Início » Brasil » Dilma se manifesta contra a redução da maioridade penal
Política

Dilma se manifesta contra a redução da maioridade penal

Através de postagem no Facebook, presidente se mostra contrária à proposta, numa tentativa de mobilizar os militantes do PT

Dilma se manifesta contra a redução da maioridade penal
Primeira postagem de Dilma sobre o assunto no Facebook. Michel Temer foi contra o posicionamento por se tratar de um assunto polêmico (Foto: Reprodução/Facebook)

A proposta da redução da maioridade penal que vem causando polêmica no Congresso chegou à presidência. Dilma Rousseff decidiu assumir publicamente a posição contrária ao projeto, que reduz de 18 para 16 anos a idade mínima de responsabilização criminal e é criticado por ativistas dos direitos humanos.

Leia mais: Comissão aprova PEC que reduz maioridade penal

O posicionamento da presidente faz parte de um conjunto de ações de Dilma para se reaproximar da esquerda e motivar os militantes do PT em sua defesa.

“Não é solução: os adolescentes não são responsáveis por grande parte da violência praticada no país. Os atos infracionais cometidos por eles não chegam a 10% do total dos crimes praticados no Brasil há décadas”, afirmou a presidente através de sua página no Facebook na última segunda-feira, 6.

Dilma decidiu se manifestar após discutir o assunto com a sua cúpula, que conta com os ministros José Eduardo Cardozo, Jaques Wagner, Edinho Silva e Eliseu Padilha.

O vice-presidente, Michel Temer, foi contra a manifestação por se tratar de um assunto polêmico. De acordo com ele, mais da metade da população é a favor da redução e um posicionamento contrário da presidente poderia agravar ainda mais a instabilidade política que o governo atravessa.

Fontes:
Folha-Dilma decide falar contra redução da maioridade penal

3 Opiniões

  1. jose volnei silveira disse:

    eu não consigo entender como a presidenta e todo o pt podem ser contra a redução da maioridade penal?
    os queridos e as queridas com 16 anos,fazem sexo,bebem alcool,fumam de tudo,votam para presidente da republica,viajam para la e para ca em aviões,compram celulares de ultima geração,sabem comprar roupas da moda,pressionam seus pais para fazer o que querem,sabem usar as redes sociais,emfim fazem um monte coisas que o famigerado ECA da somete direito:
    mas não podem responder por crimes na justiça ? crimes orquestrados,tratam suas vitimas como coisas sem valor,sem piedade alguma,usam armas com altos calibres:
    ,AONDE VOCES POLITICOS CONTRARIOS QUEREM CHEGAR?,QUEM VOCES QUEREM REALMENTE PROTEGER ?
    cega de discurso barato,que não adianta reduzir,temos que melhorar as condições de vida socio economica ,isso é papo furado ,com essa roubalheira não da tempos para essa gente trabalhar em prol da nação como um todo.

  2. André Luiz D. Queiroz disse:

    A responsabilidade penal deveria começar com o nascimento do indivíduo.” — Vitafer, também não é assim. A não responsabilidade penal do menor de idade é porque entende-se que, enquanto criança/adolescente, ele(a) ainda não tem plena ‘consciência das consequências individuais e coletivas de seus atos e da responsabilidade legal embutidas nas suas ações’ http://pt.wikipedia.org/wiki/Maioridade_penal . Entendo que o jovem moderno, urbano, recebe um montante de informação muito maior do que os de outrora, e que isso o leva a alcançar maturidade psicológica mais cedo (?…) e poderia, a princípio, ter responsabilidade penal mais cedo (principalmente em se tratando daqueles sabidamente delinquentes, que se aproveitam de sua condição ‘di menor’, na certeza de que contam com relativa impunidade). Mas, ao mesmo tempo, concordo que a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, em si, não vai se refletir em menores índices de criminalidade infantojuvenil…

    Da ‘manifestação’ de Dilma no facebook: “Os adolescentes não são responsáveis por grande parte da violência praticada no País” — é, concordo! Grande parte da violência praticada no País é de responsabilidade dos agentes do Estado, que são omissos em seus deveres para com a sociedade! O dinheiro público que não é aplicado em educação, saneamento básico, saúde pública, transporte urbano, é o dinheiro que também vai faltar para a segurança pública (mas, ‘curiosamente’, não falta quando é para prover mordomias a esses mesmos agentes públicos, ou quando para beneficiar os aliados políticos no Brasil e no exterior…!)

  3. Vitafer disse:

    A responsabilidade penal deveria começar com o nascimento do indivíduo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *