Início » Brasil » Dilma muda o curso de sua política econômica
Admitindo os erros

Dilma muda o curso de sua política econômica

A escolha da nova equipe mostra que Dilma admitiu os erros de sua gestão passada e está disposta a aceitar mudanças

Dilma muda o curso de sua política econômica
A maioria dos indicadores econômicos brasileiros apontou na direção errada durante a primeira gestão da presidente (Reprodução/Internet)

A presidente Dilma Rousseff anunciou na última quinta-feira, 27, sua nova equipe econômica. Joaquim Levy será o novo ministro da Fazenda e Nelson Barbosa será o novo ministro do Planejamento. Ambos os nomes são respeitados e bem aceitos pelos investidores, e têm uma agenda voltada a uma política econômica mais ortodoxa.

Leia mais: Dilma anuncia sua nova equipe econômica

A escolha de Levy e Barbosa é um sinal de que a presidente admitiu os erros do primeiro mandato. Dilma venceu as eleições prometendo pleno emprego e o contínuo aumento de renda. Mas essas promessas foram feitas à custa do crescimento econômico.

A maioria dos indicadores econômicos brasileiros apontou na direção errada durante a primeira gestão da presidente. O crescimento econômico registrado nos últimos anos foi medíocre, e inflação chegou a 6%, muita acima da meta de 4,5%.

A primeira missão da nova equipe econômica será resgatar a credibilidade econômica do país. Mas Dilma terá de deixar sua equipe trabalhar sem a intromissão dos anos anteriores. Ela também terá de defender medidas que serão impopulares a curto prazo, especialmente entre os membros de seu partido, o PT.

As medidas que serão implantadas pela nova equipe são similares às que Aécio Neves apresentou em sua campanha presidencial. Recentemente, Aécio, que foi derrotado pela presidente nas eleições, disse que “colocar Levy na Fazenda é como convocar um agente da CIA para controlar a KGB”.

Além dos problemas econômicos, Dilma perdeu apoio de aliados e seu partido enfrenta um turbilhão de denúncias de corrupção na Petrobras. Nenhum presidente brasileiro começou um segundo mandato com tamanha fraqueza. Mas admitir os erros, mudar sua equipe e aceitar mudanças já é um bom recomeço para a presidente.

Fontes:
The Economist-Dilma changes course

3 Opiniões

  1. helo disse:

    Mudança surpreendente. Até parece que o PSDB é que ganhou.

  2. vanda disse:

    Quatro anos para fazer os erros, quatro para desfazer. É torcer para que o prejuízo seja menor e que não haja cansaço.

  3. Joma Bastos disse:

    Dilma quer recuperar o Brasil do desastre econômico a que foi sujeito pelos seu governo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *