Início » Brasil » Estudo mostra que 70% dos enfermeiros do país se sentem inseguros no trabalho
Violência no trabalho

Estudo mostra que 70% dos enfermeiros do país se sentem inseguros no trabalho

Em pesquisa da Fiocruz e do Conselho Federal de Enfermagem, 39% dos entrevistados disseram que já sofreram violência no trabalho, sendo 66% a psicológica

Estudo mostra que 70% dos enfermeiros do país se sentem inseguros no trabalho
Profissionais são usados como válvula de escape para a revolta contra o sistema de saúde (Foto: Pixabay)

Um levantamento feito pela Fiocruz em parceria com o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) revelou que 70% dos profissionais de enfermagem não se sentem seguros no ambiente de trabalho. A categoria é a maior da área de saúde, com 1,8 milhão de enfermeiros, técnicos e auxiliares.

No estudo, 36 mil profissionais de 27 estados do país responderam a um questionário eletrônico. Os resultados mostraram que um quinto dos entrevistados (39%) já sofreram violência no trabalho, sendo mais da metade (66%) a psicológica. A maioria das vítimas da violência (85%) são mulheres. Menos da metade dos entrevistados (46%) afirmaram ser tratados com cordialidade pelos pacientes.

Na maior parte das vezes, a agressão é cometida por parentes dos pacientes. Em entrevista à Folha, Manoel Neri da Silva, presidente do Cofen, disse que os profissionais acabam se tornando uma válvula de escape para a revolta contra o sistema de saúde. “A população está insatisfeita com o sistema de saúde. E descarrega no primeiro profissional que vê pela frente, que é o da enfermagem”, disse Silva.

Foi o que aconteceu com uma auxiliar de enfermagem de uma Unidade de Pronto Atendimento do ABC paulista. Identificada apenas como E.S., ela foi atacada por uma paciente durante o plantão. “Assumi o plantão sozinha às 18h. Duas colegas tinham faltado e a emergência estava lotada. Uma senhora que esperava desde às 16h se irritou coma demora, me chamou de vagabunda e me agrediu” disse à Folha.

Fabíola Braga Mattozinho, presidente do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP), disse que a violência contra enfermeiros tem piorado nos últimos meses. Ela afirmou que o órgão pediu melhorias no policiamento nas áreas próximas às unidades de saúde.

Fontes:
Folha-70% dos enfermeiros não se sentem seguros no trabalho

2 Opiniões

  1. SHIRLEI REGINA DOS SANTOS _ disse:

    Muitas vezes os pacientes e acompanhantes humilham os profissionais dizendo que pagam nosso salario,nos ameaçam , gritam, ofendem e agridem, mas quando chegam na sala do medico ….sim o medico que pode lhe dar o tão sonhado atestado,ah tudo muda, e ate a expressão facial e tom de voz se transformam, mas na hora de puncionar a sua veia, trocar a sua fralda e te dar banho é a enfermagem que vai fazer, medico algum jamais limpou fezes de alguém, tão pouco vomito,nós enfermagem ganhamos muito pouco para o que exercemos e somos desvalorizados ao máximo por quem mais ajudamos, é ridiculo ver aquelas senhoras berrando e cuspindo em nossos rostos, homens ameaçando de voltar armados, ou ate desferindo socos…… cansei minha vontade é largar tudo , mas bem na hora de pico , bem no seu momento de dor e sofrimento que é pra ver se o ser enfermagem tem alguma falta no atendimento….quantas veses ouvimos na triagem: não quero falar com enfermeiro…. quero falar com o medico! dai gentilmente sentamos explicamos que vamos colher o historico, avaliar os sinais vitais e passar mastigadinho pra medico, sabe por que???????? medico nenhum vai verificar sua pressao !!!!! medico nenhum vai aferir sua temperatura …alguns mal vão olhar pra sua cara!!!!!!! ele vai seguir o que EU ENFERMEIRO CONSIDERADO INUTIL POR VC, escreveu!!!!!

  2. Edvaldo Laurentino disse:

    Após os procedimentos médicos, o paciente fica aos cuidados da equipe de enfermagem. É por essa e outras razões que costumo dizer que o PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM É O VERDADEIRO GUARDIÃO DO PACIENTE.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *