Início » Brasil » Diferente de Kátia, para novo ministro é preciso ‘derrubar latifúndios’
reforma Agrária

Diferente de Kátia, para novo ministro é preciso ‘derrubar latifúndios’

Patrus Ananias, que assumiu o Ministério do Desenvolvimento Agrário, afirmou que o Brasil tem grandes propriedades e algumas delas devem ser alvos de reforma agrária

Diferente de Kátia, para novo ministro é preciso ‘derrubar latifúndios’
Logo no discurso de posse dos dois novos ministros, já ficaram claras as divergências que o governo irá enfrentar (Reprodução/Estadão)

Com um discurso completamente contrário ao da nova ministra da Agricultura, Kátia Abreu (PMBD), o novo ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias (PT), disse que é preciso “derrubar  a cerca dos latifúndios” e defendeu a reforma agrária.

Leia mais: Kátia Abreu diz que não há mais latifúndio no Brasil

“Ignorar ou negar a a existência da desigualdade e da injustiça é uma forma de perpetuá-la. Não basta derrubar a cerca dos latifúndios, é preciso derrubar também as cercas que nos limitam a uma visão individualista e excludente do processo social”, disse Ananias em seu discurso de posse.

O novo ministro disse ainda que é preciso respeitar a função social das propriedades rurais, conforme estabelece a Constituição, que diz, por exemplo, que uma propriedade rural não pode ser improdutiva. Para Ananias, concretizar essa premissa de função social é “oferecer e garantir oportunidade de crescimento às famílias nas terras onde vivem”.

A postura de Ananias vai diretamente contra o que disse Kátia Abreu, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Para Kátia, não é necessário acelerar a reforma agrária no Brasil, pois segundo ela, “não existe mais latifúndio no país”.

Logo no discurso de posse dos dois novos ministros, já ficaram claras as divergências que o governo irá enfrentar. Patrus não quis falar diretamente contra a ministra, mas afirmou que “o Brasil tem grandes propriedades improdutivas e algumas delas devem ser alvos de reforma agrária”.

Fontes:
Folha - Ministro diverge de Kátia
Em contraponto a Kátia Abreu, Patrus diz que reforma agrária desafia o país

3 Opiniões

  1. André Luiz D. Queiroz disse:

    Apolonio Prestes,
    Eu ia me fazendo a mesma pergunta! Consultando a Wikipedia, encontrei o seguinte: “O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) do Brasil foi criado em 25 de novembro de 1999 pela medida provisória n° 1.911-121 e sua última estrutura regimental foi definida pelo decreto nº 7.255 de 4 de agosto de 2010.3 Tem por competências a reforma agrária e reordenamento agrário, regularização fundiária na Amazônia Legal, promoção do desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e das regiões rurais e a identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas pelos remanescentes das comunidades dos quilombos. Exercerá, em caráter extraordinário, as competências relativas à regularização fundiária na Amazônia de que trata o artigo 33 da lei no 11.952, de 25 de junho de 2009″(…) http://pt.wikipedia.org/wiki/Minist%C3%A9rio_do_Desenvolvimento_Agr%C3%A1rio
    Há quem diga que o nome oficial desse ministério era pra ser “Ministério Extraordinário para a Reforma e Desenvolvimento Agrário”, mas a sigla seria uma piada pronta!!
    Claro que a manutenção de um Ministério inteiro, e toda a burocracia envolvida, não se deve à complexidade dos assuntos ligados à reorganização da estrutura fundiária no país, mas sim, mais uma vez, para atender às demandas fisiológicas do partidos da base aliada! O problema é perceber que, logo nesse início de governo, duas pastas do governo federal que deveriam andar par-e-passo já estão se estranhando! Isso não pode dar certo!…

  2. PC disse:

    Começa pelo Maranhão.

  3. Apolonio Prestes disse:

    Para que esses dois ministérios, podia juntar em um só.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *