Início » Brasil » Governo do DF nem assumiu e já tem racha
Coluna Esplanada

Governo do DF nem assumiu e já tem racha

Grandes aliados, os senadores Cristovam Buarque e Rodrigo Rollemberg, eleito governador do DF, andam se estranhando

Governo do DF nem assumiu e já tem racha
Rodrigo Rollemberg e Cristovam Buarque andam se estranhando (Fonte: Reprodução/Correio Braziliense)

Grandes aliados, os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), eleito governador do Distrito Federal, andam se estranhando. Em encontro recente com educadores, o ex-ministro da Educação revelou descontentamento com as articulações políticas de Rollemberg, que estaria já se reaproximando do PT de Agnelo Queiroz — governador expulso nas urnas — e da presidente Dilma. O elo é o PDT do DF, comandado por Georges Michel, ligado ao cacique Carlos Lupi — por sua vez um fiel seguidor da presidente Dilma. Cristovam viajou e só volta após dia 18 a Brasília.

#magoei

Na reunião, Cristovam disse que ‘se não for para fazer a verdadeira reforma educacional, não vejo futuro’ no novo governo. E que assim não se alia à gestão.

Governabilidade

A reaproximação tem seus motivos. Rollemberg precisa da boa interlocução com o Planalto e também com os deputados do PT e aliados eleitos na Câmara Distrital.

Preciso de vocês…

Já Rollemberg, em reunião com profissionais no Instituto de Arquitetos de Brasília, soltou: ‘Gente, eu preciso de vocês para governar, de nomes técnicos para compor’. 

Mineirices

Não convidem para um café com leite & broa o governador Alberto Pinto Coelho (PP) e o deputado federal Marcos Pestana (PSDB). O tucano teria espalhado entre seus pares que o atual ocupante da Cidade Administrativa (antigamente era Palácio) se esforçou nada para tentar eleger para seu lugar Pimenta da Veiga (PSDB).

Concorrência

O PSTU teve anos para fazer o questionamento, mas curiosamente protocola agora que o Partido NOVO, ainda não oficializado, diz que não quer fundo partidário. Em suma, o PSTU procurou o TSE para perguntar se pode abrir mão da verba do fundo.

Porteira

Com a grande entrada no Brasil de estrangeiros — muitos deles sem vistos, como bolivianos, angolanos, haitianos, senegaleses — a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional vota hoje parecer do PL 5655/09, o Projeto Lei do Estrangeiro.

Porteira 2

O texto dispõe sobre ‘o ingresso, permanência e saída de estrangeiros no território nacional’, entre outros pontos. Em especial, estabelece condições para visto ao religioso.

Aliás

Vale lembrar que a Polícia Federal e a Receita estão numa luta inglória, há anos, com o governo, para melhor monitoramento das escancaradas fronteiras do País.

Passou da hora

No parecer sobre o novo Código Penal que será analisado hoje na CCJ do Senado, o PLS 236/12 define ‘o crime de veiculação de informações que induzam ou incitem a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional’.

Morde e assopra

O novo Código Penal não é claro no artigo 267, sobre a proibição de explorar jogos de azar e o jogo do bicho: pena de prisão de um a três anos. Mas o juiz, ao julgar caso a caso, pode aliviar muito a pena diante de bons ou nenhum antecedente do flagrado.

Supla e o Banespa

Em despedida do Senado, o boa praça Eduardo Suplicy viu outra derrota ontem. A ministra Assusete Magalhães, do STJ, negou provimento a recurso interposto pelo parlamentar contra a transferência do controle acionário do Banespa para a União.

Idade da pedra

A prefeitura de Parobé (RS) afastou a psicóloga Julia Conrado e uma técnica em enfermagem, concursadas, e abriu processo administrativo por não concordar com suas aulas nas escolas públicas com o tema ‘Debate adolescência, sexualidade e prevenção’.

Vaivém

Noboru Ofugi, ex-diretor e homem de confiança de Bernardo Figueiredo, é cotado para assumir uma diretoria da ANTT — para a qual foi reprovado em concurso.

Registrado

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) informa que ‘jamais, em tempo algum, ocupou qualquer função ou integrou órgão diretivo no Banco Mercantil de Pernambuco’.

Ponto Final

Depois de até o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, falar que a Petrobras precisa sofrer mudanças, por quanto tempo a presidente Dilma vai proteger Graças Foster?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *