Início » Brasil » Filhotes de Dória
COLUNA ESPLANADA

Filhotes de Dória

Empresários decididos a entrar para a política encabeçam listas de apostas para candidaturas aos Governos de estados

Filhotes de Dória
Flávio Rocha, dono da rede Riachuelo, e o advogado Djalma Rezende (Fonte: Reprodução/Montagem/Jornal GGN/A Redação)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Espelhados em João Dória Jr, prefeito de São Paulo, empresários decididos a entrar para a política encabeçam listas de apostas para candidaturas aos Governos de estados. Em Goiás, o advogado Djalma Rezende, aquele do casamento de R$ 8 milhões — com o vídeo-ostentação que ‘viralizou’ no YouTube — admitiu para amigos que pretende se candidatar ao Palácio das Esmeraldas. O Movimento Brasil Livre quer lançar em São Paulo Flávio Rocha, dono da rede Riachuelo, para o Palácio Bandeirantes.

Bolso aberto

Djalma, com seu jeitão caipira, caiu no gosto do povo goiano. É generoso. Deixou um cheque de R$ 100 mil para a Igreja Universal numa visita a São Paulo.

Calma, Fraga

No DF, o deputado linha-dura Aberto Fraga (DEM) almeja o Palácio Buriti e ataca o governador com o slogan que usa contra o PT: “Rollemberg é praga, a solução é Fraga”.

Fica, Joesley…

O Ministério da Justiça negou ontem o pedido de extradição de Joesley Batista, feito pelo deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA).

Argumentos

Na nota oficial, o MJ justifica: “Não há sentença condenatória ou decretação de prisão nem ele é foragido”. Ele se mudou com a família para os Estados Unidos.

A outra mala

Henrique Alves foi preso por suspeitas de maracutaias na Arena das Dunas e, quatro anos depois, até agora a Polícia Civil de Brasília, uma das mais preparadas do País, não sabe o que aconteceu no misterioso roubo de R$ 100 mil numa mala com o motorista do então deputado. E nem Henrique explicou direito de onde vinha e para onde ia a grana.

Fantasma…

Uma das vítimas em Londres teria sido abatida pela polícia e não por terroristas. É um espanhol que se levantou em meio a um tiroteio, e o caso está ocultado pelas autoridades da Grã Bretanha às vésperas da eleição para evitar impacto no pleito.

…de Jean

A informação é de um espanhol que conhecia a vítima e enviou um áudio para amigos que moram no Brasil. Se confirmado, será o segundo caso de erro grave dos policiais, após a tragédia envolvendo o brasileiro Jean Charles.

Com Gilmar?

Um dos idealizadores da Ficha Limpa, Márlon Reis crava que a decisão sobre a chapa Dilma-Temer no TSE será por voto de minerva do presidente Gilmar Mendes.

A conferir

Márlon argumenta que o escândalo da JBS pode ter mudado a opinião dos ministros. “A tendência hoje é de 3 votos para cada lado que levaria ao desempate pelo presidente Gilmar Mendes”. Fontes da Coluna afirmam que Temer tem dois votos de vantagem.

Saudoso Enéas

Enéas Ferreira Carneiro, o Dr. Enéas, famoso personagem da política brasileira, falecido há 10 anos, volta à lembrança no espetáculo “Meu nome é Enéas — o último pronunciamento”, com o ator pernambucano Márcio Fecher, vestido a caráter.

Cerco Olímpico

O deputado Marco Antônio Cabral (PMDB-RJ) quer satisfações sobre o legado olímpico. Apresentou dois requerimentos na Comissão de Esporte. Um para que o prefeito Marcelo Crivella fale da responsabilidade do município; e outro para visita técnica ao Parque de Deodoro.

Lavoura arcaica

O presidente Michel Temer tenta, sem sucesso, passar um clima de normalidade no Governo em meio ao julgamento no TSE. Anunciou os investimentos na Safra 2017/18, mas os holofotes todos foram para o pleno do tribunal.

Tô nem aí

Deputados da base pressionam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a acelerar a tramitação das mudanças na lei de abuso de autoridade aprovadas pelo Senado. Ele resiste e sequer marcou data para instalação da comissão especial de análise.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. laercio disse:

    Vejam o quão pobre são os objetivos dos novos interessados quanto a questão país!
    Parece que todos querem apenas aparecer! Acharam o momento certo porque o povo acordou para entender que não mais deve votar nos velhos apatridas que estão se perpetuando na direção do país.

    Entretanto não vemos nenhuma proposta realmente modificadora; o Brasil tem problemas crônicos e precisa de soluções radicais e até atípicas.

    Um lar urbano com 4 pessoas na periferia, hoje, trabalha de empregado no comércio e tem renda mensal de três mil reais; se houver contra tempo como desemprego as coisas ficam complicadas; nunca sobra para investir em estudo técnico…

    O lar urbano é muito vulnerável e constitui a maioria na favelas do Brasil.

    Nada foi feito de real para mudar isso!
    E para complicar, nas “entranhas” da favela tem que ser conviver com tráfico, roubo, escolas de última categoria, etc..

    O Brasil tem milhares de quilômetros de terras sem uso!
    Tem que aparecer alguém de coragem e entender que os novos tempos exigem a transferência das populações urbanas para um novo status, ou seja, população semi-o Ana.

    Você tira uma família da vida urbana e coloca ela em bairro planejado com quintal grande onde possa haver 2 gados leiteiros e horta; criamos uma família com outro perfil, ou seja, se houver desemprego eles podem trabalhar produzindo leite e derivados para sustento próprio ou venda!
    Se houver empreendedorismo no novo status será menos desempregados..

    Assim também se combate o problema

  2. laercio disse:

    Transformar famílias urbanas em semi-urbanas é uma solução inovadora porque descentraliza o capital, mantém a família com renda, espalha produtos e serviços por toda região evitando centralização, libera o trânsito…
    Uma família urbana hoje: em média 4 pessoas, todos trabalham, renda total 3000 reais; não sobra dinheiro para faculdade… Se alguém ficar desempregado haverá dificuldades; geralmente moram em uma casa com 60 metros quadrados mal distribuída e quintal que não passa de 40 metros quadrados!
    Com os vizinhos há o tráfico, bares e toda gama de indesejáveis.

    Governo de coragem começa fazer remanejamento das famílias criando bairros planejados onde viverá um novo perfil de família, a semi-urbana!
    Casas planejadas em terrenos com disposições físicas para criação de duas cabeças de gado e implantação de horta.
    Por que o gado de leite?
    Porque ele é estratégico, ou seja, prove atividade e sustento de uma família; as quatro pessoas de uma família podem trabalhar na extração e manipulação do leite criando derivados para si ou venda! Havendo desemprego no mercado uma família consegue sobreviver bem no padrão semi-urbano.
    Casas com 30 metros quadrados por pavimento, num total de dois.
    Quintais com 240 metros quadrados oferece condições para familiar semi-urbanas trabalharem com duas cabeças de gado produzindo leite e derivados, trabalhos com horta orgânica, flores, etc..
    Com isso há distribuição de renda, ocupação, menos êxodos favorecendo o transporte público, etc..

    Isso sim é uma proposta de peso é possível de implantar!

    Se não houver ações radicais não resolveremos ia problemas do povo

  3. laercio disse:

    Pode entrar quem for, se não tiver atitude criativa e coragem para enfrentar as máfias, não conseguirá fazer nada! A exemplo de todos os políticos em todas as esferas de pais, não conseguiram na! Absolutamente nada!
    Alguns números tímidos e falam pelos cotovelos…

    Tem que ter atitude e inovar bem como acabar com algumas ONGs e comissões que defendem uma minoria de marginais que se exibem nos grupos dos “excluídos”

  4. Markut disse:

    A proposta de Laércio parece engenhosa, mas ela esbarra numa constatação universal da urbanização irrecorrivel da humanidade , em que a relação urbano/rural está em algo de 80% para 20%.
    As duas vaquinhas no quintal de casa não resolvem o problema de você adequar a urbe às necessidades materiais e culturais , cada vez mais exigentes, em plena era da comunicação instantânea.que só a “metrópolis”, como centro de civilização e/ou comércio, faculta.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *