Início » Brasil » Governo recorre ao PMDB para aprovar ajuste fiscal
Em busca de apoio

Governo recorre ao PMDB para aprovar ajuste fiscal

Em encontro com petistas, líderes do PMDB dizem que o partido vai apoiar a votação do ajuste em troca de mais influência no governo Dilma

Governo recorre ao PMDB para aprovar ajuste fiscal
Cúpula petista tenta tirar Dilma do isolamento político e busca apoio do PMDB para aprovar ajuste fiscal (Reprodução/O Globo)

A cúpula do governo entrou em ação para romper o isolamento político da presidente Dilma Rousseff. O principal foco foi a retomada das relações com o PMBD, que se afastou de Dilma e ameaça rachar de vez com o governo petista.

Na última segunda-feira, 23, os ministros Aloisio Mercadante (Casa Civil) e Pepe Vargas (Relações Institucionais) se encontraram com os principais líderes do PMDB para convencê-los a aprovar duas medidas provisórias que vão reduzir os direitos trabalhistas para reequilibrar as contas públicas. O ajuste fiscal do governo prevê uma economia de R$ 18 bilhões este ano, com cortes em benefícios como abono salarial, pensão por morte e  seguro desemprego.

O PMDB disse que vai apoiar a votação do ajuste, mas cobrou mais influência nas decisões da presidente. Os peemdebistas se queixaram de que o governo só recorre ao partido quando precisa “apagar incêndios”. Em resposta, Mercadante reconheceu que é preciso repensar a aliança entre o PT e o PMDB.

Equipe econômica do governo se reuniu com Michel Temer 

Um dos principais encontros ocorreu no final da noite. A equipe econômica da presidente Dilma, composta pelos ministros Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento) e Alexandre Tombini (Banco Central) se reuniu com o vice-presidente Michel Temer para explicar o ajuste econômico. No encontro, também estavam presentes sete ministros do PMDB, além do presidente do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha.

Michel Temer anunciou que o PMDB vai apoiar o governo na votação do ajuste fiscal. “É o primeiro passo para que o ajuste fiscal possa ser vitorioso no Congresso. É preciso começar o diálogo e começar pela área econômica”. Já Eduardo Cunha disse que o governo “pode contar com a boa vontade do partido”, mas ressaltou que haverá uma discussão política.

Fontes:
O globo-Dilma recorre ao PMDB para sair do isolamento político
PMDB promete apoiar ajuste fiscal, mas reclama de falta de influência

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *