Início » Brasil » É preciso reduzir consumo de energia, e para já
Segundo especialistas

É preciso reduzir consumo de energia, e para já

Especialistas defendem a adoção de um programa para promover o uso consciente da energia

É preciso reduzir consumo de energia, e para já
Ações podem evitar medidas mais drásticas em 2015 (Fonte: Reprodução/Jornal de Hoje)

A seca e o baixo nível das hidrelétricas preocupam especialistas do setor de energia. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, especialistas disseram que são necessárias ações imediatas para reduzir o consumo de energia.

Essas ações evitariam medidas mais drásticas no próximo ano, incluindo racionamento ou cortes seletivos de energia — o que já foi sugerido pelo Operador Nacional do Sistema (ONS).

Os especialistas defendem a adoção de um programa para promover o uso consciente da energia. Alguns afirmam também que o governo não tem sido claro com a população sobre os riscos para o abastecimento.

Claudio Sales, do Instituto Acende Brasil, diz que, “para evitar especulações, o governo deveria ter maior clareza de suas ações”. Cristopher Vlavianos, da comercializadora Comerc, cita a necessidade de um incentivo financeiro visando à redução do consumo de energia.

Os consumidores podem adotar algumas medidas simples para ajudar a economizar energia elétrica, reduzindo também o valor da sua conta de luz, como, por exemplo, diminuir o tempo de banho em chuveiro elétrico, desligar o “stand-by” de equipamentos, colocar o computador em estado de espera, não deixar a geladeira aberta, entre outras.

Fontes:
Folha de S.Paulo - Energia precisa de medidas imediatas, dizem analistas

1 Opinião

  1. Joma Bastos disse:

    Políticas erradas!
    Esses especialistas querem fazer esquecer o mais importante, a necessidade de aumentar a produção de energia elétrica.
    Esses especialistas querem culpar todos nós, pelo défice de energia atual.
    Um país com um Nordeste tão solarengo e com área suficiente para a produção de energia elétrica através de painéis solares, já não devia estar dependente das hidrelétricas.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *