Início » Brasil » Dilma exclui ministros de viagem aos EUA para deixar crise no Brasil
Política

Dilma exclui ministros de viagem aos EUA para deixar crise no Brasil

Citados em delação da Operação Lava Jato, os ministros Aloizio Mercadante e Edinho Silva foram excluídos da viagem para proteger imagem de Dilma no exterior

Dilma exclui ministros de viagem aos EUA para deixar crise no Brasil
Mercadante é um dos principais aliados de Dilma desde o início de seu primeiro mandato (Foto: Wikimedia)

A citação dos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Edinho Silva (Comunicação Social) na delação de Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, fez a presidente Dilma Rousseff excluir ambos da viagem para os Estados Unidos. A ida aos EUA é considerada a principal agenda internacional da presidente este ano e a presença dos ministros poderia atrapalhar o encontro com Obama e alguns investidores americanos.

Dilma tomou a decisão na última sexta-feira, 26, após uma reunião de emergência. O objetivo da presidente era deixar a crise de corrupção no Brasil, enquanto busca soluções e acordos com países vizinhos. Os conselheiros da presidente acreditam que a medida impedirá que os escândalos se propaguem para fora das fronteiras brasileiras.

Após a revelação sobre o teor do que foi dito por Ricardo Pessoa, alguns membros do governo passaram a defender o afastamento de Mercadante e de Silva, porém eles seguem com o voto de confiança de Dilma. Os que defendem a saída de Edinho acreditam que a proximidade dele com o gabinete de Dilma fará a crise respingar na presidente.

“O Edinho, ao invés de estar defendendo o governo, está tendo de se defender das denúncias. Cada vez que ele tem de sair do papel de ministro da Secretaria de Comunicação (SECOM) para defender o governo, encarnar o papel de tesoureiro e responder denúncia, fica muito ruim pra Dilma, porque respinga nela”, disse um membro do governo que preferiu manter o sigilo.

Aloizio Mercadante foi citado em uma lista que Ricardo Pessoa nomeou de “Pagamentos de caixa dois ao PT”, com repasse de R$ 250 mil para a campanha do atual ministro ao governo de São Paulo, em 2010. Segundo Pessoa, Edinho o pressionou para que fizesse doações à campanha de Dilma e em troca não perderia contratos com a Petrobras.

Fontes:
Estadão-Dilma barrou Mercadante para não ‘transportar’ crise à visita aos EUA

1 Opinião

  1. Dimitri Balachevich disse:

    Eu sabia que o governo Dillma iria perder a pouca compostura que tinha, mas não esperava que elles teriam vergonha de encarar os americanos: esquerdistas do terceiro mundo são arrogantes e debochados.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *