Início » Brasil » E se o xisto substituir o ouro negro?
Combustível

E se o xisto substituir o ouro negro?

Se isso acontecer surgirão inevitavelmente mudanças radicais na geopolítica do petróleo

E se o xisto substituir o ouro negro?
Fragmentos de xisto (Reprodução/Internet)

As abundantes jazidas de gás de xisto permitirão aos Estados Unidos se tornarem autossuficientes neste combustível talvez em médio ou longo prazo.

Podem até passar da condição de os maiores importadores de petróleo do mundo à de um dos maiores exportadores de xisto bruto, gasolina e gás extraídos do mesmo.

Suponhamos que isso realmente aconteça e surgirão inevitavelmente mudanças radicais na geopolítica do petróleo.

Os países árabes e a Venezuela, verdadeiras monoculturas do petróleo – sua única mercadoria de exportação, que vendem até para poder comprar comida – sofrerão uma crise mais aguda do que a Grande Depressão dos terríveis anos 30.

As consequências dessa crise seriam imprevisíveis. Talvez só não seja tão atingido por ela Dubai (Emirados Árabes), que há bastante tempo criou uma indústria de turismo de luxo, com seus hotéis mais imponentes e requintados do que qualquer hotel europeu e/ou americano.

Mas o que aconteceria com a Arábia Saudita, o Iraque, o Kwait e a Venezuela de Chávez, um pais muito pobre, mas que é o sexto exportador de petróleo bruto do mundo?! Quais seriam os efeitos desses países perderem seu maior comprador e outros que passariam a comprar xisto dele? Ficariam na miséria?

Não necessariamente, pois contariam ainda com um grande comprador: a China, supondo que esta mesma não contasse com grandes jazidas de xisto, coisa que não sabemos dizer se ela possui ou não.

Quanto ao Brasil, ele é um dos países possuidores de grandes jazidas de xisto e poderia se tornar autossuficiente neste combustível. Haveria apenas uma pequena mudança: em lugar da Petrobras surgiria a Xistobras, e o antigo refrão sofreria apenas uma pequena mudança: O xisto é nosso!

* Trechos selecionados do artigo de Mario Guerreiro publicado no Instituto Millenium, parceiro do Opinião e Notícia

Fontes:
Instituto Millenium - E se o xisto substituir o ouro negro?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

12 Opiniões

  1. Jairo Pinto Barbosa disse:

    Monteiro Lobado a principios do século passado já demonstrava as qualidades do xisto betuminoso do Vale do Paraiba.

  2. Andre Luiz D. Queiroz disse:

    O problema dessa análise é que ela não vai além da conjectura: “e se…”!

    Antes que as reservas brasileiras de xisto sejam alardeadas aos quatro ventos como o grande trunfo para a autossuficiência energética brasileira, e que o governo petista resolva criar uma nova estatal com o monopólio da prospecção e produção do xisto, bem como da produção de gás natural, gasolina, diesel e outros derivados a partir do xisto — estatal essa para a qual o PMDB já tem um lista de indicados para os cargos-chave! — e que Venezuela, Iraque, e outros países membros da OPEP vejam suas importâncias no cenário político mundial encolherem ao nível de um Haiti, ou Bagladesh, é preciso que a tecnologia de extração de óleo e gás do xisto se torne mais desenvolvida e economicamente atrativa (e disponível ao Brasil!) a ponto de seriamente deslocar o petróleo convencional.

    Enquanto isso não se confirma, todo esse cenário imaginado se encaixa numa música de Francis Hime:
    E se o oceano incendiar
    E se cair neve no sertão
    E se o urubu cocorocar
    E se o botafogo for campeão
    E se o meu dinheiro não faltar
    E se o delegado for gentil
    E se tiver bife no jantar
    E se o carnaval cair em abril
    E se o telefone funcionar
    E se o pantanal virar pirão
    E se o Pão-de-Açúcar desmanchar
    E se tiver sopa pro peão
    E se o oceano incendiar
    E se o Arapiraca for campeão
    E se a meia-noite o sol raiar
    E se o meu país for um jardim
    E se eu convidá-la para dançar
    E se ela ficar assim, assim
    E se eu lhe entregar meu coração
    E meu coração for um quindim
    E se o meu amor gostar então de mim

  3. Aureo Ramos de Souza disse:

    Eh, se quando eu ainda adolescente escutei e vi nos cinemas O PETRÓLEO E NOSSO, sim ele é mais mal distribuído pois só os grandes tecnocratas e grandes oligarquias têm a condição e nós pobres assalariados só ver é roubo, roubo e mais roubo. Será se chegarmos ao Xisto e o Xisto se tornar O XISTO É NOSSO poderemos ser de fato País Rico é País sem Pobreza na verdade e não nas palavras presidenciais?

  4. FILISBINO disse:

    Alguém aí pensa que os EUA se preocupam com países emergentes ou exclusivamente petrolíferos????!!!! Meio Ambiente?!?!?! eles alteram as regras internacionais ao seu bel prazer e que se f…da….dinheiro dinheiro e controle é o que manda a politica econômica americana e ponto, petróleo se eles não tiverem tomam dos outros…lembra da Líbia, do Iraque, do Kwait…fazem como querem, manobram, estorquem, torturam, matam, se apoderam e o mundo bate palma…..

  5. renato vasconcellos disse:

    O petróleo ainda é muito barato. vai levar tempo,

  6. helo disse:

    O Rio de Janeiro é como esses países que só produzem petróleo, e sem futuro. O xisto brasileiro está nas proximidades do Rio. Com isso serão 2 batalhas por royalties, a do pré-sal ainda virgem e a do xisto que, como lembra André, desde já deverá ganhar nova estatal ou novo ministério, o de número 50.

  7. PENSADOR disse:

    FRACKING DO XISTO PROVOCA CONTAMINAÇÃO DE LENÇÓIS E ABALOS SÍSMICOS E É PROIBIDA NA UEE.
    youtube.com/watch?v=lo2WG18fw44
    Este processo racha grandes blocos de rocha no subsolo para provocar a liberação do gás nela contido. este processo fraturou a rocha no poço da CHEVRON em campos e, próvavelmente, está fazendo o mesmo no norte de São Paulo com o vazamento que ocorre neste momento,, como ouvi agora no Globonews.
    A REGIÃO NORTE DE SÃO PAULO É ONDE SE LOCALIZAM AS MAIS LINDAS PRAIAS DO ESTADO.
    Torneiras pegando fogo com contaminação de gás de fracking: youtube.com/watch?v=Xg4VNGFP6qE
    E NÃO É TUDO. O GÁS NATURAL SEM TRATAMENTO É CONTAMINADO POR MERCÚRIO, inclusive no Brasil.
    Confiram: riosvivos.org.br/canal.php?c=162
    E MAIS: A termelétrica de William Arjona em Campo Grande , consome somente 600 mil m3/mês e por contrato o Brasil paga 12 vezes mais, 12 milhões de m3, ou seja, custa 12 vezes mais.
    E O PIOR. O BRASIL POSSUI 3 VEZES MAIS ENERGIA EÓLICA DO QUE TODA A ELETRICIDADE QUE CONSUMIMOS. nosso parque elétrico é de cerca de 130 mil MW e a energia eólica potencial, somente, é de 300 mil MW.

    Técnica para extrair gás proibida na Europa será testada no Brasil
    Usando técnicas de fraturamento hidráulico em combinação com a perfuração horizontal, as empresas de energia são capazes de aumentar a produção de petróleo e gás natural.
    Apesar da proibição em jurisdições promissoras como a França, as grandes empresas estrangeiras estão olhando para fora da América do Norte. Essas empresas vão se empenhar em aplicar seus conhecimentos e fluxos de caixa para outras bacias maduras – particularmente na Argentina, Brasil “Bacia do Recôncavo”, China, México, Polônia e África do Sul.geofisicabrasil.com/artigos/111-tecnologia11/3161-bacia-do-reconcavo-x-fraturamento-hidraulico.html

  8. PENSADOR disse:

    OS PISTOLEIROS ECONÕMICOS CONTINUAM A QUEBRAR NOSSA ECONOMIA E NOSSO FUTURO:
    NÃO PRECISAMOS DESTE GÁS!!!!!
    NOSSO CONSUMO DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS É DE CERCA DE 121 BILHÕES DE LITROS/DIA.
    Fonte: Balanço Energético Nacional, ben.epe.gov.br/downloads/Resultados_Pre_BEN_2012.pdf

    Assim, como o poder energético do etanol é de 2/3 da gasolina ou diesel, precisaríamos de 182 BILHÕES DE LITROS DE ÁLCOOL PARA SUBSTITUIRMOS TODO O COMBUSTÍVEL LÍQUIDO NOSSO POR ESTA MATRIZ.
    Como a produtividade média de etanol está em cerca de 8.500 litros/hectare ano bastaria dividir este valor, 182 x 10**9 por 8500 para acharmos a área necessária em hectares para produzir tal volume. Assim, achamos 182 bi/8500= 21,4 milhões de hectares de terra. PORTANTO, BASTARIA 22 MI DE Ha DE TERRA OU SOMENTE 10% DOS PASTOS USADOS EM PECUÁRIA EXTENSIVA PARA SUBSTITUIR TODO NOSSO COMBUSTÍVEL LÍQUIDO POR ETANOL, COM CUSTO MENOR, sem derrubar uma só mata.(nossa pecuária estensiva ocupa 220 milhões de Hectares)
    O custo de um litro de petróleo para extrai-lo do poço no Brasil é de cerca de R$0,28 ((us$14.00/159) e vendido às refinarias por US$100,00 por barril de 159 litros ou R$1,32 o litro, em dólar.
    O custo de um litro de etanol na usina custa cerca de R$0,35 o litro é vendido às refinarias por cerca de R$1,10 nos leilões de etanol.
    O custo de implantação de uma usina de etanol, tem se situado na prática em cerca de US$1.00 por litro de etanol.
    COMO O BRASIL PRETENDE INVESTIR US$236 BI DE DÓLARES ATÉ 2016 NO PRÉ-SAL ELEITORAL, ESTE DINHEIRO PODERIA IMPLANTAR UM PARQUE PRODUTIVO DE ETANOL DE 236 BILHÕES DE LITROS/ANO, SUBSTITUINDO TODA NOSSA MATRIZ SUJA DE PETRÓLEO POR ETANOL, A CUSTOS MENORES.

    ENERGIA EÓLICA É MAIS BARATA DO QUE TÉRMICAS, SEGUNDO ELETROBRÁS: ecodesenvolvimento.org/noticias/energia-eolica-e-mais-barata-que-termicas-a-gas-e
    Assim, se a energia eólica e biomassa,são mais limpas, mais baratas, menos poluentes e mais seguras do que as as térmicas e nucleares qual o motivo de nos metermos nestas aventuras como Pré-sal, que os EUA tem no Oceano ártico e não explora e a África também tem Pré-sal na mão das 7 Irmãs que não sentem segurança em utilizá-lo.

  9. helo disse:

    Filisbino, devemos nos preocupar sobretudo com nossas questões. Os que se ocupam só com os EUA como a Coréia do Norte, se atrasam porque desviam tempo e energia dos seus problemas internos gravíssimos. Que bom que os americanos vão abrir o caminho tecnológico para a exploração do xisto que também temos. Se for péssimo para o meio ambiente como aponta o pensador, breve saberemos. Vamos ganhar com eles e nem por isso bateremos palmas. Aliás os EUA não recebem palmas em lugar nenhum, as vezes até injustamente.

  10. Andre Luiz D. Queiroz disse:

    @PENSADOR,
    No cálculo apresentado sobre o custo de produção do etanol, por acaso foi considerado o consumo de água? E existem outros custos envolvidos (adubos, etc.), de modo que o cálculo de área a cultivar cana de açúcar para produzir etanol suficiente para substituir totalmente a gasolina (e somente a gasolina!), me parece um pouco… simplório.

    Na verdade, o combustível que ‘move’ o país não é gasolina, que tem seu uso restrito quase unicamente aos automóveis de passeio. O principal combustível para o país é o óleo diesel, usado nos motores de caminhões, ônibus, e navios (transporte fluvial), além de máquinas industriais! Tanto assim que o preço da gasolina subsidia o preço do diesel, cujo uso é vedado aos carros de passeio.

  11. celso disse:

    O pensador tem razão. Espero que nunca tenhamos necessidade de explorar nossas ricas jazidas de xisto.
    waterpollutionlawyers.com/process/
    The chemicals that are used in a fracking fluid cocktail can include:

    Benzene, a known carcinogen
    Toluene
    Ethyl benzene
    Xylene
    Other toxics
    wikipedia.org/wiki/Hydraulic_fracturing
    “Opponents point to potential environmental impacts, including contamination of ground water, risks to air quality, the migration of gases and hydraulic fracturing chemicals to the surface, surface contamination from spills and flowback and the health effects of these. For these reasons hydraulic fracturing has come under scrutiny internationally, with some countries suspending or banning it.”
    “The fracturing fluid varies in composition depending on the type of fracturing used, the conditions of the specific well being fractured, and the water characteristics. A typical fracture treatment uses between 3 and 12 additive chemicals.”
    É um verdadeiro cocktail da morte.
    O Canadá está sofrendo com a exploração do xisto.
    dirtyoilsands.org/thedirt/article/quick_facts
    The Tar Sands Disaster. Este artigo é bem elucidativo.
    “The most obvious reason is that tar sands production is one of the world’s most environmentally damaging activities”
    dirtyoilsands.org/news/article/the_tar_sands_disaster

  12. salim disse:

    Essa nova fonte de energia é resultante de esforço paralelo ao plano de ruptura existente nos EE UU
    para a descoberta de energias alternativas; algumas, já descobertas, estão na busca de escala economicamente viável.

    “A derrocada do capitalismo continua sendo esperada e não chegará enquanto firmar-se na inovação’.

    Para enriquecer o assunto vale a pena ler do Blog do Vespeiro, a seguir no link

    “Shale gas” e pré-sal: o mundo é pequeno para os dois

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *