Início » Brasil » Familiares de Geddel representam prédio em ação contra o Iphan
POLÊMICA

Familiares de Geddel representam prédio em ação contra o Iphan

Primo e sobrinho de Geddel compõem defesa de condomínio estopim do pedido de demissão de Marcelo Caleiro do MinC

Familiares de Geddel representam prédio em ação contra o Iphan
A polêmica em torno do condomínio veio à tona na semana passada (Foto: EBC)

A polêmica envolvendo o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, e um empreendimento imobiliário em Salvador acaba de ganhar mais um episódio.

Nesta quarta-feira, 23, uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo revelou que familiares de Geddel fazem parte da defesa que representa o condomínio La Vue contra o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional (Iphan), órgão que interditou as obras do empreendimento.

Leia mais: Temer decide manter Geddel na Secretaria do Governo

Segundo um documento anexado ao processo, os advogados Jayme Vieira Lima Filho (primo de Geddel) e Afrísio Vieira Lima Neto (sobrinho de Geddel) foram nomeados como procuradores, pela empresa Porto Ladeira da Barra Empreendimento (responsável pelo La Vue). A descoberta indica que o interesse de Geddel no caso vai além do fato do ministro ter adquirido uma das unidades do condomínio, como alegou na semana passada.

Além disso, segundo a Folha, outra familiar de Geddel adquiriu uma unidade do condomínio. Fernanda Vieira Lima Paolilo, prima do ministro, é uma das sócias da empresa Upside Empreendimentos, que consta como proprietária do apartamento 1101.

A polêmica em torno do condomínio veio à tona na semana passada, após Marcelo Caleiro pedir demissão do Ministério da Cultura, órgão responsável pelo Iphan, afirmando sofrer “uma pressão inacreditável” por parte de Geddel para suspender o embargo às obras do La Vue.

O condomínio será erguido na Ladeira da Barra, uma das áreas mais nobres da capital baiana. As obras foram embargadas porque o imóvel poderia ter apenas 13 andares. No entanto, o projeto conta com 30 andares. Segundo o Iphan, isso afetaria monumentos tombados que ficam na região, como o Forte de São Diogo e a Igreja de Santo Antônio da Barra.

A polêmica gerou pedidos de exoneração de Geddel. Porém, na última terça-feira, 22, o presidente Michel Temer optou por manter o ministro no cargo.

Fontes:
Folha-Família de Geddel representa prédio em ação contra Iphan

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Não dá para entender o Brasil O que é que o ministro da cultura tem a ver com o código de construções da cidade de Salvador? Será que brasília logo vai inspecionar a hora em que as pessoas vão ao banheiro?
    Este assunto diz respeito a prefeitura de Salvador.

  2. Ludwig Von Drake disse:

    Tá certo que o prédio é feio mesmo, mas esse ministro da “curtura” se tivesse realmente um projeto para a pasta não sairia por um prato de lentilhas.

  3. Beraldo disse:

    Sua Alteza Michel Miguel Elias Temer, não tem “caixa” para peitar Geddel Vieira Lima, nem Eliseu Padilha, e muitos outros do PMDB.

    Também alguns caciques do PSDB/DEM como Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira, José Serra, Cássio Cunha Lima, Ataídes de Oliveira, josé Medeiros, José Aníbal, Ronaldo Caiado,etc., etc..

    Eles a colocaram no trono apenas porque era a via mais rápida, logo…

    Mas já existem sinais de desentendimento e, como acontece com uma quadrilha sem liderança forte, se desentenderão sobre o produto do assalto e se auto- destruirão.

    A delação coletiva dos executivos e ex-executivos da Odebrecht pode abreviar o processo.

    No entanto, nada de ilusão, continuará tudo do mesmo jeito.

    Saem eles e entram outros iguais.

    Esses caras são formam o “PCC da Política Brasileira”.

  4. Beraldo disse:

    Existem vestígios de que o Prédio todo é do Geddel, sob laranjas jurídicas e físicas.

    Verdadeiro prato de caviar, deve ser erguido.

    Eita!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *