Início » Brasil » Farra do aluguel: governo corta, mas ministérios não ajudam
Coluna esplanada

Farra do aluguel: governo corta, mas ministérios não ajudam

Pelo menos oito órgãos -- entre ministérios, autarquias e empresas estatais -- continuam na contramão da austeridade

Farra do aluguel: governo corta, mas ministérios não ajudam
PGFN: contrato de aluguel vai até outubro de 2019 (Fonte: Reprodução/Coluna Esplanada)

Enquanto o Governo anuncia déficit de R$ 30 bilhões no Orçamento, prepara corte de ministérios e enxugamento de cargos, pelo menos oito órgãos — entre ministérios, autarquias e empresas estatais — continuam na contramão da austeridade. Anvisa, FNDE, Integração, Pesca, Funai, Infraero, Defensoria Pública e Procuradoria Geral da Fazenda mantêm aluguéis milionários de novas sedes em Brasília que ultrapassam R$ 4 milhões por mês. Apesar de a União possuir imóveis que serão vendidos.

Ra$ante

Todos os casos são gritantes, mas três se destacam. Infraero, Funai e PGFN. Quase falida, a Infraero acaba de sair de sede própria e alugar prédio por R$ 380 mil/mês.

Oca de luxo

A Funai se mudou há um ano para edifício inteiro reformado. São R$ 500 mil/mês. E o órgão ainda instalou comissão para elaborar… construção de nova sede.

Quem diria…

Não esperem cortes de gastos da Procuradoria da Fazenda, ligada ao ministério que anuncia austeridade. Acaba de fechar aluguel de meio milhão de torre inteira da CNC.

A conferir

Os órgãos foram procurados, mas só Integração se pronunciou: já requisitou à Secretaria de Patrimônio da União um imóvel, para deixar prédio de R$ 500 mil na Asa Norte.

Carros de boi

Os maganos que elaboram leis do setor de transporte coletivo do Brasil no século 21 precisam de aula de História sobre navios negreiros, ou aprender com o que aconteceu com o caminhão na Áustria onde 71 morreram asfixiados. Em 2013, a Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo soltou uma licitação para carro de boi.

Janelinha salva

A Interpol calculou cinco por metro quadrado no baú do caminhão da morte. Com exceção das janelas — nem sempre abertas — os ônibus de SP podem legalmente carregar até seis por metro quadrado. Isso está oficialmente no edital de licitação.

Três estrelas

Lembram do lord tabelião José Alcântara, citado sobre vídeo numa hidromassagem de iate em St Tropez gozando vida de pobre no Brasil? Tem um contrato de R$ 5,3 milhões por ano com o Governo de Goiás para eventos no seu Augustu’s Hotel em Goiânia.

Reunião de trabalho

Os funcionários da PF curitibana, do departamento de emissão de passaporte, vizinhos à carceragem, têm notado: a turma da Lava Jato tem conversado muito na área comum.

Rebola, “ordinário”…

Compáde Washington, o cantor-fundador do É o Tchan, vai descer na boquinha da urna em 2016. Filiou-se ao PTB paulistano e disputará vaga para vereador.

Férias coletivas

Sai devagar do forno senatorial um projeto de lei (552/11) de Crivella (PRB-RJ) que permite aos trabalhadores com laços familiares, mesmo em empregos distintos, gozarem de férias simultâneas. Pode ser boa ideia, pode dar confusão. Mas passou na CAE.

Acordo de pastores

O PSC, controlado pelo pastor e presidenciável Everaldo, não quer sombra para sua eventual nova candidatura ao Planalto. Tirou poder e relatorias do deputado Feliciano (PSS-SP) na Câmara. Mas Feliciano ganhou um brinde: disputará a prefeitura de SP.

Vaiado em casa

Governista ferrenho na Câmara, o deputado federal Silvio Costa (PSC-PE) provou da rejeição em casa. Foi hostilizado por vizinhos no elevador do seu prédio no Recife, no sábado. Foi um bate boca de tremer alicerces, revela o blog de Henrique Barbosa.

Faroeste tupiniquim

O Ministério da Justiça deve enviar a Força Nacional de Segurança para o Mato Grosso do Sul. O pau come na região da cidade de Antônio João, com a morte por tiros de índio que invadiu fazenda. Várias estão ocupadas e os dois lados pegaram em armas.

PEC dos milhões

De gente que entende da situação: será difícil — não impossível –, mas muito difícil a PEC dos Cartórios passar em segundo turno. Ela oficializa os tabeliães que herdaram seus cartórios, ao contrário do que determina a lei, que a vaga deve ser por concurso.

Ponto Final

Resumo da coletiva do ministro do Planejamento, com ministro da Fazenda de enfeite: o Governo quebrou, mas ninguém assume. Preferem camuflar em déficit no Orçamento.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *