Início » Brasil » Força Nacional cerca Complexo da Maré após agentes serem baleados
VIOLÊNCIA NAS OLIMPÍADAS

Força Nacional cerca Complexo da Maré após agentes serem baleados

Ação ocorre após traficantes atacarem agentes da Força Nacional que entraram na favela por engano

Força Nacional cerca Complexo da Maré após agentes serem baleados
Os agentes da Força Nacional foram designados para cuidar da segurança dos locais de competição das Olimpíadas (Foto: Vladimir Platonow/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Agentes da Força Nacional fizeram na manhã desta quinta-feira, 11, um cerco aos acessos das favelas da Vila do João e da Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio de Janeiro. A ação acontece depois que três militares foram atacados por traficantes após entraram na Vila do João por engano.

Na tarde desta quarta-feira, 10, um carro da Força Nacional foi alvejado por criminosos que controlam a região. Os agentes tentavam acessar a Linha Amarela, principal via até o Parque Olímpico da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, mas erraram o caminho e entraram em uma rua que dá acesso à favela. Dois militares ficaram feridos e um escapou ileso.

O soldado Hélio Andrade foi atingido por um tiro de fuzil na cabeça e foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, onde foi operado por três neurocirurgiões. Segundo a Secretaria de Saúde, o estado dele ainda era muito grave na manhã desta quinta-feira. O capitão Alen Marcos Rodrigues Ferreira teve ferimentos leves, mas está bem. O soldado Rafael Pereira escapou sem ferimentos.

Testemunhas contam que os criminosos fizeram vários disparos contra o carro da Força Nacional e depois fugiram para o interior da favela. Os militares baleados foram socorridos por moradores, homens do Exército e por um taxista que passava pelo local.

Os agentes da Força Nacional foram designados pelo Ministério da Justiça e Cidadania para cuidar da segurança dos locais de competição das Olimpíadas no Rio de Janeiro. Ela é composta por policiais militares, civis, bombeiros e peritos. Os três agentes atacados eram policiais de outros estados.

A favela da Vila do João é uma das 17 que compõem o complexo da Maré e é considerada um dos pontos sensíveis para a segurança das Olimpíadas por ser uma região dominada por duas facções criminosas – Comando Vermelho e ADA (Amigos dos Amigos) – e milicianos, além de ficar à margem das três principais vias de acesso da cidade: a Avenida Brasil e as linhas Amarela e Vermelha.

Fontes:
G1-Força Nacional faz cerco e bloqueia acessos de favela na Maré, Rio
Folha de S. Paulo-Força Nacional cerca complexo de favelas da Maré após agentes serem baleados

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. jayme endebo disse:

    rio de janeiro é para profissionais, amadores não tem vez

  2. Sergio disse:

    Queria registrar meu ponto de vista com relação ao policial militar do estado de Roraima morto na cidade do Rio. O Comando errou ao deixar um condutor de outro estado da federação manejar pelos logradouros da cidade, foi de uma irresponsabilidade sem tamanho não pôr um motorista da policia militar do estado do Rio de Janeiro que possui todas as manhas da metrópole… E agora??? Este Soldado voltará para casa morto, sem a chance de passar o Dia dos Pais com seus filhos e com seu pai… Porém estes marginais passarão o dia dos pais junto a seus familiares e em liberdade, pior ainda verbalizo, os que estão encarcerados também serão soltos através de um indulto para também vivenciarem este domingo dos genitores… Ah! Eles ainda irão aproveitar para matar novos Pais, Tios, Mães, etc… Algo urgente temos que mudar neste país… Uma vergonha nacional em plena Olimpíada do Rio esta barbárie ocorrer. Agradeço! Att, Sérgio Rio de Janeiro-RJ

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *