Início » Brasil » Ex-ministro Geddel Vieira Lima vira réu
CORRUPÇÃO

Ex-ministro Geddel Vieira Lima vira réu

Geddel é acusado de obstrução de Justiça na Operação Cui Bono

Ex-ministro Geddel Vieira Lima vira réu
Geddel Lima era considerado um dos ministros mais influentes na primeira fase do governo Temer (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O ex-ministro da Secretaria do Governo, Geddel Viera Lima (PMDB-BA), virou réu por obstrução de Justiça na última terça-feira, 22. A Justiça Federal em Brasília aceitou a denúncia do Ministério Público Federal, que diz que Geddel tentou impedir o doleiro Lúcio Funaro de fazer uma delação premiada. Geddel era considerado um dos ministros mais influentes na primeira fase do governo Temer.

Segundo a denúncia do MPF, o ex-ministro atrapalhou a Operação Cui Bono, que investiga fraudes na liberação de créditos da Caixa. Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff. O ex-ministro teria ligado inúmeras vezes para a esposa de Funaro, Raquel Pita, para sondar se ele teria feito um acordo de delação premiada. O MPF suspeita que Geddel tenha intimidado o casal.

“Com ligações alegadamente amigáveis, intimidava indiretamente o custodiado, na tentativa de impedir ou, ao menos, retardar a colaboração de Lúcio Funaro com os órgãos investigativos do Ministério Público Federal e Polícia Federal”, diz um trecho da denúncia. Na última terça-feira, Funaro fechou seu acordo de delação premiada.

O advogado de Geddel disse que a denúncia é “inepta” e “imprestável”.  “A inepta e imprestável denúncia formulada contra o senhor Geddel Vieira Lima, coleção invulgar de erros jurídicos, de gritante fragilidade, desafia o direito e o próprio bom senso, além de representar evidente contrariedade à decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região”, disse em nota à imprensa.

Fontes:
O Globo-Geddel vira réu por obstrução de Justiça
G1-Geddel Vieira Lima vira réu por obstrução de Justiça

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *