Início » Brasil » Denúncias de Sérgio Cabral abalam personalidades do esporte mundial
OLIMPÍADAS DE 2016

Denúncias de Sérgio Cabral abalam personalidades do esporte mundial

Denúncias de que ex-nadador e ex-recordista de salto com vara receberam dinheiro para votar a favor do Rio como cidade-sede abalaram o meio esportivo

Denúncias de Sérgio Cabral abalam personalidades do esporte mundial
Campeões olímpicos de renome internacional, Popov e Bubka negaram as acusações (Foto: Tânia Rêgo/ABr)

As denúncias de que o ex-nadador russo Alexander Popov e o ex-recordista mundial do salto com vara, o ucraniano Sergei Bubka, receberam dinheiro para votar a favor do Rio de Janeiro como cidade-sede das Olimpíadas de 2016 caíram como uma bomba nos meios esportivos. Preso desde novembro daquele ano, esta semana o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, deu com a língua nos dentes e, dentro da nova estratégia de “só dizer a verdade”, afirmou à Justiça Federal do Rio que comprou, por US$ 2 milhões, os votos de nove integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) – entre eles, as duas estrelas russas.

O intermediário da negociação teria sido o senegalês Lamine Diack, presidente da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) de 1999 a 2015. E disse mais: que o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-prefeito carioca, Eduardo Paes, souberam da negociação, embora – segundo o ex-governador – não tenham participado da falcatrua nem obtido vantagens com ela.

Recordista mundial em destruir reputações

Campeões olímpicos de renome internacional e idolatrados em seus países, Popov e Bubka negaram nesta sexta-feira, 5, as acusações. Com quatro medalhas de ouro olímpicas no currículo, Popov negou sequer ter votado a favor do Rio de Janeiro e acrescentou: “Seria prudente que ele mostrasse pelo menos algum tipo de comprovante do suposto suborno aceito porque saberia em qual banco ir. Alguém aparentemente lucrou usando meu nome”. Bubka também acelerou o passo. Nas redes sociais, o maior recordista de sua modalidade rejeita “as falsas acusações feitas pelo ex-governador, que está na prisão por corrupção”. Bubka e Popov já acionaram seus advogados.

Mas a vocação de Cabral em abrir a boca para devastar reputações já fez o seu efeito e, mais uma vez, ele se revela um recordista na capacidade de descer tão baixo. Com penas que ultrapassam os 100 anos de prisão e ainda respondendo a outros 13 processos na Justiça Federal, Cabral é uma espécie de recordista às avessas.

Como foi a votação fraudada

A escolha do Rio como sede dos Jogos Olímpicos ocorreu em Copenhague, na Dinamarca, no dia 2 de outubro de 2009. Foram necessários três turnos para definir o vencedor entre as cidades concorrentes. No primeiro deles, Madri teve 28 votos, o Rio ficou em segundo (26), Tóquio (22) e Chicago (18). No segundo turno, já com a cidade americana desclassificada, o Rio teve 46 votos, Madri (29) e Tóquio, com 20, ficou de fora da disputa final que terminou com 66 votos para o Rio e 32 para Madri.

Como se vê, os nove votos comprados somente fizeram diferença no primeiro turno. Sem eles, o Rio teria sido desclassificado. Cabral, Lula e Paes estavam no auditório e fizeram desmedida algazarra quando foi anunciada a cidade vencedora.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. BS disse:

    Esse desgoverno do Cabral só fez lambança…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *