manifestam. Nesta fase os políticos mais apressados se apresentam para compor futuras chapas partidarias. Hoje esta primeira fase ganha a participação das mídias sociais que de forma instantânia e participativa de todos interessados interage com as comunidades existentes na rede mundial, transformando a discussão da net em palanque eletrônico. Essas mídis sociais estão regionalizadas, formadas por site, blogs, twitter etc. Na Bahia existem cerca de 1.200 mídias interagindo nas micro-regiões, ainda, de forma individual. Todas elas com peculiaridades semelhantes. Nasceram parciais pelo viéis radiofonicos elimentados principalmente pelo poder local municipal ou melhor pelo prefeito ou pelo presidente de camãra e vereadores. No mínimo existe em cada cidade do porte de Camaçari três emissoras de rádios e igual quantidade de sites disputando o mercado local e tantos outros blogs e twitters interagindo nesta mídia que depende da participaçãp de internautas. Ainda, observamos a censura em forma de “mediação” para publicar o comentário. Estranho né? se a essência desta mídia chamada social, é a participação espontânea do internauta, por quê censurar um comentário. É preciso entender que, seja qual for a opinião externada, essa é a confirmação de um canal livre e seguro para inteiração social que vai formar a cidadania no imaginário de cada um. A liberdade de expressão contida na constituição federal brasileira é a garantia que se materializa na mídia social. Na mídia social os pré-candidatos tem o mesmo valor. Os menos favorecidos podem multiplicar seus palanques eletrônicos sem que dependam da mídia tradicional, esta que vive do poder nacional, dependentes das verbas estatais. Exemplo: VEJA/ISTOÈ/epoca/TVGLOBO/Bandeirante/JORNAIS etc, são veiculos de comunicações que formam a mídia tradicional. Estão distantes da mídia social e o fato curioso é que esta mídia oferece uma discussão mais intima do pré-candidato ao ponto de proibir a maquiagem de informação. Volto.

  15. jose mangabeira disse:

    Quero opinar sobre esta febre de censura que assola a “mídia social” na forma de “ora mediação” “ora moderação”. Isto não passa de censura. Se o comentário for pró, aí a moderação é aceita. caso contrário toma moderação no comentário. Querer controlar as opiniões a respeito de, é o mesmo que instalar a censura prévia nas redações de jornais, rádios e tvs. Pode? se pode continuem a censurar sob lá o que entenderem. mas, logo logo os internautas vão dá uma banana pré quem pratica a moderação…mediação…analise, etc. Opinião é opinião não carece de retoque, que dê sua opinião. Erro de português…entendeu…então esta é a opinião. Então vamos estabelecer o fim da mediação e da moderação. Gostaria de uma definição para contribuição inteligente para discussão? com a palavra os internautas. Volto!!!

  16. LUZIA LOBATO DE BRITTO disse:

    Hoje não se pratica mais o jornalismo objetivo, onde a noticia era apenas narrada; nosso jornalismo atual ou é subjetivo, onde o jornalista ou quem escreve o Editorial, até mesmo inconscientemente, emitem opiniões, ou é jornalismo sensacionalista. ASSUNTO ATUAL: formação de OPINIÃO PÚBLICA – 1. Claro que a notícia veiculada pode formar opinião pública no caso de cidadãos que não tenham sua própria opinião formada; 2. Aqueles que já formaram sua opinião,nenhuma notícia irá modificá-la; 3. Penso que as palavras do presidente LULA não foram devidamente compreendidas: entendo que ele ao dizer “nós somos a opinião pública” estava referindo-se, exatamente, ao fato dele e os seus seguidores não serem influenciados pela vontade ou não da imprensa criar esta opinião; 4. Não vejo razão para tantas polêmicas: a imprensa é livre para informar e o cidadão, mesmo o Presidente da República, também é livre para manifestar seu pensamento, direito conferido pela Constituição Federal, desde que não seja usado o anonimato; 5. Finalmente, este assunto que já está esgotado, nada mais é do que comentários de fim de campanha, que alias pode até beneficiar alguem.
    Parabéns ao Carlos Augusto Montenegro, no meu entender o mais lúcido comentário, às fls. 18 do jornal O GLOBO de hoje, 29/ 09/ 2010.
    assinado- Luzia Lobato de Britto, assinante de O Globo, e-mail: leeluybrits@globo.com

  17. Luzia Lobato de Britto disse:

    Primeiro: o inciso IV do art. 5o. da Constituição permite a livre expressão do pensamento, desde que não seja no anonimato. Faço a Campanha do VOTO NULO, pq entra Eleição, sai Eleição e o esquema é sempre o mesmo, mudam apenas os personagens. É preciso mudar. Não estão mais respeitando a Constituição, esta da margens à várias interpretações e disto valem-se os corruptos e os ladrões dos nossos bolsos, já q pagamos os impostos mais caros do mundo e, além de pensarmos em nós, devemos pensar que País queremos para os nossos Filhos e Netos. Para Mudar, será preciso uma Constituinte, que elaborará nova Constituição. Isto só será possível através do VOTO NULO; uma maioria deles, levará a uma CONSTITUINTE, a qual vai elaborar nova CONSTITUIÇÃO, onde todos os Partidos e Políticos não poderão participar dela. Será nomeado alguém “honesto” para este propósito; ainda existem pessoas honestas, como o Ministro do STF Ministro Joaquim Barbosa. De sua honestidade já tivemos provas, embora os seus colegas, na maioria, não rezem pela cartilha dele; assim como ele deve existirem outros, já que ele não pretende envolver-se em política. Está explicado a razão da minha insistência e, talvez não aconteça nesta, mas, na outra Eleição, tenho certeza de que todos lembrar-se-ão desta Campanha. Obrigada por me terem dado oportunidade de fazer esta explicação. Luzia Lobato de Britto. Sou fã, incondicional da Globo: assinante do Jornal há muitos anos, vejo TV e ouço rádio.

  18. Luzia Lobato de Britto disse:

    Tentei escrever abaixo de uma Opinião, que atribuem a mim; assim escrevo aqui o comentário, pois no final do outro comentário, várias pessoas se manifestaram e não consegui falar. Perdoem-me, mas não me lembro de haver dito as palavras atribuídas a mim. Nem deveria, já que sou assinante do Jornal O Globo há muitos e muitos anos e estou sempre ligada à TV Globo. Ou houve confusão, talvez de palavras, ou não sei o que possa ter acontecido; meu e-mail é luybrits@yahoo.com.br; (tenho e-mail da globo, mas, no momento está havendo problemas com a senha); ficaria muito feliz se me mandassem o texto das palavras a mim atribuídas. Ficaria muito agradecida, Luzia Lobato de Britto. Conheço bem o inciso IV do art. 5o. da Constituição à que vcs se referem, da livre expressão do pensamento, aliás se não o conhecesse, vcs já imaginam o que teria acontecido, já, que na maioria das vezes, pego muito pesado quanto ao Governo e todos os Partidos e Políticos. Luzia

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *