Início » Brasil » FMI reduz pela quarta vez a previsão de crescimento global
CRISE ECONÔMICA

FMI reduz pela quarta vez a previsão de crescimento global

Órgão reduz previsões de crescimento para os países do G7 e da América Latina

FMI reduz pela quarta vez a previsão de crescimento global
Órgão reduziu pela quarta vez consecutiva as previsões de crescimento econômico global (Foto: Wikipedia)

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou que a lenta recuperação econômica das economias do Ocidente pode se transformar em estagnação. A declaração foi dada nesta terça-feira, 6, após o órgão reduzir pela quarta vez consecutiva as previsões de crescimento econômico global.

O órgão prevê uma retração de 0,3% na economia da América Latina em 2015, percentual bem abaixo do crescimento de 0,5% previsto em julho deste ano. A tendência é puxada, principalmente, pela queda nos preços das commodities, maior setor de exportação dos países da região. A crise no Brasil, maior economia do continente, também contribuiu para o cenário.

No entanto, o órgão afirma que a América Latina deve se recuperar em 2016, com uma expansão de 0,8%. As estimativas desta terça-feira ilustram a primeira recessão na região desde 2009.

As previsões do FMI para os países do G7, grupo que reúne EUA, Reino Unido, Canadá, França, Itália, Japão e Alemanha, também não são nada otimistas.

Segundo o FMI, EUA e Reino Unido são os membros do bloco com maiores chances de crescimento. As previsões apontam que a economia americana, que em julho estava prevista para crescer 3,1% este ano, deve expandir em 2015 e 2016, respectivamente, 2,6% e 2,8%. É a maior previsão entre os membros do G7, mas, ainda assim, é o pior índice dos EUA desde 2009.

Em segundo lugar, está o Reino Unido, que deve crescer 2,5% este ano e 2,2% em 2016. De acordo com o FMI, nenhum dos demais países do G7 deve crescer 2% ou mais nos próximos dois anos.

Fontes:
The Guardian-IMF warns of stagnation threat to G7 economies
Estadão-FMI projeta recessão na América Latina este ano por causa do Brasil

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *