Início » Brasil » Desigualdade de renda no Brasil bate recorde
FGV/IBRE

Desigualdade de renda no Brasil bate recorde

Pesquisa FGV/IBRE aponta que o índice que mede a desigualdade no país vem crescendo consecutivamente desde 2015

Desigualdade de renda no Brasil bate recorde
Efeitos da crise têm atingido mais as pessoas que ganham menos do que as com renda maior (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/IBRE) revelou que a desigualdade de renda no país atingiu em março o maior patamar já registrado desde o início da série histórica, em 2012.

Ainda de acordo com a pesquisa, o índice que mede a desigualdade no país vem crescendo consecutivamente desde 2015.

A pesquisa utiliza o índice de Gini, que tem uma escala de 0 a 1 (maior desigualdade de renda). Em março, o índice do Brasil foi de 0,627.

Os efeitos da crise têm atingido mais as pessoas que ganham menos do que as com renda maior, ainda segundo a pesquisa. Os mais pobres também estão demorando mais para se recuperar.

O pesquisador da área de Economia Aplicada do FGV/IBRE, Daniel Duque, ressaltou, em nota, que “há menos empresas contratando e demandando trabalho, ao passo que há mais pessoas procurando. Essa dinâmica reforça a posição social relativa de cada um. Quem tem mais experiência e anos de escolaridade acaba se saindo melhor do que quem não tem”.


Fontes:
G1 - Desigualdade de renda no Brasil atinge o maior patamar já registrado, diz FGV/IBRE

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Rogerio Faria disse:

    “Adoro” o neoliberalismo…

  2. Almanakut Brasil disse:

    E não é de hoje!

    O bandido tem arma que a polícia não tem, quem não tem arma é refém e o VAGABUNDO se manifesta em dia útil e o verdadeiro trabalhador só no domingo.

    Além do mais, a imprensa podre se aliou à mídia suja do PT e imprensa que coloca os fatos que a maioria não vê é refém de rede social de pilantra.

    SÓ A FAXINA GERAL SALVA.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *