Início » Brasil » Fachin diz que Temer tem o direito de não responder a interrogatório da PF
DELAÇÕES DA JBS

Fachin diz que Temer tem o direito de não responder a interrogatório da PF

Ministro negou pedido da defesa do presidente para suspender interrogatório da Polícia Federal

Fachin diz que Temer tem o direito de não responder a interrogatório da PF
Interrogatório de Temer ainda não tem data marcada (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou nesta quarta-feira, 31, pedido da defesa de Michel Temer para suspender o interrogatório da Polícia Federal no inquérito em que o presidente é investigado com base nas delações de executivos da JBS.

Fachin esclareceu, por sua vez, que Temer tem o direito de não responder às perguntas da PF. O interrogatório, autorizado pelo próprio ministro e que será respondido por escrito, ainda não tem data marcada.

As investigações, autorizadas após as delações da JBS no âmbito da Operação Lava Jato, apuram suspeitas de prática dos crimes de corrupção ativa, obstrução à Justiça e formação de organização criminosa.

Os executivos da JBS Joesley e Wesley Batista entregaram ao Ministério Público Federal documentos, vídeos, fotos e gravações. Temer e o senador afastado Aécio Neves estão entre os citados nas delações.

O presidente Michel Temer tem negado todas as acusações feitas nas delações da JBS. Apesar da grave crise política que atinge o governo, Temer nega a possibilidade de renunciar ao cargo.

O ministro Edson Fachin argumentou que, “ainda que não haja nos autos laudo pericial oficial atestando a higidez da gravação apresentada, poderá o requerente [Temer] — seria desnecessário qualquer pronunciamento judicial nesse sentido — recusar-se a responder eventuais indagações que digam respeito ao diálogo em comento, sem que isso possa ser interpretado como aceitação de responsabilidade penal”.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *