Início » Brasil » Facebook vai excluir fake news sobre Marielle Franco
DETERMINAÇÃO DA JUSTIÇA

Facebook vai excluir fake news sobre Marielle Franco

A rede social anunciou que vai cumprir a determinação da Justiça dada nesta quarta-feira, 28

Facebook vai excluir fake news sobre Marielle Franco
Determinação da Justiça exige que o Facebook apague as postagens em até 24h (Foto: Facebook)

O Facebook vai excluir as fake news relacionadas à vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), que foi assassinada no último dia 14 de março, junto com o seu motorista Anderson Gomes. A rede social vai cumprir uma determinação da Justiça desta quarta-feira, 28.

“O Facebook respeita a Justiça brasileira e removerá os conteúdos específicos indicados nos autos”, se pronunciou a rede social, conforme noticiou o portal G1. A determinação, em liminar, do juiz Jansen Counago Novelle, da 15ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), exige que o Facebook apague as postagens em até 24h.

Além de apagar as postagens, o TJ-RJ  afirmou, através de sua assessoria de imprensa, que o Facebook deve informar se “os perfis de Luciano Ayan, Luciano Henrique Ayan e Movimento Brasil Livre (MBL) patrocinaram as postagens”.

A ação na Justiça foi movida pela viúva e pela irmã da vereadora. Desde a sua morte, os eleitores e apoiadores de Marielle Franco estão lutando para desmentir todos os boatos que foram criados a respeito do seu assassinato.

Fonte: Facebook

Fonte: Facebook

De acordo com a decisão do magistrado, “não se há de tolerar, que a morte de Marielle, Mártir da História Contemporânea do Brasil, se repita, dia-a-dia, como vem ocorrendo, com a conivência, por omissão, especificamente do Réu, que se traveste numa rede social e vem permitindo a propagação de crimes como calúnia contra os mortos, ódio, preconceito de raça e gênero e abusos, contra alguém que já não tem como se defender, contra seus parentes, irmã e sua companheira, contra familiares e contra a Sociedade”.

Postagens sugerindo que a parlamentar era ex-mulher do traficante Marcinho VP, teria engravidado ainda aos 16 anos e teria firmado acordos com a facção criminosa Comando Vermelho ganharam as redes sociais. Entre os principais divulgadores das fake news estavam uma desembargadora, um deputado federal e o MBL. Rapidamente todas as informações foram desmentidas.

Para conter a onda de postagens falsas, uma equipe de voluntários das áreas de Comunicação e Direito lançaram a página www.mariellefranco.com.br/averdade, que conta com o apoio dos familiares da vereadora. “Uma coisa é debater sobre posicionamentos políticos. Outra bem diferente é caluniar, repetir mentiras e desrespeitar a sua memória e o luto de seus familiares e amigos”, argumentam os organizadores da página, conforme noticiou o Opinião e Notícia no último dia 19 de março.

Fontes:
G1-Facebook diz que vai remover posts com informações falsas sobre Marielle

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Daniela Villa disse:

    Correta a decisão da justiça, não pode ser admitida a calúnia, expor a verdade é o suficiente. Mas o magistrado exagera ao elevar “aquela que é melhor não mencionar o nome” ao mesmo nível de Joaquim José da Silva Xavier, como “Mártir da História Contemporânea do Brasil”.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *