Início » Brasil » Dilma se oferece para mediar o diálogo entre Venezuela e EUA
Diplomacia

Dilma se oferece para mediar o diálogo entre Venezuela e EUA

A presidente Dilma Rousseff conversou por telefone com o presidente venezuelano Nicolás Maduro e com o vice-presidente americano, Joe Biden

Dilma se oferece para mediar o diálogo entre Venezuela e EUA
Em conversa por telefone, Dilma ofereceu ajuda a Maduro para melhorar relações com o EUA (Reprodução/Internet)

Nesta quarta-feira, 8, a presidente Dilma Rousseff conversou por telefone com o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, com quem tratou abertamente sobre as recentes tensões entre a Venezuela e os Estados Unidos. Dilma se colocou à disposição para contribuir para a melhoria do diálogo entre os dois países.

Leia também: Casa Branca tenta minimizar crise com Venezuela antes de cúpula regional 
Leia também: Maduro acusa Obama de dar um passo ‘injusto e nefasto’ contra a Venezuela

Em seguida, Dilma conversou com o vice-presidente americano, Joe Biden. O Planalto, em nota, não especificou se Dilma e Biden falaram sobre a Venezuela. Os dois discutiram questões relacionadas à próxima visita que a presidente fará aos EUA, que deve ocorrer em setembro. Durante a conversa, também foi confirmado o encontro da presidente com Obama na Cúpula das América, que começa nesta sexta-feira, 10, na Cidade do Panamá.

O governo brasileiro quer aproveitar o encontro no Panamá para se consolidar no papel de intermediário na tentativa de aproximação entre Venezuela e Estados Unidos. O presidente Nicolás Maduro disse estar disposto a “promover uma redução das tensões com os Estados Unidos, em base ao respeito mútuo à soberania nacional dos dois países”.

Em outro sinal de apaziguamento entre a Venezuela e os EUA, Maduro fez elogios a um assessor da Casa Branca. O funcionário explicou que o governo americano não se considera ameaçado pela Venezuela. A inclusão do país na lista de países que representam ameaça à segurança dos EUA teria sido, segundo o assessor, uma medida para justificar legalmente à aplicação de sanções contra sete altos funcionários do governo venezuelano.

O presidente venezuelano também convidou um alto diplomata americano a visitar Caracas. A visita oficial do conselheiro do Departamento de Estado dos EUA, Thomas Shannon, começou terça-feira e termina nesta quinta-feira, 9.

Fontes:
Folha de São Paulo-Maduro faz aceno a americanos antes de cúpula no Panamá
O Globo-Dilma oferece auxílio a Maduro para melhorar relações com os EUA

2 Opiniões

  1. André Luiz D. Queiroz disse:

    Renato,
    Claro que não se trata da fluência em línguas de Dilma Rousseff (não sei se Dilma fala inglês ou espanhol, acho que não; parece que ela fala um pouco de francês, mas, a julgar pela oratória dela em português, não deve ser lá essas coisas…); o problema maior é, claro, a falta de ‘relevância’ de Dilma para tal diálogo EUA x Venezuela. O que Dilma Rousseff poderia acrescentar que fosse minimamente pertinente à discussão entre os dois? E o que isso traria de benefícios práticos para o Brasil, em qualquer aspecto? Não consigo ver nada que justifique ela se meter nisso. Parece que Dilma apenas tenta projetar, tardiamente, uma imagem de ‘estadista’ (o que ela nunca foi!) e preservar sua própria ‘relevância’ na esfera política brasileira — copiando aquela oferta ridícula de Lula de intermediar o “processo de paz” entre Israel e Palestina, onde ele só deu vexames, “contaminado com o vírus da paz desde o útero da mãe” e embaraçou terrivelmente o Itamaraty com suas várias gafes durante a visita a Israel….!

  2. Renato Fregapani disse:

    Dona Dilma mal fala o tupiniquim básico, como é que ela quer ficar entre o caraíba e o creole ?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *