Início » Brasil » Ex-diretor da Petrobras vai cumprir pena em prisão domiciliar
Operação Lava-Jato

Ex-diretor da Petrobras vai cumprir pena em prisão domiciliar

Benefício concedido a Paulo Roberto Costa faz parte do acordo de delação premiada, que também prevê a devolução de R$ 70 milhões aos cofres públicos

Ex-diretor da Petrobras vai cumprir pena em prisão domiciliar
Costa deixou a carceragem da Polícia Federal escoltado e foi transferido para sua residência em Ipanema, Rio de Janeiro (Reprodução/Brasil 247)

O ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, ganhou na tarde da última terça-feira, 30, o direito de cumprir pena em prisão domiciliar. O benefício faz parte do acordo de delação premiada, homologado na última segunda-feira, 29, pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal.

Leia mais: Incêndio ocorrido em 2011 destruiu contratos de câmbio de Youssef
Leia mais: Paulo Roberto Costa revela ter recebido propina de US$ 23 milhões
Leia mais: Costa diz ter recebido R$ 1,5 mi em propina na compra da refinaria de Pasadena

Costa deixou a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, escoltado por policiais e foi transferido para sua residência em Ipanema, Rio de janeiro. Ele permanecerá sob rigorosa vigilância durante um ano e terá de usar tornozeleira eletrônica.

Como parte do acordo, Costa também se comprometeu a devolver aos cofres públicos cerca de R$ 70 milhões. Desse total, R$ 63 milhões correspondem a dinheiro depositado em contas na Suíça, R$ 5 milhões de indenização, uma lancha avaliada em R$ 1,3 milhão e um terreno avaliado em R$ 3,2 milhões. A Range Rover no valor de R$ 300 mil que Costa ganhou de presente do doleiro Alberto Youssef também será repassada para a União.

Costa é um dos maiores alvos da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal. Ele foi preso no dia 20 de março deste ano, sob a acusação de comandar um esquema de corrupção na estatal. Segundo a denúncia, o esquema consistia em superfaturar contratos firmados entre a Petrobras e empreiteiras para pagar propina a parlamentares.

Segundo uma reportagem publicada na revista Veja, o ex-diretor citou 12 parlamentares envolvidos no esquema, entre eles os dos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB) e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Fontes:
Folha-Ex-diretor da Petrobras aceita devolver R$ 70 mi
Estadão-Ex-diretor da Petrobras terá de pagar R$ 5 mi e devolver carro e lancha

4 Opiniões

  1. Marluizo Pires Cruz disse:

    Parece que foi um bom acordo devolver aos cofres públicos cerca de R$ 70 milhões, obter o direito de cumprir pena em prisão domiciliar, na sua residência em Ipanema, Rio de janeiro sob rigorosa vigilância. Vai ter segurança. Digo parece porque não foi possível na leitura do texto, identificar o valor do patrimônio que restou para o ex-diretor, manter a sua subsistência no cumprimento da sentença e após ser libertado. No acordo trabalhista dizem que, homologado 60% é um bom acordo. Mantendo a proporcionalidade dos acordos qual será o valor total de corrupção na estatal.

  2. Revoltado disse:

    … cumprir pena em casa… é ótimo… o ladravaz foi é LIBERTADO ISSO SIM…

  3. Henrique Meyer de Azevedo disse:

    Esse acordou tarde, mas acordou. Dinheiro não é tudo.

  4. PC disse:

    Essa prisão domiciliar nunca aconteceria na Italia, não é mesmo?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *