Início » Brasil » Geddel quer falar
COLUNA ESPLANADA

Geddel quer falar

Falta pouco para a homologação da delação premiada do ex-ministro com o MP

Geddel quer falar
Advogado de Geddel intensificou conversas com a Procuradoria-Geral da República nos últimos dias (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Sinal amarelo no Palácio do Planalto. O advogado Gamil Föppel, que defende o ex-ministro presidiário Geddel Vieira Lima — ex-amigo próximo de Michel Temer e Eliseu Padilha — intensificou conversas com a Procuradoria-Geral da República nos últimos dias. Falta pouco para a homologação da delação premiada do ex-ministro com o Ministério Público. Föppel orientou Geddel a não responder perguntas do MP Federal em recente depoimento à Justiça em Brasília. A estratégia foi vista como cautela da defesa para não comprometer o acordo de delação em andamento.

Saúde com PP

O PP vai manter o controle do Ministério da Saúde quando Ricardo Barros sair em março, a despeito do assédio do PMDB e DEM junto ao presidente Michel Temer.

Terra do sol

O Ceará ganhou sua primeira reserva indígena. O presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, assinou a criação da Reserva Taba dos Anacé, com 543 hectares, em Caucaia.

Copa no telão

O Parque Olímpico da Barra no Rio vai transmitir os jogos do Brasil na Copa da Fifa, ideia do presidente da AGLO, Paulo Márcio. Haverá food trucks e ações com atletas.

Agrotóxicos

O Ministério Público Federal trava, há meses, embate com o Ministério da Agricultura para tornar públicos os dados sobre a comercialização de agrotóxicos no Brasil. Na primeira resposta ao MP, a Agricultura alegou que consultara a Anvisa e o Ibama e os órgãos “entenderam” que as “informações são estratégicas e protegidas por sigilo”.

Versões

Essa, no entanto, não foi a versão apresentada à procuradora Fátima Borghi, que enviou novo pedido para a Agricultura divulgar os dados após Anvisa e Ibama informarem ao MP que não se contrapõem à medida. Por enquanto, a pasta se limitou a posicionar que o assunto será tratado pelo Comitê Técnico de Assessoramento para Agrotóxicos.

Na conta

Líder do governo, o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) ‘passou recibo’ para a Coluna: diz que as indicações (para cargos no governo) “ocorrerão da data prevista de votação da reforma”. São os apadrinhados dos deputados pró-reforma da Previdência.

Calma, gente

“Você se endivida e vai cobrar do vizinho?”. Presidente do Senado, Eunício Oliveira, se sai com essa ao ser indagado se o Senado votará este ano a reforma da Previdência.

Valeu, Raimundão

Aposentou-se, a pedido, Raimundo Pires, impressor do Diário Oficial da União nos últimos 25 anos. Raimundão ficou sem função após o fim da edição impressa do diário.

Baforada elétrica

Autoridades de saúde do Reino Unido têm liderado a discussão sobre os cigarros eletrônicos, ainda proibidos no Brasil. O Public Health England divulgou estudo independente que traz a notícia, entre as conclusões, de que os dispositivos eletrônicos oferecem redução de risco da ordem de 95% em relação aos cigarros convencionais.

Vazamento

Uma goteira não para de pingar do teto recém-pintado no carpete recém-aspirado do Salão Azul do Senado. Como o conserto não veio, a solução foi o jeitinho: 3 vasos de planta estão no meio do carpete, sendo regados pelo vazamento.

Avesso do avesso

O cantor Caetano Veloso, que outrora se referiu ao ex-presidente Lula como “cafona”, “grosseiro” e “analfabeto”, assinou o manifesto de apoio ao petista. O documento do PT (“Eleição sem Lula é fraude”), conta com 220 mil assinaturas.

Pelo cofre

O relator da proposta que prevê a legalização dos jogos e a reabertura dos cassinos e bingos, senador Benedito de Lira (PP-AL), cita a “situação orçamentária gravíssima” enfrentada pelos entes da Federação ao afirmar ser “urgente” a regulamentação.

Invasão

Fora do Congresso, o debate é outro. Empresários europeus e americanos estão comprando terras e até resorts na região  Norte e Nordeste, no aguardo da legalização.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Beraldo disse:

    Os adjetivos usados pelo Caetano Veloso não se aplicam aos integrantes do PCB – Primeiro Comando do Brasil, dando ordens de dentro do Presídio Domiciliar de Segurança Máxima do Planalto.

    A eles se aplicam, sem dúvida: bandidos, ladrões, cafajestes, hipócritas, sem vergonha, usurpadores, golpistas.

    Digamos que, na onda do Judiciário, os adjetivos do Caetano sobre o Lula são prescritíveis.

    Os dos integrantes são de lesa pátria e, como tal, imprescritíveis.

    A propósito, o roubo/furto/assalto do Romero Jucá prescreveu!!!

    Foi deixado prescrever!!!

    k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k k

  2. Laércio disse:

    (delação premiada) um cala a boca do povo!

    As delações recuperam alguns valores que serão objetos de corrupção amanhã…

    É enxugando gelo a pátria caminha sobre a esteira…

    Pena de morte, cárcere privado e regime de trabalhos forçados… São meios eficazes de fazer com que cessem os problemas, do contrário temos uma fila enorme de carrapatos de olho nas próximas eleições.

  3. Laércio disse:

    Antes que algum apátrida diga: pena de morte é muito rigoros; esclareço que a mesma já está em vigor nas ruas das principais cidades do Brasil…

    Quanto aos trabalhos forçados sugiro que faça uma entrevista por quem passa no parque D. Pedro, SP-SP.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *