Início » Brasil » Governador de Rondônia é levado a depor por fraude
Corrupção

Governador de Rondônia é levado a depor por fraude

Segundo investigação da Polícia Federal, Confúcio Moura obrigava as ampresas a pagar propina por meio de doações a campanha em troca de licitações

Governador de Rondônia é levado a depor por fraude
Governador de RO deu prejuízo de R$ 57 milhões aos cofres públicos (Foto: Reprodução/Internet)

O governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB), foi levado para depor de forma coercitiva pelo Ministério Público Federal (MPF). Moura é investigado por fazer parte da organização criminosa que fraudou licitações no governo em troca de financiamento de campanhas eleitorais.

Leia mais: Condução Coercitiva da PF salva governadores da cadeia

A Operação Plateias, da Polícia Federal, colheu o depoimento do governador e depois o liberou. Agentes fizeram operações de busca e apreensão na casa do governador. O prejuízo sofrido pelos cofres públicos com as fraudes é estimado em R$ 57 milhões.

O senador Valdir Raupp, principal aliado do governador, não quis se manifestar sobre as investigações. Raupp é o primeiro vice-presidente do PMBD.

Operação iniciada em 2012

A Polícia Federal apurou em sua operação que as empresas que quisessem participar de qualquer licitação feita no estado precisariam doar, formal ou informalmente, dinheiro às campanhas eleitorais. Após as doações, as licitações eram direcionadas para que as empresas do esquema vencessem. Os contratos foram feitos principalmente nas áreas de Saúde e Justiça e chegam a R$ 290 milhões. Um fundo foi criado para o esquema e chegou a movimentar mais de R$ 2 milhões por mês.

Os mandados expedidos pela Operação Plateias serão cumpridos em nove estados, Rondônia, Acre, Amazonas, Bahia, Goiás, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe, e no Distrito Federal. Um deles está direcionado à Espanha.

Essa é a maior operação da PF em termos de mandados, ao todo são 193, entre eles 163 de condução coercitiva, 26 de buscas e quatro de prisão temporária. Estão envolvidos nas operações mais de 300 policiais. Até mesmo a Operação Lava-Jato, que investiga os escândalos da Petrobras, tem menos mandados, 85 no total.

O gabinete do governador Confúcio Moura liberou uma nota onde ele disse ser “fiel ao ordenamento jurídico vigente e aos princípios republicanos, colocou-se à disposição para prestar essas e outras informações que sejam necessárias ao bom andamento das investigações”. De acordo com a nota, Moura apoia todas as iniciativas que tenham o objetivo de combater crimes contra o erário público. Confúcio afirmou também que “não compactua com ações criminosas e que agentes públicos que forem considerados culpados pela Justiça devem receber punição exemplar, indistintamente”.

A operação chegou ao empresário Marcelo Reis Perillo, que também foi levado a prestar depoimento pela Polícia Federal. Depois de ter seu nome ligado ao do empresário, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), divulgou nota oficial negando qualquer parentesco entre os dois.

Marcelo é sócio de uma empresa farmacêutica e teria envolvimento no esquema de propinas do governo de Rondônia. Agentes fizeram buscas em sua residência em Goiânia. O ex-senador, Expedito Junior (PSDB) também é investigado e tem um mandado de condução coercitiva em seu nome.

Segundo a Polícia Federal, todas as secretarias do estado têm irregularidades em contratos. Entre os investigados, há um contrato de construção de uma Unidade de Pronto Atendimento. Os acusados responderão por crimes de organização criminosa, fraudes à licitações, concussão e corrupção ativa e passiva.

Fontes:
Estadão-Governador de Rondônia depõe à PF

4 Opiniões

  1. Marcia disse:

    Confúcio se ‘Confundio’.

  2. ney disse:

    Vergonha!!

  3. ney disse:

    Se esse governador tiver vergonho ele se demite, e essa denuncia parece proceder.

  4. Joma Bastos disse:

    Demita-se Sr. Governador!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *