Início » Brasil » Entenda os ataques de Carlos Bolsonaro a Mourão
RAIZ DA DISCÓRDIA

Entenda os ataques de Carlos Bolsonaro a Mourão

Dez das últimas onze postagens de Carlos Bolsonaro no Twitter, compartilhadas nas últimas 24 horas, foram ataques ao vice-presidente. Saiba por quê

Entenda os ataques de Carlos Bolsonaro a Mourão
Carlos acusa Mourão de orquestrar para derrubar seu pai da Presidência (Foto: Montagem/Facebook/ABr)

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) parece empenhado em manter seu embate público contra o vice-presidente Hamilton Mourão.

Desde a última terça-feira, 23 – quando os ataques públicos tiveram início -, Carlos dedicou quase todas as suas postagens no Twitter a ataques contra Mourão. De um total de dez postagens compartilhadas pelo vereador nas últimas 24 horas, 10 foram ataques ao vice-presidente. Em uma das últimas postagens, o filho do presidente Jair Bolsonaro diz: “Nunca foi por briga e sim pela verdade!”.

A fúria de Carlos contra Mourão começou a crescer após um encontro do vice-presidente com o filósofo Mangabeira Unger – ex-ministro de Lula -, no início de abril. Carlos era contrário ao encontro, que ocorreu nos Estados Unidos e, segundo Mourão, a pedido de Mangabeira.

A partir daí, segundo apurou o colunista Lauro Jardim, do Globo, Carlos incorporou de vez o mantra do filósofo Olavo de Carvalho – guru do governo Bolsonaro – de que a ala militar do governo orquestra um complô para retirar seu pai da Presidência.

O primeiro ataque veio na forma de um vídeo de Olavo de Carvalho, postado no último final de semana, na conta oficial de Carlos no Twitter e também na conta de Jair Bolsonaro – à qual Carlos tem livre acesso para gerir. Segundo informações do jornal Extra, no vídeo, Olavo se refere a militares como “milicos” e os acusa de entregar o país aos comunistas. Olavo também ataca aliados do presidente, afirmando que alguns “querem é ficar em Brasília, brilhar e embolsar o dinheiro do governo”.

O vídeo teve repercussão negativa, por gerar um novo mal-estar no governo, e a postagem acabou sendo apagada tanto da conta de Carlos quanto da de seu pai.

Apesar disso, na última segunda-feira, 22, segundo noticiou o portal G1, Mourão rebateu as declarações de Olavo, afirmando que ele deveria “se limitar à função que ele desempenha bem, que é de astrólogo”. A partir daí, os ataques de Carlos nas redes sociais se intensificaram.

Primeiro, o filho do presidente da República compartilhou uma publicação da jornalista Rachel Sheherazade, do SBT, curtida por Mourão. Na postagem, ela elogia a atuação do vice-presidente e diz: “Finalmente um representante do Governo que não nos causa vergonha alheia”. “Tirem suas conclusões”, escreveu Carlos Bolsonaro ao expor a curtida de Mourão na postagem.

Em seguida, Carlos Bolsonaro criticou o fato de Mourão ter aceitado um convite para uma palestra nos EUA, na qual era apresentado como a “voz da moderação” no governo brasileiro. Depois, Carlos Bolsonaro compartilhou uma postagem na qual ironiza um vídeo no qual Mourão diz que é bom que a oposição a Maduro esteja desarmada, pois isso evita uma guerra civil na Venezuela.

Em postagens seguintes, Carlos acusa Mourão de ter dito à imprensa que Bolsonaro recorreu à vitimização no atentado à faca que sofreu em campanha. “Enquanto um homem lutava pela vida e tentava impedir que o Brasil caísse nas garras do PT, queridinhos da imprensa opinavam”, disse o vereador, em referência a Mourão, que também é considerado por jornalistas a voz mais moderada no governo.

Em meios aos ataques, sobrou até mesmo para o ex-deputado Jean Wyllys, que renunciou o mandato em janeiro e deixou o país, após sofrer ameaças de morte. Carlos Bolsonaro compartilhou uma declaração de Mourão sobre o caso, na qual ele afirmou que Jean poderia ter ficado no Brasil. “Poderíamos protegê-lo”, disse Mourão na ocasião.

“Lembro que não estou reclamando do vice só agora e tals…. são apenas informações! Não ataco ninguém, são apenas fatos que já aconteceram e gostaria de continuar compartilhando com os amigos! Um bom dia a todos!”, escreveu Carlos, em uma de suas últimas postagens.

Entre cautela e posicionamento

Apesar das postagens ácidas, Carlos Bolsonaro vem travando sua batalha contra Mourão sozinho. O vice-presidente não respondeu aos ataques do vereador nas redes sociais.

Mourão se limitou a tecer um rápido comentário sobre o assunto, em entrevista a jornalistas em Brasília. “O presidente é o presidente. E o presidente tem a forma de pensar dele. [Vamos] aguardar, né? Filho é filho”, disse Mourão.

Assíduo nas redes sociais, Jair Bolsonaro não posta nada no Twitter desde a Páscoa. O presidente, no entanto, tentou colocar um ponto final na disputa na terça-feira, segundo informou seu porta-voz, Otávio Rêgo Barros.

“Um outro tema que o senhor presidente gostaria de colocar um ponto final é essa discussão entre o senhor, essa pretensa discussão, entre o senhor vice-presidente e o vereador Carlos Bolsonaro que é filho do nosso presidente. […] Quanto aos seus filhos, em particular ao Carlos, o presidente enfatiza que ele sempre estará ao seu lado. […] E eu abro aspas para a frase ‘é sangue do meu sangue’. […] Em relação ao general Mourão, o presidente destacou que ele é o subcomandante do governo, ele topou o desafio das eleições, e terá a consideração e o apreço do senhor presidente”, disse o porta-voz.

Porém, minutos após o comunicado de Rêgo Barros, Carlos voltou atacar Mourão no Twitter, com a postagem referente ao atentado à faca, na qual sugere que Mourão é o “queridinho da imprensa”.

Os irmãos de Carlos Bolsonaro, Eduardo e Flávio, também parecem tentar “desviar” da polêmica.

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) compartilhou apenas duas postagens desde a Páscoa, uma sobre o Projeto de Lei que libera agentes de segurança para abater que estiver portando armas e outra sobre a reforma da Previdência.

Já Eduardo, apesar de ter compartilhado na terça-feira um artigo sobre os ataques de Carlos a Mourão, dedicou suas últimas postagens a conteúdos referentes ao trâmite da reformada Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

No entanto, Eduardo saiu em defesa do irmão, ao ser questionado sobre o assunto nesta quarta-feira, 24, pelo jornal Estado de S.Paulo.

“Acho que tanto Olavo quanto Carlos estão apenas reagindo a isso tudo que salta aos olhos de quem acompanha a política. Poxa, o general Mourão chegou a curtir um post da (jornalista Rachel) Sheherazade em que ela mete o pau no Jair Bolsonaro. Isso daí não é conduta de vice”, disse Eduardo (confira aqui a entrevista na íntegra).

Leia mais: Carlos Bolsonaro ataca Mourão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Carlos Bolossauro disse:

    Que se matem. Essa corja miliciana que se encontra no poder está destruindo o que restou do país.

  2. Roberto Henry Ebelt disse:

    Tudo indica que Mourão foi mordido pela mosca azul. Ele, se não é, parece ser quinta coluna no Governo Bolsonaro, pois dar trela para a Raquel Sheherazade é inadmissível. O que se vê é o filho rosnando contra um inimigo do pai.

  3. carlos alberto martins disse:

    o lugar do Carlos,é no Rio de Janeiro atendendo as vítimas das catástrofe naturais sofrida pela população que o elegeu como EDIL na camara de sua comarca.deverá o mesmo deixar a porta do plenário a melancia que hipotéticamente ostenta com orgulho em seu pescoço.

  4. DINARTE DA COSTA PASSOS disse:

    TUDO ISSO É SÓ O PRELÚDIO DO IMPEACHMENT CONTRA BOLSONARO!

    MOURÃO TEM MAIS CONDIÇÕES DE GOVERNAR O PAÍS.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *