Início » Brasil » Gastos de estrangeiros no Brasil crescem 19,6% em abril
TURISMO AQUECIDO

Gastos de estrangeiros no Brasil crescem 19,6% em abril

Em entrevista ao 'Opinião e Notícia', o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, aponta o investimento no setor como uma saída para o crescimento sustentável do país

Gastos de estrangeiros no Brasil crescem 19,6% em abril
Brasil registrou receita de US$ 2,43 bilhões com o turismo estrangeiro entre janeiro e abril (Foto: Embratur)

Turistas estrangeiros que visitaram o Brasil em abril deste ano gastaram US$ 499 milhões no país, um salto de 19,6% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando a cifra registrada foi de US$ 417 milhões.

Os dados são do Banco Central e foram divulgados pelo Ministério do Turismo na última quinta-feira, 24. Eles revelam que, no primeiro quadrimestre deste ano, o Brasil registrou uma receita de US$ 2,43 bilhões relativa ao turismo estrangeiro, cifra superior aos US$ 2,26 bilhões registrados nos primeiros quatro meses de 2017.

O aumento de 19,6% da receita em abril representa o maior aumento percentual do ano, mesmo se comparado com os meses de janeiro e fevereiro – que são conhecidos pelo grande número de turistas que vêm aproveitar o verão no Brasil.

De acordo com o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, esse aumento nas receitas traz uma boa perspectiva para o turismo no Brasil no restante do ano. “Termos resultados melhores que o ano passado é um bom indicativo, já que 2017 foi um ano de recorde no número de estrangeiros em visita ao Brasil”, afirmou Lummertz.

Ao longo de todo o ano de 2017, o Brasil recebeu 6.588.770 estrangeiros, número superior a qualquer outro registrado anteriormente. Nos anos das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, e na Copa do Mundo, em 2014, por exemplo, foram registrados 6.546.696 e 6.429.852, respectivamente, segundo dados da Polícia Federal analisados pelo Ministério do Turismo.

O ano de 2018 já tinha se mostrado bastante positivo para o turismo estrangeiro em janeiro. Isso porque, apenas no primeiro mês deste ano, os turistas injetaram US$ 779 milhões, o melhor resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1990, e um aumento de 17,8% se comparado ao mesmo período de 2017.

Medidas adotadas

Mesmo com os bons resultados iniciais, Lummertz mostra confiança na capacidade do Brasil de ir além. O ministro, que vê no turismo uma saída para que o país possa crescer de forma sustentável, revelou algumas outras medidas que estão sendo adotadas para melhorar, não só o turismo, mas também os investimentos no Brasil.

“Importante destacar que estamos buscando melhorar o ambiente de negócios e reduzir a insegurança jurídica para que tenhamos mais investimentos e turistas em nosso país. Neste ano, pretendemos avançar nos projetos em tramitação no Congresso Nacional: abertura das companhias aéreas para o capital estrangeiro, mudanças na Lei do Turismo, modernização da Embratur. Isso vai representar uma nova fronteira de desenvolvimento para o setor”, explica Lummertz , em entrevista ao Opinião e Notícia.

Prova desse trabalho de fortalecimento no turismo brasileiro é que em janeiro deste ano, o Brasil adotou uma nova política de vistos eletrônicos, voltada para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão.

Na época, o Ministério do Turismo já havia informado que a expectativa era que o novo programa injetasse R$ 600 milhões em receitas. Desde o mês de fevereiro – mês em que o programa entrou em vigor -, o Brasil tem apresentado um crescimento médio na solicitação de visto de 50%, se comparado à 2017.

De um total de 52.672 vistos emitidos para turistas dos quatro países beneficiados com a nova medida, apenas 2.115 foram emitidos pelo sistema tradicional. Os números mostram que a nova política teve um efeito positivo para o turismo brasileiro. Até o momento, foram concedidos 35.469 e-visas – como é chamado o visto eletrônico – para americanos; 9.315 para australianos; 4.921 para canadenses; e 2.967 para japoneses.

Com o sucesso da medida, a abertura da política de turismo brasileiro para o mundo tem favorecido o crescimento e a consolidação do país como uma “potência turística”, segundo informou o ministro. Além disso, Lummertz revelou que o Brasil está estudando a ampliação da política de vistos eletrônicos para a China e Índia.

“Outro desafio continua sendo ampliar o consumo de turismo no Brasil, seja trazendo mais visitantes internacionais para cá, seja fazendo com que o setor de viagens e turismo fique mais acessível a um maior número de brasileiros. Isso vai acontecer projetando nossos destinos e vocações – parques nacionais, orlas e cidades históricas. Não podemos negligenciar o potencial e a diversidade do país, sob pena de continuarmos na lanterna mundial de uma atividade que pode salvar a economia brasileira e fazer o país voltar a crescer de forma sustentável”, apontou o ministro.

De acordo com o ministro do Turismo, diferentes fatores favorecem a vinda de turistas estrangeiros para o Brasil, desde a recuperação da economia, até o investimento na infraestrutura das cidades e a valorização do dólar frente ao real.

Gasto dos brasileiros no exterior

Segundo dados do Banco Central, os brasileiros também gastaram mais no exterior no primeiro quadrimestre de 2018. Ao todo, os turistas brasileiros gastaram no período US$ 6,47 bilhões em países estrangeiros, um aumento de 11,58% se comparado ao mesmo período de 2017, quando foi registrado um gasto de US$ 5,79 bilhões. Os gastos registrados se referem ao uso de cartões de crédito e trocas oficiais de moeda. Lummertz ressalta a necessidade de trazer esse gasto para destinos brasileiros.

“É um sinal de recuperação, e o Turismo é o setor que responde mais rapidamente na geração de emprego e renda para a população. Por isso é tão importante revertermos esse gasto para dentro do Brasil. Primeiro: mostrando ao turista que o nosso é um país completo – dos parques às praias, das metrópoles ao turismo rural. Segundo: a variação cambial cria incertezas na viagem ao exterior, o que não acontece em uma viagem planejada dentro do Brasil. Então, acredito que esse é um momento oportuno: dólar alto, economia em recuperação e destinos cada vez mais preparados”, destacou Lummertz.

Viagem aprovada

No último dia 17 de maio, o Ministério do Turismo divulgou uma pesquisa sobre o grau de satisfação dos estrangeiros com a viagem ao Brasil. Segundo o estudo, 88,3% dos turistas internacionais que desembarcaram no Brasil em 2017 afirmaram que a viagem atendeu ou superou as expectativas.

O grau de satisfação é o maior desde 2013, quando 95,6% dos entrevistados mostraram intenção de retornar ao país. Segundo o ministério, os setores ou serviços com maiores avaliações foram: hospitalidade (98,1%), alojamento (96,4%), gastronomia (95,7%) e restaurantes (95,5%). Mas todos os critérios avaliados tiveram uma aprovação superior a 70%.

Na época, o ministro do Turismo falou sobre o grande investimento do país no aumento da qualidade turística dos estrangeiros. De acordo com Vinicius Lummertz, o objetivo é deixar o Brasil cada vez mais preparado para receber um grande número de turistas.

“Temos investido fortemente na infraestrutura e qualificação turística com o intuito de preparar cada vez mais o Brasil para desenvolver plenamente sua vocação turística e os índices positivos obtidos na pesquisa mostram que estamos no caminho certo. Um exemplo disso é que pudemos observar a melhoria da avaliação dos aeroportos que passou de 89,9% para 92% e de sinalização turística que saiu de 80,6% para 83,3%”, concluiu Lummertz.

 

Leia também: Foz de turistas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Aureo Ramos de Souza disse:

    Eu não acredito, só se for em outros estados pois no Rio de Janeiro com as forças nacionais em termo de guerra lá turistas não vai.Só se estiver dando certo conforme vemos na foto no Ceará e Fortaleza e quiça em Recife (Pernambuco ).

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *