Início » Brasil » Desemprego fecha em 5% em agosto, a menor taxa no período em 12 anos
mercado de trabalho

Desemprego fecha em 5% em agosto, a menor taxa no período em 12 anos

É a primeira vez, desde o fim da paralisação de mais de 70 dias, que o IBGE divulga o índice para o total das regiões pesquisadas

Desemprego fecha em 5% em agosto, a menor taxa no período em 12 anos
Índice de 5% em agosto é o menor para o mês em 12 anos (Reprodução/Eduardo Naddar/O Globo)

Segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgada nesta quinta-feira, 25, pelo IBGE, a taxa de desemprego no país permaneceu praticamente estável em agosto (5%) nas seis principais regiões metropolitanas do país: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre. Trata-se do menor índice para o mês em 12 anos.

Conforme os dados do instituto, a taxa de desocupação total em julho foi de 4,9%. Os índices de junho e maio foram 4,8% e 4,9%, respectivamente.

É a primeira vez, desde o fim da paralisação de mais de 70 dias, que o instituto divulga o índice para o total das regiões pesquisadas. Desde maio, o IBGE vinha anunciando resultados parciais, considerando em sua análise apenas quatro regiões (com exceção de Salvador e Porto Alegre).

O rendimento médio alcançou os R$ 2.055,50, registrando alta de 1,7% em relação ao mês anterior e de 2,5% na comparação com agosto de 2013. O emprego com carteira assinada subiu 0,7% em agosto frente a julho e 0,4% em relação a agosto do ano passado.

Aumento da força de trabalho

É a primeira vez desde o início de 2014, que o contingente de pessoas na força de trabalho (empregadas ou à procura de emprego) e a ocupação aumentaram. Este último subiu 0,8% em relação a julho. Porém o índice apresentou um leve recuo em relação ao mesmo período do ano passado.

Já o contingente de desocupados fechou em 1,221 milhão de pessoas nas seis regiões, um avanço de 3,3% em relação a julho e uma queda de 5,8% na comparação com agosto de 2013.

Para o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, não houve vagas suficientes para atender a demanda, com tendência de alta.

“Foi a primeira vez que a ocupação cresceu no ano. Essa ocupação foi concentrada de forma significativa na construção civil em São Paulo e em postos de saúde e educação pública e privada”, explica.

Fontes:
O Globo-Taxa de desemprego fica em 5% em agosto, a menor para o mês em 12 anos

2 Opiniões

  1. Joma Bastos disse:

    Cada vez que escrevem e falam que a taxa desemprego está baixa no Brasil, dá-me vontade de dizer que vivemos em ESTATÍSTICAS MENTIROSAS. E mais uma vez venho dizer que nenhum dos mais 50 milhões de brasileiros que beneficiam do Bolsa Família, cerca de 25% da população brasileira, não estão escritos como desempregados!
    Portanto esta TAXA de 5% de DESEMPREGO é uma COMPLETA FARSA!
    São MAIS de 25 MILHÕES que estão DESEMPREGADOS e os quais não fazem parte das estatísticas de desemprego!

  2. Rene Luiz Hirschmann disse:

    Eu não consigo entender como um país com inflação alta, industria quase parando, classe média endividada, greves em diversos setores, demissões e/ou férias coletivas em muitos segmentos e o índice de desemprego tão baixo, realmente é um milagre.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *