Início » Brasil » Dilma defende a continuidade entre promessas de campanha e nova política econômica
Reunião ministerial

Dilma defende a continuidade entre promessas de campanha e nova política econômica

Na primeira reunião ministerial do novo governo, presidente culpou a crise mundial e a seca pelo estado da economia e preferiu não se aprofundar sobre temas mais espinhosos

Dilma defende a continuidade entre promessas de campanha e nova política econômica
Presidente discursou na abertura da primeira reunião ministerial do novo governo (Reprodução/OGlobo)

Na abertura da primeira reunião ministerial do novo governo, realizada nesta terça-feira, 26, a presidente Dilma defendeu os rumos da sua política econômica, alegando que não há divergência entre as medidas de reequilíbrio fiscal anunciadas pelo ministro da Fazenda Joaquim Levy e suas promessas de campanha. Dilma também fez um sobrevoo superficial dos principais problemas do país, como a crise hídrica e o escândalo de corrupção da Petrobras.

A presidente tem sido muito criticada pela oposição por anunciar as mesmas medidas conservadoras de arrocho fiscal que criticou no programa de governo da oposição durante a campanha eleitoral, como restrições ao seguro-desemprego, abono salarial e pensões. Rebatendo essas acusações, Dilma deu a entender que as políticas implementadas por Levy são uma continuação do seu projeto político.

“Nesses casos corretivos, não se trata de políticas fiscais mas correção de políticas sociais para aumentar sua eficiência e justiça”, disse a presidente. “Vamos promover o reequilibro fiscal de forma gradual, para preservar nossas políticas sociais.”

A presidente apontou dois “choques”, um interno e outro externo, como responsáveis pelos abalos sentidos na economia brasileira. No exterior, citou as baixas taxas de crescimento em lugares como China, Japão e o bloco europeu, além da queda no preço de commodities como o petróleo. No campo interno, Dilma destacou a alta nos preços dos alimentos devido ao “pior regime de chuvas de que se tem registro histórico no Brasil”.

“Precisamos promover um reequilíbrio fiscal criando condições para queda da inflação e a taxa de juros no médio prazo e garantindo assim a continuidade da geração de emprego e renda. Tomamos algumas medidas que tem caráter corretivo, medidas estruturais que se mostram necessárias”.

Dilma também tratou da crise hídrica, dizendo que o governo federal esteve atento e apoiou com vultosos investimentos as demandas dos governos estaduais. Quanto à crise na Petrobras, a presidente afirmou que o governo será implacável com corruptos e corruptores, mas que é preciso punir as pessoas e não as empresas.

“Temos que saber apurar e punir sem enfraquecer ou diminuir a importância da Petrobras. Temos que apostar na melhoria da governança da Petrobras e apostar no modelo de partilha do pré-sal e dar continuidade à vitoriosa política de conteúdo local.”

1 Opinião

  1. Revoltado disse:

    Tudo já está exposto, graças à Operação Lava Jato, tudo já foi dito, nada há mais que seja novidade. Essa senhora é uma doente mental, autista, acha mesmo que ninguém vai perceber a ladroagem, a mentira, e todo o plano petista de instauração de um novo modelo tupiniquim de ditadura…. o país está indo para o buraco, e ninguém que esteja em posição de impedi-lo, o faz. A desculpa? Democracia… pois bem, senhores, saibam que HITLER foi eleito democraticamente!!! Sem disparar um tiro!!! Atualmente, Exército, Aeronáutica, Marinha, Judiciário, Oposição, todos malditos, que queimem no inferno. E tudo é parcialmente culpa da tolerância dos militares, que, á época em que poderiam ter feito com essa corja toda vocês-sabem-bem-o-quê, não o fizeram. É essa cultura de coitadismo que assola o país. O resultado?? Estão todos de volta. São gente incapaz de autocritica, o poder é uma obsessão. Já diziam Geisel e Figueiredo: vai dar um trabalhão erradicar esses malditos do lugar que ocupam, talvez à custa de muito sangue. Agora, bem feito: estão todos metendo bronca, e pasmem, um deles é Ministro da Defesa.
    Malditos sejam todos os que se OMITEM, os que votaram NULO, os que votaram na DILMA LOUCA DE PEDRA, no PT e suas variantes, ao JUDICIARIO, ao STF, à REDE GLOBO, que manipula a verdade dos fatos, fugindo de sua razão social, e demais emissoras, jornais, revistas, blogs petistas, professores comunistas, artistas festivos, classe teatral, e toda essa MALTA DE SERES QUE NUNCA DEVERIAM TER NASCIDO.
    MALDITOS SEJAM TODOS VOCÊS.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *