Início » Cultura » Arquitetura » Escavações no Rio revelam pedaços do Brasil Colônia
História escondida

Escavações no Rio revelam pedaços do Brasil Colônia

Obras na Avenida Rio Branco para a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos revelaram pisos e calçamentos típicos de construções do século XIX

Escavações no Rio revelam pedaços do Brasil Colônia
Calçamento ‘pé de moleque’ revelado após escavações (Reprodução/Internet)

Escavações feitas no Centro do Rio de Janeiro trouxeram de volta à luz um pedaço da história antiga do Brasil Colônia. Obras feitas na Avenida Rio Branco para a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) revelaram pisos de cerâmica e calçamento “pé de moleque”, típicos de construções coloniais do século XIX.

Até o momento o trecho mais bem preservado foi encontrado próximo à Cinelândia, onde no século XVIII funcionava o Convento da Ajuda. Em entrevista ao jornal Globo, a coordenadora-geral do Programa Arqueológico VLT do Rio, Erika Gonzalez, disse que todo o material retirado será reconstruído digitalmente.

“Até agora, já encontramos pelo menos 20 fragmentos que podem ser pisos de construções do século XIX na região, como comércios, residências e cortiços. Por mais que esteja deteriorado, todo esse material está sendo escaneado a laser para que possa ser reconstituído digitalmente, gerando, por exemplo, maquetes em três dimensões. Os mais preservados serão cirurgicamente retirados para um futuro projeto de divulgação”.

Antiga Avenida Central, a Avenida Rio Branco é uma das principais e mais antigas vias da capital carioca. O local foi o maior marco da reforma urbana feita pelo prefeito Pereira Passos em 1905. As constantes obras feitas posteriormente na região acabaram escondendo os fragmentos coloniais.

“Muitos trechos estão mais degradados porque eles acabaram servindo de suporte para a colocação de redes de água, esgoto, entre outras que foram feitas após a criação da Rio Branco”, explica Érica.

Fontes:
O Globo-Escavações para o VLT na Avenida Rio Branco revelam fragmentos do Brasil Colônia

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *