Início » Brasil » Entregaram o petróleo
COLUNA ESPLANADA

Entregaram o petróleo

Desoneração tributária para as petroleiras estrangeiras vai tirar do Tesouro algo perto de R$ 1 trilhão pelos próximos 23 anos

Entregaram o petróleo
O lobby pesado das petroleiras estrangeiras foi grande na Câmara (Foto: Flickr)

O imbróglio com o vaivém da Medida Provisória 795 no Congresso Nacional deixou a Câmara Federal em situação vexatória – e suspeita. Os deputados que derrubaram emenda do Senado são cobrados por base e oposição a se explicarem porquê mantiveram desoneração tributária até 2040 para as petroleiras estrangeiras que exploram o pré-sal, enquanto a Lei de Diretrizes Orçamentárias determina que não passe de 5 anos. O Senado alterou para 5 e os deputados, em nova votação, mantiveram até 2040. O lobby pesado das estrangeiras foi grande na Câmara.

Do seu, do nosso

A desoneração recorde mundial vai tirar do Tesouro algo perto de R$ 1 trilhão pelos próximos 23 anos se o presidente Michel Temer sancionar a MP.

Par e passo

Atropelando o que manda a LDO, o relator Júlio Lopes tem repetido na justificativa da extensão do prazo que os contratos petrolíferos são de 35 anos e deve haver coerência.

Apetite

A bancada federal de Minas Gerais cresceu os olhos. Pediu mais de um ministério ao presidente Temer. À frente do grupo está o vice da Câmara, Fabinho Ramalho (PMDB).

Pacheco em leilão

Garoto-propaganda do PMDB desde que assumiu a presidência da Comissão de Constituição e Justiça, o deputado Rodrigo Pacheco (MG) virou alvo de leilão. O PSDB oferece candidatura ao Governo de Minas se ele se filiar na ‘janela’ do início do ano. Para mantê-lo, o PMDB oferece disputa ao Senado, numa chapa com o PT.

BN, o retorno

Após anos de reformas intermináveis e obras paralisadas, a esplêndida Biblioteca Nacional, na Cinelândia, no Rio, deve ser aberta em março. A previsão é para fim de 2018, mas o ministro Moreira Franco quer fazer bonito para os cariocas.

Pólo de cinema

Moreira quer um projeto especial para Niterói, um dos seus redutos. Ele e o ministro Sérgio Sá Leitão, da Cultura, projetam transformar a cidade em pólo audiovisual, com reformas de edificações e incentivos à produção. Sá Leitão também é de Niterói.

Vai mal

A quem a pergunta sobre como o PT vai tocar as eleições, a senadora e presidente do partido, Gleisi Hoffmann (PR), tem dito que “o dinheiro acabou”.

Intenções

Com inflação baixa e taxa Selic despencando, o presidente Temer está tão bem com a CNI, Fiesp e Febraban que o triunvirato apoiará o nome que ele indicar para o Palácio.

Bifurcação à vista

O ministro da Articulação Política, Carlos Marun, que tomou posse, é considerado um trator de trabalho pelos pares, mas entrou numa estrada sinuosa. Em abril, de acordo com o ritmo (e resultado) do trabalho, terá de decidir se sai do cargo, para disputar a eleição, ou se vai até o fim do Governo com vistas a ficar sem mandato em 2018.

Bom diálogo

Enquanto partidos brigam, os Secretários Estaduais do Meio Ambiente dos 26 estados e do DF trabalham por meio de uma associação: a Abema. Um dos associados, o Espírito Santo, firmou acordo com o Instituto Nacional da Mata Atlântica para a preservação da floresta, uma das mais ricas em biodiversidade do mundo.

Mapa digital

Hoje restam apenas 8,5% da área original. Segundo o Secretário do Meio Ambiente capixaba, Aladim Cerqueira, a base de dados que construíram é mais completa do que Google Earth e ficará à disposição de pesquisadores de todo o Brasil.

Alckmin x Lula

Para 8% dos congressistas – foram ouvidos 48 deputados e senadores – Geraldo Alckmin é o preferido em detrimento de Lula da Silva na eventual disputa de 2018 com os dois nomes. É o resultado de pesquisa do site Congresso em Foco.

RI da PUC

O Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio completou 30 anos com festa e show da banda Bomoko, composta por refugiados africanos.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. carlos alberto martins disse:

    em 1963,passei a ser um ativista do movimento o Petróleo é nosso.em 1964 fui preso pelos militares,ficando enjaulado no porão de um navio presidio em alto mar.após algum tempo fui transferido para um forte militar,tendo acontecido tudo isso por ter sido petroleiro na Bahia.após ser solto,por muitos anos éra vigiado pelo DOPS.tinha perdido meus direitos civis,políticos e trabalhistas.após a anistia voltei a luta pelos direitos perdidos.cheguei a receber dos direitos humanos um diploma por ter me empenhado por direitos de todos os brasileiros,isto é, sem nunca ter sido político.hoje vejo com muita preocupação os gangsters políticos vendendo nóssas florestas,hidrelétricas,ouro,campos petrolíferos,indústrias altamente produtivas e lucrativas.investidores externos sem o minimo respeito,estão se apoderando de tudo,e,nos transformarão em escravos completamente submissos.se a nação não lutar contra esse caos,teremos um colapso enorme em nossas instituições,levando a québra total de nossa liberdade e dignidade.Brasileiros acordem antes que seja tarde

  2. carlos alberto martins disse:

    fico pensando quanto os deputados receberam de suborno.como estamos vendo a corrupção continua a mesma.os estelionatários políticos não temem nada de punição.a justiça.é cega, surda,muda,pois os protegem de todas as canalhices e falcatruas.

  3. Laércio disse:

    O exército tem que tomar o poder já; o país está em estado similar ao de uma invasão por inimigo, as coisas estão saindo do controle; é necessário uma ação do exército para que haja a interrupção das ações comunistas.

  4. Laércio disse:

    As medidas governamentais acusam desastres constantes, isto é muito mais que palavras mais sim sinônimo de muitos latrocínios, cadeias e cemitérios mais cheios, aumento da prostituição e consumo de drogas…
    Estamos vivendo num país muito perigoso e não há como parar porque a constituição não prevê meios legais!
    Greves, passeatas e similares soam como piadas!

  5. Carlos U Pozzobon disse:

    VOCÊ FOI ENGANADO MAIS UMA VEZ (e não vai ser a última).
    O decreto do governo que concedeu incentivos fiscais às petroleiras no montante de 1 trilhão de reais em dez anos, foi usado como uma prova cabal de que o governo não está preocupado com o déficit fiscal. Para isso se juntou a esquerda alvoroçada e seus aparentados no alto comissariado do funcionalismo público para condenar a Reforma da Previdência.

    Esqueceram de combinar com os russos. Como as petroleiras são parceiras da Petrobras, que na verdade é uma grande terceirizadora, evidentemente que para sanar o rombo estratosférico da empresa algum diretor espertinho bateu na porta das petroleiras pedindo desconto nos contratos. Estas replicaram com o argumento habitual: só eliminando impostos. E o assunto foi bater em Brasília, que deu um jeito.

    Portanto, como já pagamos 80 centavos de petrolão por litro de gasolina, na outra ponta vamos ficar com menos de um trilhão em dez anos para zerar o rombo deixado pelo PT. Com isso, recuperamos a Petrobras mantendo o preço do combustível nas nuvens e, distraidamente, salvamos o Brasil com todos os hinos grandiloquentes do nacionalismo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *