Início » Brasil » Delegação australiana: o calo no pé de Eduardo Paes
OLIMPÍADAS NO RIO

Delegação australiana: o calo no pé de Eduardo Paes

Criticados como 'fonte de agressões' contra o Brasil pelo prefeito Eduardo Paes, australianos voltam a reclamar da desorganização e insegurança dos Jogos no Rio

Delegação australiana: o calo no pé de Eduardo Paes
Em fevereiro, o prefeito reclamou das 'agressões' da delegação australiana (Foto: Wikipédia/Montagem)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A delegação olímpica australiana voltou a reclamar das Olimpíadas no Rio neste domingo, 24. Em comunicado, o Comitê Olímpico da Austrália (COA) disse que a Vila Olímpica não tem estrutura para hospedar seus atletas e anunciou que eles abandonariam o local para se hospedar em hotéis da cidade. O comunicado diz que nos prédios há cheiro de gás, vazamento de água e defeitos na eletricidade, além de muita sujeira.

Em fevereiro deste ano, o COA proibiu seus atletas de visitar favelas durante os Jogos por questões de segurança.

“As favelas são áreas que não podemos controlar e a segurança pessoal de nossos atletas vem antes”, explicou o porta-voz do comitê australiano em fevereiro, Mike Tancred.

À época, o prefeito Eduardo Paes criticou a decisão e disse que a Austrália havia se tornado “uma fonte de agressões contra o Brasil”.

“Existe muita ignorância sobre o Rio e o Brasil, além de um certo drama de como as coisas são. Cá entre nós, o comitê australiano tem sido fonte de agressões contra o Brasil. E a gente ama Sydney”, comentou o prefeito, em fevereiro.

Em abril de 2014, o presidente do Comitê Olímpico Australiano, John Coates, disse que a preparação do Rio era a pior que ele tinha visto.

Em resposta à debandada australiana da Vila Olímpica, a atleta brasileira Janeth Arcain, eleita “prefeita” das instalações, reconheceu algumas falhas, mas garantiu que a situação seria solucionada em até 48 horas.

“Nós tivemos um imprevisto, mas nada que não seja resolvido a tempo para que a delegação chegue e se sinta confortável”, disse.

Segundo a delegação australiana, entre os problemas encontrados estão banheiros entupidos, escadas escuras e andares imundos, necessitando de uma “limpeza profunda”.

“Ontem à noite, decidimos fazer um ‘teste de estresse’, onde torneiras e banheiros foram ativados simultaneamente em apartamentos em vários andares para ver se o sistema poderia aguentar, como se todos os atletas já estivessem nos quartos”, diz a nota do COA. “O sistema falhou. A água desceu pelas paredes e havia um forte cheiro de gás em alguns apartamentos e houve ‘curto circuito’ na fiação elétrica (…) a Vila simplesmente não é segura”.

Irritado mais uma vez com “as agressões” dos australianos, o prefeito Eduardo Paes preferiu ironizar, dizendo que botaria até cangurus para deixar os australianos mais felizes.

“É natural que você tenha algum tipo de ajuste a fazer, mas vamos fazer os australianos se sentirem em casa. Estou botando um canguru aqui na frente para pular na frente deles aqui”, disse Paes, em entrevista coletiva.

O diretor de comunicação australiano Mike Tancred, respondeu à provocação: “Não precisamos de cangurus, precisamos de encanadores para dar conta dos vários lagos que encontramos nos apartamentos” disse, à Folha.

A chefe da missão australiana, Kitty Chiller, em sua quinta Olimpíada, disse que nunca viu uma vila em condições tão ruins.

 

Fontes:
G1 - Delegação australiana reprova Vila Olímpica: 'não é segura'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *