Início » Brasil » Filhos e enteados de Jucá são alvo de operação da PF contra desvios
OPERAÇÃO ANEL DE GIGES

Filhos e enteados de Jucá são alvo de operação da PF contra desvios

PF apura desvios de R$ 32 milhões em obras superfaturadas em Roraima e cumpre 17 mandados judiciais

Filhos e enteados de Jucá são alvo de operação da PF contra desvios
Dois filhos e dois enteados do senador Romero Jucá (PMDB-RR) são alvos da operação (Foto: Agência Senado)

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira, 22, em Roraima, a Operação Anel de Giges. A ação foi deflagrada em conjunto com a Receita Federal com o objetivo de investigar uma organização criminosa acusada de peculato, lavagem de dinheiro e desvios de verbas públicas. Dois filhos e dois enteados do senador Romero Jucá (PMDB-RR) são alvos da operação.

Ao todo, a PF cumpre 17 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Roraima, sendo nove de busca e apreensão e oito de condução coercitiva em Boa Vista (RR), Brasília (DF) e Belo Horizonte (MG).

Entre os investigados estão os filhos do senador peemedebista Rodrigo de Holanda Menezes Jucá e Marina de Holanda Menezes Jucá, e seus enteados, Luciana Surita da Motta Macedo, Ana Paula Surita Motta Macedo (filhos da prefeita de Boa Vista, Teresa Surita). Hamilton José Pereira, Elmo Teodoro Ribeiro e Francisco José de Moura Filho (funcionários da CMT Engenharia) também são alvo da operação.

A polícia apura o desvio de R$ 32 milhões dos cofres públicos por meio do superfaturamento na compra da Fazenda Recreio, propriedade localizada na capital Boa Vista, e na construção do empreendimento Vila Jardim, projeto financiado pelo programa Minha Casa Minha Vida no bairro Cidade Satélite, também em Boa Vista. Além disso, a PF aponta que há indícios de irregularidades na fiscalização e aprovação do Vila Jardim por parte de funcionários da Caixa Econômica Federal.

De acordo com a assessoria da PF, os investigados estão sendo conduzidos coercitivamente para prestarem esclarecimentos sobre as suspeitas de crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Os crimes podem levar a penas de até 30 anos de reclusão.

O nome da operação foi inspirado em um dos livros da obra “A República”, de Platão, em uma passagem que é discutida o tema da Justiça. Segundo a PF, o Anel de Giges permite que seu portador fique invisível e cometa ilegalidades sem punição.

Fontes:
Estado de S. Paulo-Filhos e enteados de Jucá são alvo da Anel de Giges
G1-Filhos e enteados de Jucá são alvos de operação da PF que apura desvio de R$ 32 milhões

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. olbe disse:

    A policia está certa..é só procurar na família e ai tem muita coisa pra descobrir.Eles finalmente tem que entender que o brasil está mudando e que agora os políticos vão ter que provar que são honestos. Quando a polícia pega um bandido “com a boca na botija “eles logo confessam; com os políticos podem filmar, provar que eles continuam mentindo e continuam dizendo que são dizendo injustiçados..

  2. Markut disse:

    “Anel de Giges”. ao menos um pouco de senso de humor e ironia, nessas sucessivas designações das operações da PF.
    Um contraponto nesta lamentavel e desanimadora sucessão de crimes contra o erário público, melhor dizendo, este verdadeiro assalto ao trem pagador, em capítulos que se sucedem ,dia sim e outro tambem, sempre com o dinâmico surgimento de novas personagens.
    Está em xeque o sistema democrático do equilíbrio do tripé dos três poderes constituidos , enquanto consagrados por uma massa eleitora descalibrada pela coerção e pelo analfabetismo funcional.
    É esperar que O Lava Jato represente um capítulo marcante na história deste país, na expectativa de uma mudança que signifique o fim de alguns consagrados usos e costumes , herdados historicamente e que não se prestam ao desejo de nos afastarmos do 3º mundo e nos aproximarmos dos paises mais desenvolvidos.

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    E é o que vai acontecer meu nobre Olbe. Todos parentes de quem? Senador Romero Jucá, então? O que pode acontecer é é depoimento coercitivo e volta pra casa para ir ao Primeiro, segundo, terceiro e na quarta turma do supremo ainda para o ano que vem irão ser julgado e nada, nadica de nada acontecerá e se fosse eu, levava um bom cacete e me mandavam para o COTEL presídio dos piores meliantes de Recife.

  4. Natanael Ferraz disse:

    Até as pedras da praça do garimpeiro (centro de Boa Vista) sabem que a família Jucá (e agregados) metem a mão no dinheiro público de Roraima há uns 30 anos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *