Início » Opinião » Artigos » Facções criminosas têm estatuto e mais organização que a segurança do estado
CRIME ORGANIZADO

Facções criminosas têm estatuto e mais organização que a segurança do estado

O PCC baseia suas ações num estatuto manuscrito em folha de caderno com dezesseis artigos a serem rigidamente seguidos por seus integrantes

Facções criminosas têm estatuto e mais organização que a segurança do estado
De tão organizadas, tais facções contam com códigos de conduta e de honra (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

Fundada em 31 de agosto de 1993, por oito presidiários, no anexo da Casa de Custódia de Taubaté, a facção Primeiro Comando da Capital (PCC) disputa o protagonismo no tráfico, no crime organizado e nos presídios em âmbito nacional – tendo como adversários o carioca Comando Vermelho (CV) e o amazonense Família do Norte (FDN). Os massacres que vimos nos últimos dias no Amazonas e em Roraima comprovam que a concorrência entre estes grupos vive momento de grande ebulição – de guerra mesmo – diante do imobilismo e perplexidade de estupefatas autoridades de segurança em todo o país.

De tão organizadas, tais facções contam com códigos de conduta e de honra. O PCC baseia suas ações num estatuto manuscrito em folha de caderno com dezesseis artigos a serem rigidamente seguidos por seus integrantes. A facção adota o slogan: “Unidos venceremos”.

Na introdução de uma das cópias do tratado – apreendida recentemente na penitenciária de Monte Cristo, em Roraima – está escrito: “Não somos sócios de um clube e sim integrantes de uma organização criminosa”. Lá, no último dia 6, 33 prisioneiros foram massacrados e barbarizados. Tal expediente justifica um dos principais objetivos do grupo: “sacudir o sistema e fazer com que as autoridades mudem a prática carcerária desumana, cheia de injustiça, opressão, torturas, massacres nas prisões”.

Segundo o Ministério Público de Roraima, “a facção é altamente estruturada, sendo que seus integrantes frequentemente mencionam um código de “conduta” e “ética” do crime, que deveriam seguir, tanto que o descumprimento das normas do estatuto é punido até mesmo com a pena de morte, denominada por eles de “xeque-mate”.

O artigo 1º, por exemplo, diz que “todos os integrantes devem lealdade e respeito ao PCC”. Já o oitavo não admite “estrupadores (sic), homosexualismo (sic), pedofilia, caguetagem, mentiras, covardia, opressão, chantagens, estorções (sic), inveja, calúnia e outros atos que ferem a ética do crime”.

Desde que foi deflagrada a guerra entre o PCC e o CV em Roraima, 44 presos já foram mortos.

Para entrar no PCC não basta querer. É preciso ser indicado e apresentado por alguém que o apadrinhe. Uma vez atestado o caráter do candidato, ele passa por um ritual de batismo que envolve beber um copo de aguardente com uma gota de sangue do padrinho e, em seguida, receber a cópia do manuscrito com o estatuto da facção – tratada como um partido político. A sensação de pertencimento e lealdade somente cederá se o iniciado desobedecer a um dos artigos do código – crime que ele pagará, na maioria dos casos, com a própria vida.

 

Conheça os artigos do estatuto do PCC:

1 – Lealdade, respeito e solidariedade acima de tudo ao “Partido”.

2 – A luta pela liberdade, justiça e paz.

3 – A união contra as injustiças e a opressão dentro da prisão.

4 – Contribuição daqueles que estão em liberdade, com os irmãos dentro da prisão, através de advogados, dinheiro, ajuda aos familiares e ação de resgate.

5 – O respeito e a solidariedade a todos os membros do “Partido”, para que não haja conflitos internos, porque aquele que causar conflito interno dentro do “Partido”, tentando dividir a irmandade, será excluído e repudiado do “Partido”.

6 – Jamais usar o “Partido” para resolver problemas pessoais contra pessoas de fora porque o ideal do “Partido” está acima de conflitos pessoais. Mas o “Partido” estará sempre leal e solidário a todos os seus integrantes para que não venham a sofrer nenhuma desigualdade ou injustiça em conflitos externos.

7 – Aquele que estiver em liberdade, “bem estruturado”, mas esquecer de contribuir com os irmãos que estão na cadeia, será condenado à morte, sem perdão.

8 – Os integrantes do “Partido” têm que dar bom exemplo a ser seguido e, por isso, o “Partido” não admite que haja: assalto, estupro e extorsão dentro do sistema.

9 – O “Partido” não admite mentiras, traição, inveja, cobiça, calúnia, egoísmo, interesse pessoal, mas sim, a verdade, a fidelidade, a hombridade, solidariedade ao interesse comum ao bem de todos, porque somos um por todos e todos por um.

10 – Todo integrante terá que respeitar a ordem e a disciplina do “Partido”. Cada um vai receber de acordo com aquilo que fez por  merecer. A opinião de todos será ouvida e respeitada, mas a decisão final será dos fundadores do “Partido”.

11 – O Primeiro Comando da Capital – PCC, fundado no ano de 1993, numa luta descomunal e incansável contra a opressão e as injustiças do Campo de Concentração anexo da Casa de Custódia de Taubaté, tem como lema absoluto “A Liberdade, a Justiça e a Paz”.

12 – O “Partido” não admite rivalidades internas, disputa do poder na liderança do comando, pois cada integrante do Comando sabe a função que lhe compete, de acordo com sua capacidade para exercê-la.

13 – Temos que permanecer unidos e organizados para evitarmos que ocorra novamente um massacre semelhante ou pior ao ocorrido na Casa de Detenção, em 2 de outubro de 1992, quando 111 presos foram covardemente assassinados, massacre esse que jamais será esquecido na consciência da sociedade brasileira. Porque nós do Comando vamos sacudir o sistema e fazer essas autoridades mudarem a prática carcerária desumana, cheia de injustiça, opressão, torturas, massacres nas prisões.

14 – A prioridade do Comando no momento é pressionar o governo do estado a desativar aquele Campo de Concentração “anexo” à Casa de Custódia de Tratamento de Taubaté de onde surgiram a semente e as raízes do Comando, no meio de tantas lutas inglórias e tantos sofrimentos atrozes.

15 – Partindo do Comando Central da Capital, o QG do estado, as diretrizes de ações organizadas e simultâneas em todos os estabelecimentos penais do estado numa guerra sem tréguas, sem fronteiras, até a vitória final.

16 – O importante de tudo é que ninguém nos deterá nessa luta porque a semente do Comando se espalhou em todo o Sistema Penitenciário do estado e conseguimos nos estruturar também do lado de fora, com muitos sacrifícios e perdas, mas nos consolidando, a nível estadual e a longo prazo, nos consolidaremos também a nível nacional. Conhecemos nossa força e a força de nossos inimigos poderosos, mas estamos preparados, unidos, e um povo unido jamais será vencido.

4 Opiniões

  1. Almanakut Brasil disse:

    Isso é sinal que os poderes brasileiros deveriam ser comandados de dentro das cadeias!

    Há muito tempo, na mídia, cidades e principalmente periferias, se fala mais em PCC, CV, FDN, PT, PMDB, PSDB, OAB, IURD e etc…

    E dizem que a entidade mais confiável pelos brasileiros é as FFAA!

  2. LUIZ JUNIOR disse:

    BANDO DE HIPÓCRITAS, CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE. DESDE A VINDA DA FAMÍLIA REAL PORTUGUESA PARA O BRASIL, FUGINDO DE NAPOLEÃO BONAPARTE, ACOVARDADOS POR UM GENERAL FRANCÊS, DESDE QUE AQUI PISARAM, ESTE PAÍS ESTÁ ESTE CAOS, ESTA M@#$. POLÍTICOS CORRUPTOS, DIREITOS HUMANOS SÓ PARA BANDIDOS, SAÚDE, CULTURA, SEGURANÇA PÚBLICA, ISTO TUDO JÁ ERA. ATÉ QUANDO, ATÉ QUANDO…

  3. Rene Luiz Hirschmann disse:

    Isso é terrorismo ou não é?, no Brasil a mídia tem uma maneira de enquadrar organizações criminosas diferente da maioria no mundo, Máfia não existe no Brasil só na Itália, Rússia, Espanha, Polonia, Turquia e USA, aqui não tem, Terrorismo é só quem se detona e mata, organizações criminosas são batizadas, como PCC, Bala na Cara, Irmãos do Norte é o jeito para não serem enquadradas no terrorismo porque ai caem em leis internacionais e estarão sujeitos a irem para presídios de Guantánamo.

  4. Regina Caldas disse:

    No ultimo meio século nosso pais passou por um crescimento populacional extraordinário.A construção de Brasília, o advento do ABC, atrairam migrantes de todos os cantos do país. A maioria totalmente despreparada para o enfrentamento de um estilo de vida urbano. Os salários baixos, a educação precária, levaram milhares de brasileiros a viver em favelas. O país cresceu, a economia cresceu, mas faltou o retorno em Educação, Saúde, Segurança. Em paralelo, cresceu o tráfico de drogas, alem da concentração humana sufocante em favelas destituidas de qualquer modelo de assistencia social. Apenas alguns grupos heróicos ousavam levar assistencia aos favelados. Estamos colhendo o que governos ineptos encastelados em Brasilia plantaram.
    Obs.:1) faz alguns anos, a Scientific American concluiu um trabalho de levantamento sobre a origem dos internados em manicômios latino-americanos. A maioria esmagadora viera do campo para a cidade em busca de qualidade de vida melhor, cairam no inferno, especialmente motivado pelo descaso público.
    2) Especialistas na área da Educação fizeram um levantamento sobre a capacidade intelectual de presos, em alguns presidios.20% destes presos possuiam inteligencia acima da média.
    3) quem nunca assistiu os maltratos sofridos por crianças nas creches publicas?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *