Início » Brasil » Governo decide manter horário de verão
HORA

Governo decide manter horário de verão

O horário de verão começa dia 15 de outubro e vai até fevereiro de 2018

Governo decide manter horário de verão
O horário de verão foi criado para economizar energia elétrica durante o período em que fica em vigor (Foto: Pixabay)

Nesta segunda-feira, 25, o governo confirmou que vai manter o horário de verão neste ano. O horário de verão começa dia 15 de outubro e vai até fevereiro de 2018.

O horário de verão foi criado para economizar energia elétrica durante o período em que fica em vigor. A primeira vez que foi instituído no Brasil foi no verão de 1931/1932. A medida vem sendo adotada continuadamente desde 1985.

O governo pensou em acabar com o horário de verão por conta de um estudo do Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS) e do Ministério de Minas e Energia. A pesquisa concluiu que a “adoção desta política pública atualmente traz resultados próximos à neutralidade para o consumidor brasileiro de energia elétrica, tanto em relação à economia de energia, quanto para a redução da demanda máxima do sistema”. Na última edição, a economia foi de R$ 159,5 milhões.

 

Fontes:
Estadão-Governo recua sobre enquete e decide manter horário de verão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Laércio disse:

    Como não poderia deixar de ser o Brasil nos remete as coisas inúteis!
    O que se econômica de energia em função do horário de verão será perdido nas ligações clandestinas e outras mazelas de nossas matrizes e distribuidores de energia.

    Programar de qualificação as classes baixas no sentido de fazerem uso de energia alternativa é extermínio de ligações clandestinas é o que de fato traria grande economia no que tange a todos os aspectos deste assunto, inclusive a parte informativa educacional, a qual nunca se eu a devida atenção.

    Se pegarmos cada ponto que o país desconsidera, transformarmos tais pontos em valores, no final teríamos um crescimento real/anual de 5% em nosso PIB!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *