Início » Brasil » Entrevista que marcou o início da queda do Estado Novo é publicada
Estado Novo

Entrevista que marcou o início da queda do Estado Novo é publicada

Em 22 de fevereiro de 1945, a censura prévia do Estado Novo foi, naquele momento, quebrada por um ministro do próprio governo

Entrevista que marcou o início da queda do Estado Novo é publicada
O jornalista Carlos Lacerda era um ferrenho opositor ao governo (Reprodução/Jornal Opção)

A edição do dia 22 de fevereiro de 1945 do jornal Correio da Manhã publicou uma entrevista concedida por José Américo de Almeida ao jornalista Carlos Lacerda que ficou conhecida como “a reportagem que ajudou a derrubar Getúlio Vargas”.

José Américo de Almeida, então ministro do Tribunal de Contas da União –indicado ao cargo pelo presidente Getúlio Vargas-, e profundo conhecedor dos bastidores da política brasileira rompeu com o silêncio imposto pelo Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP). A censura prévia do Estado Novo foi, naquele momento, quebrada por um ministro do próprio governo.

“Nesta hora não me nego a falar. Ao contrário, julgo chegado o momento de todos os brasileiros opinarem. Esta é uma hora decisiva que exige a participação de todos no rumo dos acontecimentos”, comentou José Américo em trecho da entrevista publicada no Correio da Manhã.

Menos de um mês depois da publicação, Vargas decretou anistia geral para todos os condenados por crimes políticos desde 1934. E em seguida, permitiu a fundação de partidos políticos banidos desde 1937 e convocou eleições gerais e diretas para os Poderes Executivo e Legislativo a serem realizadas em dezembro de 1945.

Mas antes que pudesse realizar as eleições, Getúlio Vargas foi deposto por um golpe militar liderado pelo general Pedro Aurélio de Góes Monteiro, marcando o fim da ditadura do Estado Novo. Em seguida, Eurico Gaspar Dutra, candidato do Partido Social Democrático, foi eleito democraticamente para a presidência da República.

Fontes:
Anistia Política-História: A entrevista que ajudou a derrubar Vargas

1 Opinião

  1. Vitafer disse:

    Sou testemunha ocular desses fatos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *