Início » Brasil » Dilma acusa Armínio Fraga de ‘não gostar do salário mínimo’
Eleições 2014

Dilma acusa Armínio Fraga de ‘não gostar do salário mínimo’

Em comício, Dilma diz que Fraga é a favor da redução do salário mínimo. Economista é tido como eventual ministro da Fazenda em um governo Aécio

Dilma acusa Armínio Fraga de ‘não gostar do salário mínimo’
Acusação faz parte da estratégia de atacar o economista (Reprodução/Internet)

Em um comício realizado nesta terça-feira, 9, em Salvador, Dilma Rousseff atacou o economista Armínio Fraga, apontado como ministro da Fazenda de um eventual governo Aécio Neves. As críticas de Dilma fazem parte de uma estratégia adotada por sua campanha, de mirar no economista como personificação da crítica à política econômica proposta por Aécio.

No comício, a candidata do PT à reeleição acusou Fraga de “não gostar do salário mínimo”. “Implicar com o salário mínimo é a maior característica desse senhor, que foi presidente do Banco Central durante o mandato de Fernando Henrique Cardoso e, agora, aparece como sendo eventual futuro ministro da Fazenda, que não vai ser. Ele não gosta do salário mínimo. Ele acha que no Brasil para resolver os problemas eles têm de reduzir o salário mínimo porque está excessivo. Isso é um escândalo”, disse a presidente em referência a Fraga.

As declarações de Dilma são referentes a entrevistas recentes, onde o economista defende que algumas medidas, embora impopulares devem ser tomadas. Entre as medidas impopulares, de Fraga está o controle do salário mínimo. Em entrevista dada em abril deste ano ao Estadão, Fraga falou sobre a política do salário mínimo, que será revista no início de 2015.

“O salário mínimo cresceu muito ao longo dos últimos anos. É uma questão de fazer as contas. Mesmos as grandes lideranças sindicais reconhecem que o salário precisa guardar alguma proporção com a produtividade, sob pena de engessar o mercado de trabalho”, disse Fraga.

Em outra entrevista, dada nesta segunda-feira, 9, ao Valor, Fraga disse que os ataques de Dilma são uma forma de “fugir do debate” e voltou a defender que “o salário deve crescer com a economia”. “Para os salários continuarem a crescer, para os programas sociais continuarem a crescer, é preciso que a economia cresça. Apesar de todos os progressos, o Brasil continua a ser um país tremendamente desigual”, disse o economista.

Fraga vem declarando que, caso venha a ser ministro da Fazenda, fará uma gestão similar a de Antonio Palocci, ministro da pasta durante o governo Lula.

Fontes:
Estadão-Gasto público deveria ser limitado por uma lei, diz Armínio Fraga
Valor-Dilma: "Este senhor [Armínio Fraga] não gosta de salário mínimo"
Valor-Salários devem crescer com a economia, diz Arminio

10 Opiniões

  1. Marluizo Pires Cruz disse:

    Aguardando a voz das urnas para tentar entender, se existe relação individual do voto com a cidadania. Após o resultado da eleição veio à confirmação da voz das urnas proferindo existe relação do voto com interesses individuais da cidadania brasileira. Persistindo nas últimas eleições majoritárias a vitória populista da divisão assistencialista da renda do país. Reafirmando a manutenção do sistema de poder governamental no conceito da frase “É dando que se recebe” em termo de eleição o voto para eleger o candidato.

  2. denise disse:

    é facil controlar aumenta o salario real para 900 reais
    só corta salarios de deputados senadores e todos da assembleia legislativa
    ai sim as coisas vao melhorar
    tambem cortar salarios de jogadores de futebol
    que é abusivo deveria ser fixo e nao aumentar
    muita coisa pode ser mudado o fatr previdenciario deve acabar
    muitos aposentados foram prejudicados por esse aumento do fator gracas a dilma muita gente que trabalhou mais e contribuiu mais mesmo com a idade alcancado esta ganhando muito menos que deveria receber
    dilma fora
    aecio para presidente

  3. paulo fernando disse:

    A política econômica brasileira está um caos, nesse sentido já é mais do que suficiente e justo trocar a gestora(Dilma), porque do jeito que ela conduz vamos pagar um alto preço. Ainda bem que só até dezembro de 2014, porque ela está entregando, numa situação de ruina, corrupção e outros índices negativos, portanto não é atoa que o país está em declínio econômico.

  4. Ludwig Von Drake disse:

    O Armínio Fraga está certo, mas é difícil convencer o povo.

  5. helo disse:

    Sandra demonstrou com números que Dilma é quem não gosta de aumentar o salário mínimo. Flavia bem disse o poder de compra com a Dilma diminuiu e os juros das cadernetas foram congelados. O partido do Aécio criou o programa Bolsa que vai ficar ainda melhor. Sem Dilma vamos descansar das notícias diárias de escândalos e desaparecimento de somas espantosas. Vamos parar de sugar e matar a nossa Petrobrás.

  6. PC disse:

    Tchau Dilmente! AÉCIO NEVES PRESIDENTE!

  7. Sandra disse:

    A fala da candidata Dilma é mentirosa. Nos oito anos do governo FHC, o mínimo teve valorização de 85,04%; nos oito anos de Lula, foi um pouco maior: 98,32%; nos quatro anos de Dilma, deverá ser de apenas 15,44%.
    Pela lei em vigência, o ano de 2015 será o último no qual será adotada a atual fórmula de correção do salário mínimo: variação da inflação do ano anterior e do PIB de dois anos antes. Isso foi definido pelo Congresso Nacional no início de 2011. O partido Solidariedade e Aécio Neves já apresentaram projeto que estende a atual fórmula até 2019 — um ano depois do fim do próximo mandato. O PT de Dilma Rousseff combateu o texto nos bastidores…

  8. Marluizo Pires Cruz disse:

    Aguardando a voz das urnas para tentar entender, se existe relação individual do voto com a cidadania, economia individual do povo brasileiro, sendo talvez um primeiro passo, a voz das urnas no final venha transmitir aos doutrinadores e formadores de opinião de que o povo deve estar a votar consciente e livre, acima dos seus interesses individuais, devendo prevalecer o precioso bem de valor democrático que é a convivência harmoniosa de todos, no desenvolvimento dos princípios ético dos interesses da Nação.

  9. André Luiz D. Queiroz disse:

    Dizer que é necessário conter o aumento do salário mínimo é algo ‘temerário’ do ponto de vista “eleitoreiro” — é dar argumento para Dilma e PT sair acusando seu adversário disso e daquilo — mas entendo que, por mais impopular que seja tal medida, ela seja legítima e necessária para conter a inflação (lembremos que o agente econômico que mais paga salário mínimo neste país é justamente a previdência social, e que isso impacta pesadamente as contas do governo). A inflação é que é o grande problema econômico a ser combatido, com seriedade e disciplina fiscal (nada do governo sair gastando o que não tem!), pois essa afeta negativamente a todos, e mormente a assalariados e pensionistas que recebem somente o piso salarial; o salário é ajustado anualmente, mas a inflação é constante!, a corroer o poder de compra da população!
    De resto, continuo achando que Dilma Rousseff, como economista, é uma ótima ‘demagoga’! E como presidente da república… ah!, deixa pra lá! Melhor nem comentar!!

  10. Flavia disse:

    Quem não gosta é Dilma, que acabou com o poder de compra do salario minimo e congelou os juros das cadernetas.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *