Início » Brasil » Desemprego no 2º semestre será pior, prevê entidade
mercado de trabalho

Desemprego no 2º semestre será pior, prevê entidade

Brasil deve perder mais de um milhão de empregos neste ano, segundo Conselho Federal de Economia

Desemprego no 2º semestre será pior, prevê entidade
Foram fechadas 345 mil vagas com carteira assinada no primeiro semestre (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

O Conselho Federal de Economia (Cofecon) estima que o Brasil deve perder mais de um milhão de empregos neste ano.

De acordo com a entidade, o desemprego no segundo semestre será pior. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho mostram que foram fechadas 345 mil vagas com carteira assinada no primeiro semestre do ano.

O desempenho ruim nos primeiros seis meses do ano é um sinal de um segundo semestre ainda pior, uma vez que, em condições normais, a criação de emprego é maior no primeiro semestre, ainda de acordo com o Cofecon, que considera “grave” a situação do mercado de trabalho na primeira metade de 2015.

A piora no mercado de trabalho reflete “um conjunto de medidas de política econômica que está levando o país à recessão”, em especial “os sete aumentos consecutivos da taxa de juros Selic, recentemente elevada para 14,25% ao ano“, ressalta o Cofecon.

A entidade afirma ainda que juros altos reduzem o ritmo da atividade econômica e, consequentemente, a geração de empregos.

Além da redução da taxa de juros, o Cofecon diz que a retomada da geração de empregos depende de ações com foco no longo prazo, incluindo a melhoria da infraestrutura, a simplificação tributária, a redução da burocracia, incentivos à ciência, tecnologia e inovação, entre outros.

O Programa de Proteção ao Emprego lançado pelo governo que prevê redução de salário e jornada de trabalho foi considerado pela entidade como uma medida “paliativa”.

Fontes:
Uol - Brasil deve perder mais de 1 milhão de empregos em 2015, estima entidade

1 Opinião

  1. Rogerio Faria disse:

    O PT está deixando a classe C órfão de pai e de mãe.
    Tudo devidamente “registrado” no SERASA e SPC.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *