Início » Opinião » Artigos » Eu me demito!
GRITA BRASIL

Eu me demito!

Senhor Presidente, imploro e quero solicitar que você aceite meu pedido de demissão de cidadão brasileiro

Eu me demito!
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas

Senhor Presidente, ‘Veritas temporis filia’ (a verdade é filha do tempo).

Informá-lo-ei, então, que cheguei ao meu limite. Semana passada meu carro foi interceptado e tive um fuzil apontado para minha cara em pleno sábado, 10 horas da manhã. Mas o problema não é só isso. Como se isso fosse pouco. Fiquei 3 dias sem sair de casa. Sem trabalhar. Aí você pode falar que “mas você mora no Rio”. Mas se o meu problema fosse só o Rio eu me mudava ontem para algum interior ou até para outro estado, mas não é só o Rio. Meu problema é global, é você e essa corja de políticos que habitam Brasília. Se eu mudar de estado vocês continuam sendo um problema. Na verdade, “o” problema.

O que mais vejo são as pessoas fazendo planos para ir embora. Outras se lamentando: “Você viu que loja fechou agora?”. Fora todo o resto, que nem resto é.

Mesmo não sendo eu servidor público, é lamentável e triste o que vocês estão fazendo com eles. As pessoas estão sem receber o 13º. Será que vocês políticos estão aguardando receber alguma coisa?

Como eu posso ter gosto de viver num país assim? Com perspectiva zero de melhora.

Então, na verdade, essa carta seria uma espécie de um pedido de demissão. Sim, apesar de estar “desempregado”, – hoje dirijo um Uber, e não é porque acordei com uma vontade imensa de dirigir. Mas porque as contas não param enquanto você está desempregado. A Uber foi a única solução.

Imploro e quero solicitar que você aceite meu pedido de demissão de cidadão brasileiro. O de ser carioca já abri mão há muito tempo. Não dá mais. Acabou. Não tenho tempo de vida, apesar de todo o avanço tecnológico e da medicina, de esperar que o país se transforme no que poderia ter sido um dia e que nunca será.

Vamos enfrentar a verdade. Lembra que ela é filha do tempo? Mas esse tempo é cruel, ele não perdoa, ela avança sem dar uma pausa. Preciso tentar ser feliz e viver bem, sem esse peso de ser brasileiro.

Hoje, convenhamos, é um fardo sacar o passaporte agora azul, que nem verde esperança é mais. Será um ato falho de vocês? Ou é a constatação de que a esperança que deveria ser a última a morrer, morreu faz um tempo?

Não consigo ser cidadão brasileiro vendo o Congresso infestado de políticos da pior espécie. Vendo os ratos tentando seus pactos, com promessas futuras.

Desde logo lhe digo que quando Lula foi eleito meu mundo caiu. Mas ainda assim no fundo da alma ainda acreditava que algo de bom estava por vir. Não veio. Aconteceu o pior, Lula foi reeleito. Mas eu ia tocando a vida. A inflação parecia controlada, mas eu nunca deixei de sentir um incômodo. O tempo passou e veio o mensalão. E o meu mal-estar em ser cidadão brasileiro se agravava.

Jamais eu disse que acreditava que alguma coisa pudesse mudar. Mudar requer um pouco de risco, talvez, mas no final das contas, Dilma foi eleita apesar de tudo. Durou até muito. Veio o impeachment. E então, você foi caído como presidente.

E eu continuei aqui como cidadão brasileiro sobrevivendo a cada dia. Sobrevivendo sim e dançando conforme a música. Nem sempre dava para ouvir um clássico. Muitas vezes tive que tapar os ouvidos para não ouvir o funk que tocava.

Pois é, presidente. E agora? Agora o voto do relator do processo, o ministro Herman Benjamin, deve ser pela cassação da chapa Dima/Temer, mas alguns ministros querem costurar uma solução para que a situação política não se agrave. Ou seja… lá vem eles bolar alguma artimanha para tentar deixar tudo como está.

E isso é o certo? Eles não deveriam votar pela razão? Pelos fatos? Votar para não colocar mais querosene na fogueira é a solução? Qual é então a parada? Por que vocês não votam como pede a lei?

Sou (ainda) cidadão brasileiro e o senhor resolveu ignorar-me como tal e está tendo ideias mirabolantes de como tirar mais dinheiro da gente aqui. Só porque você não foi capaz de segurar a sua compulsão em gastar mais do que poderia. E você não se fez de rogado. E com isso seu ministro disse que se for necessário criar-se-á impostos. E fazer, como já foi feito, aumentar alguns já existentes.

Se o senhor acha que não pode mais confiar em mim como cidadão brasileiro, eu posso adiantar que nunca confiei no senhor. Nem por um minuto sequer. Aquele seu papinho quando assumiu o cargo para o qual nem foi eleito de que faria e aconteceria e que tudo seria cor de rosa não me tocou, não me comoveu. Muito pelo contrário, achei que você estava fora de si. E mesmo assim…

Sei que você, de vez em quando, cospe que foi legitimamente colocado no cargo. Será mesmo?

De qualquer maneira, o país está podre. Vocês estão podres. As reformas prometidas ainda serão votadas por um colegiado que é a própria encarnação do inferno. Difícil saber que reformas tão importantes serão decidas por um grupo de pessoas em que a grande maioria tem sua impressão digital em um pacote de dinheiro.

A cada estapa da Lava-Jato, a cada nova delação, a cada novo depoimento vamos vendo o quão baixo vocês chegaram.

Usando o estado do Rio de Janeiro como exemplo, o que o ex-governador Sérgio Cabral fez nenhum outro político teve a capacidade de fazer. O Rio de Janeiro acabou. A cidade pode até ser maravilhosa para turista ver do alto do Pão de Açúcar ou do Corcovado, porque aqui no asfalto a cidade é nojenta.

Diferentemente do agora presidente Michel Temer ter se achado um objeto decorativo nos primeiros quatro anos de governo Dilma, eu nem decorativo para vocês fui, então não me culpo por ter escrito essa carta pra você.

Ia escrever na verdade para Papai Noel, mas com certeza o que eu pedir ele não ia dar mesmo, então resolvi mandar para você essa carta.

Espero que a receba de peito aberto, mas não precisa marcar encontro depois comigo não.

Que minha carta seja publicada no Diário Oficial. E, por favor, que você acate meu pedido de demissão de cidadão brasileiro. Pode me mandar pro Trump.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Se beber ou não chama o meu Uber.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. carlos alberto martins disse:

    eu não me demito.me orgulho de ser brasileiro,e ficarei aqui na luta de defesa do brasil.em 1959 jurei perante a bandeira Brasileira a defesa de nóssa pátria,e,jamais a trairei.a minha bandeira tem as cores de nóssa PATRIA e jamais a pintarei de vermelho,nunca a desonrei e não será agóra que vou abandonar os meus principios éticos.aos que prestaram o juramento a nóssa bandeira sob som do hino nacional,por favor mantenham sua dignidade,e a luta contra ditadura democrática que está sendo aplicada pelos dirigentes politicos sem caráter que inféstam o congresso,senado,stj,ste,stf e os ministérios.

  2. Lucinda Telles disse:

    Eu não demitir-me-ei, é que preciso do FGTS. Em vez disso consolá-lo-ei: Temer não renunciará, porque se assim o fizer, o Moro prendê-lo-á, vamos por assim dizer.

  3. Beraldoee pessosl disse:

    Os seguidores e militantes da antiga oposiçãozinha incompetente, que lutou e foi às ruas para produzir o golpe do impeachment juridicamente perfeito, agora questiona até a legitimidade do Temer.

    Deram um tirambaço no proprio pé.

    Ao invés de pedirem demissão, deveriam é voltar às ruas, com a plaquinha que já vem sendo por demais exibida: FORA TEMER.

    Nada como um dia depois do outro.

  4. olbe disse:

    Eu também me demito…

  5. laercio disse:

    Vou falar em liguem bem popular.
    Todos estão vendo onde o país acabou! Sim! O país está acabado! Se tiver dúvidas dá uma volta no centro de São Paulo…
    Nosso sistema político, nossa cultura, instrução, tudo nos leva para baixo!
    Chegou a hora de romper!
    Mas como romper? A lei não nos da instrumentos necessária para sair das garras do demônio político!
    A lei não nos deu uma ferramenta!
    Então vamos começar fazendo um rompimento individual!
    Pergunte para você mesmo por que o país cultiva determinadas práticas…

    Carnaval: para que serve?
    Para se divertir?
    Diversão cada qual deve pagar a sua! O carnaval recebe recursos públicos, desvia a polícia do patrulhamento que serve a população…
    Carnaval é prejuízo!
    Para quem interessa? Quem ganha com ele? O carnaval estimula o tráfico de drogas? O que você acha? Pensa aí!??
    E então? Vale ver o carnaval fazendo parte de nossa cultura?

    Não é só carnaval não!
    Quer outro exemplo?
    Zoológicos, para que servem? Ocupam uma área enorme onde pessoas poderiam morar! Expõe animais ao sofrimento! Gasta dinheiro público com a alimentação e saúde dos animais!
    Falta remédio para você na rede pública!
    Você acha que seu filho já não percebeu que zoológico é anti ético, anti econômico…
    Eai…
    Zoológico deve fazer parte de nossa cultura?

    Quer mais exemplos?
    Cemitério.
    Mantido com dinheiro público!
    Tira espaço dos vivos para colocar restos de mortos!
    Tem várias famílias vivendo em favelas propiciando involuntariamente o esconderijo de traficantes!

    E então? Como vamos conviver com essas culturas?

    O Brasil tem que tomar um rumo!
    Um grande crime começa com pequenos maus constumes.
    Chegou a hora de dar uma personalidade para o Brasil, vamos individualmente tirar a máscara que representa o interesse de uma minoria que adora dinheiro e sofrimento alheio

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *