Início » Brasil » Dilma e o controle da conta de luz
Coluna Esplanada

Dilma e o controle da conta de luz

Para validar o anúncio da redução da conta de luz, presidente terá de fechar o cerco às distribuidoras de energia

Dilma e o controle da conta de luz
Dilma fez anúncio da redução da conta de luz em pronunciamento na TV, em comemoração ao 7 de setembro (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os congressistas vão fechar o cerco às distribuidoras de energia para validar o anúncio da redução da conta

Leandro Mazzini é jornalista e escritor

de luz, promessa da presidente Dilma. Farão audiências para acompanhar a nova política de revisão tarifária, que será implantada por resolução pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica, a mesma que tem autorizado reajustes além do acordado por pressão das distribuidoras. No dia do anúncio de Dilma, a CEMAT, de Mato Grosso, aumentou em 9,54% as tarifas para o cidadão.

 

Do meu, não!

Apesar do avanço do governo para reduzir os encargos, por ora nenhum governador se antecipou a reduzir os ICMS sobre a tarifa de luz, temendo perderem receita.

 

Curto-circuito

Dudu da Fonte (PP-PE), que presidiu a CPI da Conta de Luz em 2009, propôs projeto (4034/12) que cria conselho das agências reguladoras, para fiscalizar os agentes.

 

Dois mundos

Um mendigo dormia na calçada do ponto de ônibus a 15 metros do Palácio do Planalto enquanto Marta Suplicy assumia a Cultura com orçamento de R$ 3 bilhões.

 

Batalha dos maçons

Pelo menos três senadores e o vice-presidente da República estão envolvidos na eleição para o grão mestre do Grande Oriente do Brasil, que detém orçamento de R$ 15 milhões anuais. Marcos José Silva tenta a reeleição com apoio de Romero Jucá (PMDB-RR). Gim Argello (PTB-DF) apoia o candidato da oposição, senador Mozarildo (PTB-RR).

 

Temer é terceiro

Jucá ajuda Marcos Silva visando enfraquecer Mozarildo Cavalcanti, seu adversário político local em Roraima. O vice Michel Temer apoia a candidatura de Benedito Ballouk, de São Paulo, a terceira via na disputa.

Turma do Poder

Além da briga parlamentar na disputa pelo comando maçônico, há a batalha pelo viés ideológico da instituição. A atual gestão preza pela neutralidade, já os dois opositores querem a Maçonaria com atuação mais política.

Sai de baixo

O deputado Tiririca e o roqueiro pansexual Serguei vão se encontrar dia 22, em Brasília. Serguei faz show no Sarau Psicodélico da Associação dos Servidores da CEB.

 

Descuido

A Justiça Eleitoral multou em R$ 2 mil o candidato Chalita (PMDB) à prefeitura de São Paulo por manter nas ruas cavaletes com sua foto após às 22h.

 

Na mira

O senador Randolfe (PSOL-AP) e outros pares vão convocar para depor na CPI do Cachoeira o deputado goiano Álvaro Guimarães (PR), que recebeu R$ 30 mil do esquema do contraventor, como revelado pela coluna.

 

Na mira 2

No mesmo dia em que o deputado distrital Cristiano Araújo tornou-se Secretário de Desenvolvimento do Governo do DF, ele virou indiretamente alvo da 11ª Vara do Trabalho por causa da empresa Fiança, de sua família, num rolo no Congresso.

 

Troca-troca

Pelo menos 350 terceirizados contratados pela Fiança para serviços no Senado cobram férias e 13º. Na audiência, ficou acordado o acerto do FGTS e baixa nas carteiras a partir de hoje. A Qualitecnica ‘herdou’ os empregados.

 

Índio quer apito

A Justiça determinou a retirada de 6 mil pessoas de área demarcada pela Funai em Mato Grosso. Se preciso, com uso da força. AGU diz que tenta evitar conflito, mas o governo mantém firme política indigenista.

 

Suicídio público

Por causa da crise na Grécia e corte de 40% no valor do pagamento das aposentadorias, a capital Atenas vive o horror de uma série de suicídios de idosos em praças.

 

Rolo compressor

Andrade Gutierrez, OAS, Queiróz Galvão, Odebrecht e Camargo Corrêa tentam abocanhar os contratos da Delta no PAC, com ajuda do governo.

Ponto Final

‘Eu sei que não foi fácil. Aliás, no exercício de governo, raramente é fácil’.
Da presidente Dilma, para Ana de Hollanda, que se despede da Cultura.

_______________________________________

Com Marcos Seabra e Vinícius Tavares

www.colunaesplanada.com.br
contato@colunaesplanada.com.br
Twitter @colunaesplanada

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. João Cirino Gomes disse:

    Os políticos que roubam desviam e superfaturam também deveriam devolver o que surrupiam!

  2. Luiz Mourão disse:

    O que o Brasil precisa é que o preço dos derivados de petróleo sejam contidos pois o recurso DEVERIA ser nosso, DO POVO, mas é da Petrobrás e seus acionistas e seus funcionários!!!
    Quem desconhece o quanto o preço do combustível é agregado indireto dos preços de praticamente TUDO????
    E vem aquela ladainha ingênua de sempre: o petróleo é nosso, que orgulho temos disso!!
    Ora, quem é o SUJEITO que exercita o pronome possessivo “nosso” no refrão???
    Certamente O POVO não é!!!!
    E há aqueles que, ingenuamente, caem nessa estorinha da Carochinha…

  3. Afonso Schroeder disse:

    OS POLÍTICOS:
    Os políticos em nosso imenso Brasil, estavam acostumados a fazer caridade com o bolso do governo federal, agora que existe a necessidade de mostrar empenho e capacidade de gerenciamento com a pecúnia de toda sociedade, se percebe que alguns Estados deste gigante são corporativistas e torcendo pelas coisas não darem certas, esta na hora de acompanhar as coisas boas que o governo Federal quer programar, pois o povo tem ansiedade e desejo em saber das coisas que trazem benefícios a todos, chega de sonhar com aqueles tempos, onde tudo era feito entre classes e pra grande maioria só vinha à sobra, sei esta nova maneira de administrar as coisas públicas incomoda esta minoria, mas se percebe que a sociedade não quer retorno à aqueles tempos de político-econômicas onde uma nino ria determinava o que era bom para a sociedade, pois todos enxergamos que existe a necessidade de dar os primeiros passos, para a busca dos grandes desníveis sociais, que são o grande mal do século XXI, ou será que esta minoria acha que a sociedade contemporânea não percebe que uns poucos têm tudo e a grande maioria que não têm nada vai se calar, nos tempos novos precisamos de homens que pretendem cuidar das coisas públicas com capacidade desprendimento, buscando diuturnamente o aprimoramento nas instituições.

  4. Sérgio A. Träsel disse:

    Na minha vã filosofia não imaginava que havia disputas de “beleza” internas entre os praticantes da maçonaria. Sempre pensei que eles se ajudavam e apoiavam mutuamente, visando obterem benesses, além de trabalharem pela ascensão social e econômica dos seus membros e familiares.

    Pelo que se percebe, até entre os “pedreiros” instalou-se a cizânia, a disputa feroz do poder pelo poder.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *