Início » Brasil » Fiocruz aponta risco de surto de doenças infecciosas em Brumadinho
ROMPIMENTO DE BARRAGEM

Fiocruz aponta risco de surto de doenças infecciosas em Brumadinho

Alguns efeitos já poderão começar a ser sentidos nas próximas semanas

Fiocruz aponta risco de surto de doenças infecciosas em Brumadinho
Há 'uma desorganização dos meios e condições de vida de forma geral', diz pesquisador (Fonte: Reprodução/Corpo de Bombeiros)

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz ) afirmou em um estudo divulgado nesta terça-feira, 5, que Brumadinho pode ter um surto de doenças infecciosas.

Leia também: Laudo de 2018 apontava problemas na barragem em Brumadinho

De acordo com o estudo, a população atingida pelo rompimento da barragem agora também pode ser afetada por um surto de doenças como febre amarela, dengue, esquistossomose e leptospirose, e ainda piora de doenças respiratórias e de pele, de doenças crônicas como hipertensão e diabetes e também de problemas como depressão e ansiedade.

Um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo, Carlos Machado de Freitas, ressaltou que “no caso de Barra Longa (MG) depois de Mariana, houve um aumento expressivo de mais de 3.000% de casos de dengue. A área de Brumadinho foi uma área de transmissão de febre amarela”.

Alguns efeitos já poderão começar a ser sentidos nas próximas semanas, destaca o estudo, outros, porém, serão percebidos apenas a longo prazo. Há também o risco de a população ser afetada por problemas relacionados à contaminação da água do rio Paraopeba.

“Você tem uma desorganização dos meios e condições de vida de forma geral”, ressalta o pesquisador Carlos Machado de Freitas.

O isolamento e a “perda de condições de acesso a serviços de saúde” também são apontados no estudo como um fator que pode determinar o agravamento de doenças já existentes na população atingida pelo rompimento da barragem.

Fontes:
G1 - Brumadinho pode ter surto de doenças infecciosas, diz Fiocruz

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *