Início » Brasil » FHC vai prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro
POLÍTICA

FHC vai prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro

Fernando Henrique Cardoso é testemunha de defesa de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula

FHC vai prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro
Na audiência, ele deve detalhar o modelo de financiamento do Instituto FHC (Foto: Wikimedia)

Nesta quinta-feira, 9, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso vai prestar depoimento, por videoconferência, ao juiz federal Sérgio Moro. FHC é testemunha de defesa de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula. Na audiência, ele deve detalhar o modelo de financiamento do Instituto FHC, que preserva os arquivos dele e da ex-primeira-dama Ruth Cardoso.

Okamotto é acusado de lavagem de dinheiro na Lava-Jato, pelos pagamentos feitos, entre 2011 e 2015, pela OAS à Granero para armazenar itens do acervo do ex-presidente Lula. Procuradores do Ministério Público Federal acreditam que esta era uma forma de a OAS transferir dinheiro de propina da Petrobras. A defesa de Okamotto argumenta que a lei determina que o acervo deve ser preservado e passível de acesso pelo público, por meio de acordos com “entidades públicas e pessoas físicas ou jurídicas de direito privado”. Por isso, a defesa pediu que os ex-presidentes fossem ouvidos.

“Isto não é uma ‘jabuticaba’, algo próprio do acervo do ex-presidente Lula, mas sim uma decorrência direta daquilo que estabelece a Lei n° 8.394/91, que dispõe sobre a preservação, organização e proteção dos acervos documentais privados dos presidentes da República. Ou seja, trata-se de lógica também aplicável ao acervo dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Itamar Franco, Fernando Collor de Mello, Dilma Roussef, e futuramente, do sr. Michel Temer”, afirma a defesa prévia de Okamotto.

Nesta ação, Lula é acusado pela força-tarefa da Lava-Jato por lavagem de R$ 1,3 milhão pagos pela OAS para armazenar o acervo presidencial entre janeiro de 2011 e janeiro de 2016. Foram 21 pagamentos mensais de R$ 21,5 mil e, segundo os procuradores, a quantia era proveniente de crimes praticados pela empreiteira de licitações da Petrobras.

Com a morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia, a defesa de Lula pediu o adiamento das audiências por 15 dias. Moro, no entanto, não autorizou o adiamento e lembrou que Lula não tem participado das audiências.

A defesa de Okamotto também incluiu o ex-presidente José Sarney entre as testemunhas de defesa, mas não apresentou à Justiça do Paraná o endereço de Sarney em Brasília, uma mansão no Lago Sul. Há dois meses, Moro tenta intimar Sarney. No entanto, ele nunca é encontrado. A videoconferência está marcada para o dia 14 de fevereiro.

Fontes:
O Globo-Fernando Henrique Cardoso será ouvido por Moro nesta quinta
Paraná Portal-Sérgio Moro marca depoimento de Fernando Henrique Cardoso na Lava Jato
EM-FHC depõe nesta quinta-feira em ação contra Lula

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Inácio Antônio Soares Neto disse:

    Até os mortos estão depondo na justiça.Fernando Henrique, Zé Sarney, todos com a vida arrumada más não aceita afastar do poder. Um tem um Super Ap. Em Nova Iorque, o outro nem sabe o que tem, e nunca foram investigado. Agora fica ai dando palpite na Politica deixando de lado as pessoas novas de lado.Eta Brasil.

  2. Jane Souza disse:

    #INTERVENÇÃOMILITARJÁ.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *