Início » Brasil » Fechando a torneira
Coluna Esplanada

Fechando a torneira

Presidente da Câmara está disposto a dar resposta ao Governo e à população em nome da Casa para estancar a corrupção na Petrobras

Fechando a torneira
Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (Fonte: Reprodução/Portal Exame)

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, está disposto a dar resposta ao Governo e à população em nome da Casa para estancar a corrupção na Petrobras, que, segundo os investigadores da Operação Lava Jato, continuou após as prisões. Cunha acolheu ontem a sugestão do deputado Félix Mendonça Jr (PDT-BA) para um Decreto Legislativo que suste o decreto 2.745 de 1998. Este criou o ‘procedimento licitatório simplificado’ para as contratações da Petrobras. Para os deputados, foi a torneira da corrupção, que será fechada a partir do momento que a estatal obedecer a Lei de Licitações nº 8.666.

Urgência

A Câmara deve votar de hoje a semana que vem a urgência para o PDL nº 11, proposto pelo deputado Félix. Depois da Câmara, vai ao Senado e, aprovado, promulgado.

Ela ouviu

A presidente Dilma passou, acredite, a ouvir aliados após os protestos. No Palácio, um deputado disse para ela: ‘Seja mais Dilma, mais você’. Sem maquiagens no discurso.

Dilma pura

A entrevista ‘quebra-queixo’ a repórteres após sanção do Código de Processo Civil no Planalto foi bem vista por aliados. Dilma falou sem marketing e frases de efeito.

Vaquinha no brejo

Condenado em primeira instância a pagar R$ 1 milhão de indenização por declarações consideradas homofóbicas na eleição, o presidente do PRTB, Levy Fidelix, diz que até aventou fazer uma ‘vaquinha’ em campanha nas redes sociais. ‘Mas acho que não será preciso porque acredito que o Tribunal de Justiça vai fazer uma revisão (do valor)’.

Dedo na buzina

A turma do volante na ANTT anda nervosa com o chefe da frota, Vinícius Dantas. Alguns dizem que quer mandar sem ter ao menos carteira de motorista. Procurada, a ANTT informa que não há crise e que o caso da CNH ‘trata-se de informação pessoal’.

Bengala

O Planalto já se dá como derrotado na PEC da Bengala na Câmara, que pode ser aprovada em 2º turno semana que vem e promulgada, aumentando a aposentadoria dos ministros de cortes e tirando poder de cinco indicações da presidente Dilma para o STF.

Bengala (de fato)

O senador Romário sofre com a coluna e anda mancando, amparado por assessor. Operou de hérnia de disco em 2014 e, na segunda, tomou ‘jeito’ ao levantar da poltrona.

Aulão

De um líder que participou de café no Palácio do Jaburu de governistas com o vice-presidente: ‘O Michel não debate, ele dá aula magna’. Mistério se ironia ou elogio.

A culpa do passarinho

O momento de descontração na reunião foi durante a (tentativa) de fala do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Um pássaro começou a cantar alto nos jardins, o que o interrompeu. Alguém brincou que seria boicote de tucanos. Gargalhada geral.

Dr. Dirceu

A OAB agendou para o fim do mês de abril o julgamento do pedido de cassação da carteirinha de advogado do condenado José Dirceu. O caso arrasta-se há um ano. O ex-ministro poderá ser proibido de trabalhar na área. Ou liberado.

DE(M)finhando

O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, decretou a morte do partido em Pernambuco. Agarrado ao prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), indicou a secretária de Desenvolvimento Econômico, pasta recém-criada para agradar o novo aliado.

Tô braba

Quem não gostou foi Priscila Krause, a única deputada estadual que o DEM elegeu. Como vereadora sempre foi oposição ao prefeito e era uma ferrenha opositora. Ela hoje se diz independente e livre para criticar até o governador Paulo Câmara (PSB).

Fila dominical

Pelos direitos das mães, filhas, esposas, avós, amantes, namoradas e afins, em prol da mulher, o deputado João Campos (PSDB-GO) apresentou o PL 738 que altera a Lei de Execução Penal para que as visitas aos presos sejam obrigatórias nos fins de semana.

É que…

Hoje, no Distrito Federal, por exemplo, a visita é apenas às quintas-feiras. Assim muitos detentos não conseguem ver suas famílias pelo horário comercial.

Ponto Final

Não houve estratégia na sanção do novo Código de Processo Civil por Dilma na segunda, após os protestos. Era o último dia de prazo, senão todo o trabalho seria perdido.

Com equipe DF, SP e Nordeste

1 Opinião

  1. Carlos disse:

    Como se ele é corrupto?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *