Início » Brasil » Depois de mensalão e petrolão, vem aí o eletrolão
Efeito dominó

Depois de mensalão e petrolão, vem aí o eletrolão

Delação premiada de empreiteiro preso na Lava-Jato promete revelar propina em contratos do setor elétrico

Depois de mensalão e petrolão, vem aí o eletrolão
CPI do setor elétrico promete mirar em Dilma, ex-ministra de Minas e Energia (Foto: ABr)

Não foi só na Petrobras que o cartel de empreiteiras revelado na Operação Lava-Jato se instalou. O Globo revelou, em matéria recente, que o chamado “clube VIP” das empreiteiras estendeu seus tentáculos da corrupção às estatais do setor elétrico também. Ao que tudo indica, depois do mensalão e do petrolão, vem aí o eletrolão.

Segundo o jornal a informação será revelada pelo presidente da Camargo Corrêa, Dalton Avancini, preso como parte da Operação Lava-Jato. Em troca de uma pena mais branda, Avancini vai informar que a Camargo Corrêa pagou pouco mais de R$ 100 milhões em propina para obter contratos de obras da usina de Belo Monte, uma das pérolas do Programa de Aceleração do Crescimento do governo Dilma.

Fontes ligadas à negociação da empreiteira com o Ministério Público Federal de Curitiba disseram ao Globo que a informação de Avancini foi fundamental para fechar seu acordo de delação premiada. O executivo adiantou alguns detalhes do esquema que funcionava em Belo Monte, e, só a partir daí, os procuradores aceitaram fazer acordo com o empresário.

A Camargo Corrêa tem 16% dos contratos do consórcio responsável pela construção da usina, formado por dez empresas: Andrade Gutierrez, Odebrechet, OAS Ltda, Queiroz Galvão, Contern, Galvão Engenharia, Serveng-Civilsan, Cetenco e J. Malucelli, além da própria Camargo Corrêa.

Uma CPI solicitada pelo PSDB e endossada por 172 deputados – um além do mínimo exigido por lei – promete apurar irregularidades no setor elétrico. A própria presidente Dilma estaria na mira desta CPI, já que ela respondia pela pasta de Minas e Energia quando as irregularidades teriam começado, em 2004.

Fontes:
O Globo - Delator dirá que Camargo Corrêa pagou R$ 100 milhões em propina para PT e PMDB em Belo Monte
ClicRBS - Vem aí o Eletrolão

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *