Início » Brasil » Eleitos em capitais ‘esconderam’ R$ 34,4 milhões
Doações

Eleitos em capitais ‘esconderam’ R$ 34,4 milhões

Contribuições de empresas e de pessoas físicas apareceram como doações dos diretórios municipais, estaduais ou nacionais dos partidos

Eleitos em capitais ‘esconderam’ R$ 34,4 milhões
Os R$ 34,4 milhões representam 62,6% do valor arrecadado pelos candidatos vitoriosos nas capitais (Fonte: Reprodução/Agência O Dia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Das nove capitais que não tiveram 2º turno nas eleições municipais de outubro, oito candidaturas vitoriosas “esconderam” R$ 34,4 milhões das doações que receberam de empresas e de pessoas físicas no balanço de contas apresentadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Leia também: Saiba quanto custaram as eleições de 2012
Leia também: Quanto ganha o prefeito da sua cidade?

No documento apresentado ao TSE, o valor aparece como doação dos diretórios municipais, estaduais ou nacionais dos partidos — o que é permitido pela lei eleitoral. Os R$ 34,4 milhões representam 62,6% do valor total arrecadado pelos candidatos vitoriosos nas capitais no 1º turno das eleições.

O candidato eleito em Goiânia, o petista Paulo Garcia, foi o único das nove capitais que elegeram seus prefeitos no 1º turno que não apresentou a prestação de contas ao TSE dentro do prazo.

No Rio de Janeiro, por exemplo, a doação da direção nacional do PMDB informada chegou a R$ 15,2 milhões, sendo que o partido do prefeito reeleito Eduardo Paes declarou uma arrecadação total de R$ 20,9 milhões nas eleições deste ano.

‘Afronta à democracia’

Outro caso curioso é o de Boa Vista, no Acre. A candidata eleita, Teresa Jucá (PMDB), recebeu toda a verba declarada para a campanha, que totalizou R$ 1,9 milhão, do diretório estadual do partido.

De acordo com o juiz Márlon Reis, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa, as doações ocultas são uma “afronta à democracia”. Em entrevista ao Uol, o juiz diz que “o cidadão, como soberano, tem o direito de saber quem sustenta as campanhas eleitorais com verbas milionárias. Só assim se tem uma ideia dos interesses que estão por trás das candidaturas”.

Fontes:
Uol - Vitoriosos em capitais no 1º turno receberam R$ 34,4 mi em doações ocultas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Afonso Schroeder disse:

    Isto nas capitais e os municipios chamados de interior que em algumas cidadas foi perceptivel o gasto de milhões, será que vai ser feito algum controle ou vai ficar por isto mesmo, percebe-se em algumas cidades a população optou pelo deslumbramento folclorico da campanha.

  2. João Cirino Gomes disse:

    Chega de tanto lero -lero, pois vai tudo dar em nada mesmo; enquanto não tiver fim alei de imunidade parlamentar e o foru privilegiado é isso ai, só vai para a cadeia os ladrões de galinhas, uns por tentar furtar champo, outros por surrupiar leite maisena e marmelada! Enquanto isso, estes bandidos integrantes do verdadeiro crime organizado, que desviam e superfaturam, continuarão roubando acobertados pela lei de imunidade!

    Abaixo assinado pelo fim da imunidade
    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=Janciron

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    Tem um baião que diz: Ví um galho de angico cheio de arapuar, comecei com varinha, devagar devagarinho futucando devagar e é o que estar acontecendo no Brasil se for futucando devagar e devagarinho sairá uma porção de Arapuar ou melhor ladrões, corruptos como chamam os ladrões de gravata.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *